AYAHUASCA – ASPECTOS BOTÂNICOS E FARMACOLÓGICOS AYAHUASCA – BOTANICAL AND PHARMACOLOGICAL ASPECTS

Guilherme Balarde Martinez, Celi de Paula Silva

Resumo


Há séculos, o chá da ayahuasca vem sendo utilizado por tribos indígenas da Bacia Amazônica e do sul dos Andes
com finalidades terapêuticas, mágicas e religiosas. No século passado, surgiram seitas não indígenas que fazem
uso deste chá e, por intermédio dessas religiões, este composto vem se difundindo pelo mundo. A ayahuasca é
constituída pelo caule classificado como liana da espécie Banisteriopsis caapi e das folhas do arbusto Psychotria
viridis. Esses vegetais apresentam potentes alucinógenos em sua composição, como a harmina, a harmalina,
a tetrahidroharmina e a N,N-dimetiltriptamina (DMT). Os principais efeitos são alucinações, hipertensão,
taquicardia, vômitos e diarreia intensa, caracterizados por usuários como processo de “purificação da alma”.
Porém, a ayahuasca tem bases farmacológicas ainda pouco conhecidas, e seu uso pode trazer efeitos nocivos
ao organismo, quando combinado com outras substâncias, havendo necessidade de uma maior atenção por
parte dos pesquisadores para que se promovam estudos buscando avaliar o potencial tóxico destas substâncias.
O presente trabalho teve por objetivo realizar um levantamento sobre os principais aspectos botânicos e
farmacológicos das plantas constituintes da ayahuasca.

Palavras-chave


ayahuasca, banisteriopsis caapi, psychotria viridis, harmina, harmalina.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.13037/rbcs.vol7n22.527

Indexadores: