O TEMPO DE PRÁTICA E A PRÁTICA DE OUTRO EXERCÍCIO FÍSICO INFLUENCIAM NA APTIDÃO FÍSICA DE IDOSOS PRATICANTES DO MÉTODO PILATES?

Daniel Vicentini de Oliveira, Matheus Amarante do Nascimento, Geisa Luiza Mendes Arantes Alves, Rafaela Merim Santos, Gabriel Lucas Morais Freire, Stevan Ricardo dos Santos, José Roberto Andrade do Nascimento Júnior

Resumo


OBJETIVO: Verificar se o tempo de prática no Pilates e a prática adicional de outro exercício físico influenciam na aptidão física de idosos praticantes de Pilates. MATERIAIS E MÉTODOS: O estudo transversal foi composto por 60 idosos praticantes de Pilates de estúdios e academias da cidade de Maringá- Paraná, Brasil em 2019. Todas as análises foram realizadas nas próprias academias, sendo as variáveis sóciodemográficas analisadas por meio de um questionário semiestruturado e as capacidades físicas aferidas pela bateria Senior Fitness Test. As análises de dados foram conduzidas por meio da Anova One-Way e do teste t de student independente (p < 0,05). RESULTADOS: Idosos que praticam o Pilates há mais de três anos apresentaram melhor desempenho no teste de alcançar atrás das costas (x = -4,96) em comparação aos idosos que praticam a modalidade entre três e 12 meses (x= -14,43 cm). Ainda, os idosos que praticam apenas o Pilates apresentaram aptidão física semelhante aos idosos que também praticam outro exercício. CONCLUSÃO: Não houve diferenças significantes entre quem pratica outro tipo de exercício físico associado ao Pilates nos diferentes componentes da aptidão física. Porém, o maior volume total de tempo de prática do Pilates, aparentemente, proporciona melhores resultados sobre a flexibilidade de membros superiores de idosos.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.13037/ras.vol17n62.6023

Indexadores: