PROCESSO DE QUALIFICAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DE SAÚDE SOBRE A CLASSIFICAÇÃO DA DENGUE NO SERTÃO NORDESTINO

Beatriz da Costa Aguiar Alves, Michele Verusca Sampaio Vidal Gonçalves, Emery Ciana Figueiredo Vidal, Lucas Dias Soares Machado, Ligia Ajaime Azzalis, Fernando Luiz Affonso Fonseca

Resumo


Introdução: A dengue é hoje uma das doenças com maior incidência no Brasil, atingindo a população detodos os estados, independentemente da classe social. Ela é a principal doença reemergente da atualidade.Além disso, quase metade da população mundial vive sob o risco de adquiri-la. O aumento do número decasos e a disseminação para novas áreas geográficas, especialmente em regiões tropicais, fazem da doençaum importante problema de saúde pública. Objetivos: O objetivo deste estudo foi analisar o processode qualificação dos profissionais de saúde acerca da atual classificação da dengue na Região de Saúdede Brejo Santo, Ceará. Método: Pesquisa qualitativa, com abordagem exploratória descritiva, realizadana 19ª Coordenadoria Regional de Saúde entre os meses de janeiro e maio de 2016 com a participaçãode nove profissionais. Para analisar os dados, utilizou-se a técnica de análise de conteúdo de Bardin. Apesquisa atendeu aos requisitos éticos, sendo aprovada sob o nº 1.412.843 pelo Comitê de Ética e Pesquisada Escola de Saúde Pública do Ceará. Resultados: Identificou-se prevalência de repasse de informaçõese envolvimento maior da classe de enfermagem; contudo, houve falta de profissionais multiplicadores,bem como utilização de metodologias não ativas na realização das qualificações. Conclusão: É necessáriocompromisso dos municípios quanto à realização das qualificações relacionadas à dengue, com ênfasena sua atual classificação, reconhecendo essa atividade como de suma importância para o binômioprofissional-cliente.


Referências


Oliveira PMP, Paiva JSP, Cezario KG, Pagliuca LMF. Literatura de cordel como estratégia educativa para prevenção da dengue. Texto & Contexto Enfermagem [Internet]. 2011 Oct./ Dec. [cited 2017 April 5]; 20(4):766-73. Available from: http://dx.doi.org/10.1590/S0104-07072011000400016

Ministério da Saúde (BR), Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância Epidemiológica. Diretrizes nacionais para prevenção e controle de epidemias de dengue. Brasília (DF): MS; 2009.

Ministério da Saúde (BR), Secretaria de Vigilância em Saúde. Guia de Vigilância em Saúde. Brasília (DF): MS: 2014.

Kauark FS, Maranhães FC, Medeiros CH. Metodologia da Pesquisa: um guia prático. Itabuna (BA): Edidora Via Litterarum; 2010.

Bardin L. Análise de Conteúdo. Lisboa (PT): Edições 70, LDA; 2009.

Ministério da Saúde (BR), Conselho Nacional de saúde. Resolução n°. 466, de 12 de dezembro de 2012. Brasília (DF): MS; 2012. Available from: http://conselho.saude.gov.br/resolucoes/2012/Reso466.pdf>Acesso em: 28 set. 2015

Ministério da Saúde (BR), Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância das Doenças Transmissíveis. Dengue: diagnóstico e manejo clínico: adulto e criança [recurso eletrônico]. 5ª ed. Brasília (DF): MS; 2016.

Ministério da Saúde (BR), Portaria 3454 de 15 de dezembro de 1998. Dispõe sobre as diretrizes específicas, públicos-alvo, conteúdos prioritários e cronograma de execução para o biênio 1999-2000 de acordo com a Política Nacional de Capacitação dos servidores para Administração Pública Federal direta, autárquica e fundacional. Brasília (DF): MS; 1998.

Silva LB, Soares SM, Fernandes MTO, Aquino AL. Comunicação sazonal sobre a dengue em grupos socioeducativos na atenção primária à saúde. Rev. Saúde Pública [Internet]. 2011 Oct [cited 2016 Apr 20]; 45(6):1160-7. Available from: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-89102011000600019.

Gomes KWL, Mesquita LPS, Caprara A, Benevides BS, Gonçalves RP. Organização do processo de trabalho no manejo da dengue em uma capital do Nordeste. Saúde debate [Internet]. 2015 Apr [cited 2016 Fev 10]; 39(105):561-9. Available from: http://www.scielo.br/pdf/sdeb/v39n105/0103-1104-sdeb-39-105-00561.pdf.

Ministério da Saúde (BR), Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Política Nacional de Atenção Básica. Brasília (DF): MS; 2007.

Sobral FR, Campos CJG. Utilização de metodologia ativa no ensino e assistência de enfermagem na produção nacional: revisão integrativa. Rev. Esc. Enferm. USP [Internet]. 2012 Feb [cited 2016 Mar 15]; 46(1):208-18.Available from: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0080-62342012000100028.

Mitre SM, Siqueira-Batista R, Girardi-de-Mendonça JM, Morais-Pinto NM, Meirelles CAB, Pinto-Porto C et al. Metodologias ativas de ensino-aprendizagem na formação profissional em saúde: debates atuais. Ciênc. Saúde Coletiva [Internet]. 2008 Dec [cited 2016 Apr 15]; 13(2): 2133-44. Available from: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232008000900018.

Corrêa CL, Barbosa C, Serpa FA. Enxergar as fragilidades para desenvolver as potencialidades: A educação permanente orienta profissionais de saúde no atendimento da população na contingência do dengue. Revista Eletrônica de Comunicação, Informação & Inovação em Saúde [Internet] 2013 Set [cited 2016 Jun 13]; 7(3): 1-13. Available from: http://www.reciis.icict.fiocruz.br/index.php/reciis/article/view/530/1174

Sarreta FO. Educação permanente em saúde para os trabalhadores do SUS [online]. São Paulo: Editora UNESP; São Paulo: Cultura Acadêmica, 2009. 248 p. ISBN 978-85-7983-009-9. Available from http://books.scielo.org.


Texto completo: PDF




Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .