PRESENÇA DE MERCÚRIO EM PEIXES E SUA CORRELAÇÃO COM A INTOXICAÇÃO ALIMENTAR M,ERCURY EXISTENCE IN FISHES AND ITS CORRELATION WITH FOOD INTOXICATION

Fabiano Lucas de Oliveira dos Santos, Reynaldo Mascagni Gatti, Paula Regina Knox de Souza

Resumo


Os níveis de mercúrio têm aumentado na atmosfera graças a sua utilização em várias atividades
antropogênicas. Ao ser introduzido na atmosfera, ele é transportado pelas águas das chuvas, contaminando
oceanos, rios e lagos, onde é transformado em metilmercúrio (MeHg), por microorganismos,
em presença de nutrientes orgânicos. Sua bioacumulação na cadeia alimentar ocorre, pois
devido a sua solubilidade, o MeHg liga-se às proteínas de animais e plantas aquáticos, alcançando
níveis elevados nas espécies predatórias. O consumo de peixes contaminados causa intoxicação
alimentar, dependendo da quantidade ingerida e da freqüência de ingestão. A intoxicação pode ser
leve, apresentar sintomas, como vômitos freqüentes, paralisia, cegueira, coma, ou até ser letal. Pode
também ocorrer intoxicação pré-natal gerando alterações irreversíveis no sistema nervoso central
fetal. Assim, estudos que detectem a concentração de mercúrio e MeHg nos peixes podem classificar
o pescado como próprio ou impróprio para consumo humano, diminuindo a ocorrência de
intoxicações e suas conseqüências.

Palavras-chave


mercúrio, peixes, metilmercúrio, intoxicação alimentar.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.13037/rbcs.vol4n9.427

Indexadores: