Prontuário oncológico: instrumento de informação da doença e do tratamento

Bianca Pozza dos Santos, Eda Schwartz, Aline Machado Feijó, Rosani Manfrin Muniz, Juliana Graciela Vestena Zillmer, Aline da Costa Viegas

Resumo


Introdução: Conhecer a epidemiologia do câncer é essencial para a realização de ações, e um dos meios parao conhecimento é a consulta ao prontuário. Assim, há a necessidade de avaliar a qualidade das informaçõesdisponíveis nos prontuários de pacientes oncológicos, os quais possibilitarão a continuidade da assistência.Objetivo: Descrever os dados contidos no prontuário de um serviço de oncologia, segundo característicasdemográficas, clínicas e do tratamento quimioterápico. Materiais e métodos: Estudo quantitativo realizadoem um serviço de oncologia. Os participantes que estavam em tratamento quimioterápico responderam oinstrumento com 82 questões sociodemográficas. Os dados sobre a doença e o tratamento foram coletadosno prontuário. Para a análise, realizou-se a codificação das variáveis, elaborou-se um banco de dados e ocontrole de qualidade ocorreu por dupla digitação. Resultados: A amostra incluiu 221 prontuários, sendoanalisados 117 prontuários de pessoas do sexo feminino e 104 do masculino. A faixa etária predominantefoi entre 51 e 60 anos. A incidência de câncer de mama nas mulheres foi de 41%, e de intestino noshomens, 23%, prevalecendo o estadiamento IV. Foi evidenciada a finalidade quimioterápica paliativapara o tratamento da doença. Em relação ao período de planejamento do tratamento quimioterápico,prevaleceu o de um a doze meses, e quanto aos ciclos quimioterápicos, foi o primeiro. Conclusões: Muitosdados estavam incompletos nos prontuários, levando à carência de informações, o que pode dificultar asações de cuidado.

Palavras-chave


Oncologia; quimioterapia; registros médicos; enfermagem.

Texto completo:

PDF

Referências


Stumm EMF, Leite MT, Maschio G. Vivências de uma equipe de enfermagem no cuidado a pacientes com câncer. Cogitare enferm. 2008; 13(1): 75-82.

Wold Hearth Organization [internet]. [cited 2010 sept 12]. Available from:http://www.who.int/features/qa/15/es/index.html.

Brasil MS. Estimativa 2012: Incidência de Câncer no Brasil. Rio de Janeiro: Inca; 2011.

Silva JFS, Mattos IE. Padrão de distribuição do câncer em cidade da zona de fronteira: tendência da mortalidade por câncer em Corumbá, Mato Grosso do Sul, no período 1980-2006. Epidemiol serv. saude. 2011; 20(1): 65-74.

Brasil [internet]. Brasília: Ministério da Saúde (BR) [cited 2010 sept 20]. Portaria GM/MS nº 2.439. Available from:http://dtr2001.saude.gov.br/sas/PORTARIAS/Port2005/GM/GM-2439.htm.

Tonani M, Carvalho EC. Risco de câncer e comportamentos preventivos: a persuasão como estratégia de intervenção. Rev. latino-am. enfermagem. 2008; 16(5): 864-70.

Fonseca AJ, Ferreira LP, Dalla-Benetta AC, Roldan CN, Ferreira MLS. Epidemiologia e impacto econômico do câncer de colo de útero no Estado de Roraima: a perspectiva do SUS. Revista brasileira de medicina. Ginecologia e obstetrícia. 2010; 32(8): 386-92.

Defossez G, Rollet A, Dameron O, Ingrand P. Temporal representation of care trajectories of cancer patients using data from a regional information system: an application in breast cancer. BMC Medical Informatics and Decision Making. 2014; 14: 24.

Massad E, Marin HF, Azevedo Neto RS. O prontuário eletrônico do paciente na assistência, informação e conhecimento médico. São Paulo: H. de F. Marin; 2003.

Santos BP. Análise de prontuários de um Serviço de Oncologia: caracterização dos pacientes com câncer em tratamento quimioterápico [monography]. Pelotas: Faculdade de Enfermagem/UFPel; 2011.

Souza RC, Freire SM, Almeida RT. Sistema de informação para integrar os dados da assistência oncológica ambulatorial do Sistema Único de Saúde. Cad. saude publica. 2010; 26(6): 1131-40.

Setz VG, Dílnnocenzo M. Avaliação da qualidade dos registros de enfermagem no prontuário por meio da auditoria. Acta paul. enferm. 2009; 22(3): 313-7.

Silva JA, Grossi ACM, Haddad MCL, Marcon SS. Avaliação da qualidade das anotações de enfermagem em unidade semiintensiva. Esc Anna Nery. 2012; 16(3): 576-81.

Sarmento RMB, Obadia RCM, Camacho PG, Rocha MRL, Thuler LCS. Fidedignidade e completude dos prontuários médicos em relação aos eventos ou reações adversas em pesquisa clínica. Rev. bras. cancerol. 2011; 57(4): 535-40.

Brasil MS. Conselho Nacional de saúde. Diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisa envolvendo seres humanos. Resolução n.º 196, de 10 de outubro de 1996. Brasília; 1996.

Visentin A, Lenardt MH. O itinerário terapêutico: história oral de idosos com câncer. Acta paul. enferm. 2010; 23(4): 486-92.

Azevedo CD, Dal Bosco SM. Perfil nutricional, dietético e qualidade de vida de pacientes em tratamento quimioterápico. ConScientiae Saúde. [Internet] 2011 [cited 2014 jul 10]. Available from:http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=92917188004.

Brasil MS. Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (Brasil). Estimativa 2014 – Incidência de Câncer no Brasil. Rio de Janeiro: INCA; 2014.

Silva MM, Silva JA, Esteves LO, Mesquita MGR, Stipp MAC, Duarte SCM. Perfil sociodemográfico e clínico de pessoas em tratamento quimioterápico: subsídios para o gerenciamento em enfermagem. Rev. eletr. enf. [Internet]. 2013 jul/set[cited 2014 jun 12];15(3):704-12. Available from:http://dx.doi.org/10.5216/ree.v15i3.18417.

Costa MCC, Teixeira LA. As campanhas educativas contra o câncer. Hist. cienc. saude-manguinhos. 2010; 17(1): 223-41.

Fernandes IC, Mello AA. Entendendo e combatendo o câncer. Tema. 2008; 7(10/11): 02-11.

Singh A. Medicina moderna: rumo à prevenção, à cura, ao bem-estar e à longevidade. Rev. latinoam. psicopatol. fundam. 2010; 13(2): 265-82.

Trufelli DC, Miranda VC, Santos MBB, Fraile NMP, Pecoroni PG, Gonzaga SFR, et al. Análise do atraso no diagnóstico e tratamento do câncer de mama em um hospital público. Rev. assoc. med. bras. 2008; 54(1): 72-6.

Murta EFC, Rosekeila S. Métodos de imagem no estadiamento das neoplasias malignas de colo uterino. Femina. 2010; 38(1): 41-6.

Sawada NO, Nicolussi AC, Okino L, Cardozo FMC, Zago MMF. Avaliação da qualidade de vida de pacientes com câncer submetidos à quimioterapia. Rev. esc. enferm. USP. 2009; 43(3): 581-7.

Brasil [internet]. Brasília: Ministério da Saúde (BR) [cited 2010 oct 12]. Quimioterapia. Available from:http://www.inca.gov.br/conteudo_view.asp?ID=101#topo.

Silva FG, Tavares-Neto J. Avaliação dos prontuários médicos de hospitais de ensino do Brasil. Rev. bras. educ. med. 2007; 31(2): 113-26.




DOI: https://doi.org/10.13037/ras.vol13n46.3190

Indexadores: