INFLUÊNCIA DO PRÉ NATAL NA ESCOLHA DO TIPO DE PARTO: REVISÃO DE LITERATURA

Silas Santos Carvalho, Raiane Farias Nunes Cerqueira

Resumo


Introdução: Estudos recentes realizados no Brasil revelam elevadas taxas de partos cesáreos desnecessários e a influência da assistência no pré-natal na decisão das mulheres a cerca da escolha do tipo de parto. Objetivo: Analisar na literatura nacional a influência do pré-natal na escolha do tipo de parto das gestantes brasileiras. Materiais e Métodos: Estudo bibliográfico, de abordagem qualitativa exploratória, tendo como referência uma Revisão Integrativa da Literatura (RIL) disponível nas bases de dados Scientific Eletronic Library Online (SCIELO) e Literatura da América Latina e Caribe (LILACS) no período de 2009 a 2018, sendo selecionados e analisados 08 estudos. Os estudos apresentam fatores e visões que influenciam as gestantes a escolherem o tipo de parto. Resultados: Identificaram-se 8 artigos no período estudado. Os estudos apontam o déficit nas assistências de pré-natal, na prestação de informações adequadas para assegurarem às mulheres a autonomia da decisão por parto normal ou cesáreo. Conclusão: É fundamental o apoio dos profissionais de saúde durante o pré-natal, auxiliando a escolha por meio da educação em saúde sobre cada tipo de parto.


Palavras-chave


Humanização da Assistência, Cuidado Pré-natal, Orientação, Decisões, Parto, Enfermagem Obstétrica

Texto completo:

PDF

Referências


Viellas EF, Domingues RMSM, Dias MAB, Gama SGN, Filha MMT, Costa JV, Bastos MHMC. Assistência pré-natal no Brasil. Cad. Saúde Pública. 2014; 30(1):85-100.

Brasil. Ministério da Saúde. Gestação de alto risco: manual técnico. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. 5.ª ed. Brasília: Ministério da Saúde. 2010. Disponível em: URL: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/gestacao_alto_risco.pdf

Brasil. Ministério da Saúde. Atenção ao Pré Natal de Baixo Risco. Manual técnico/ Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. 1.ª Ed. Brasília: Ministério da Saúde. 2013. Disponível em: URL: .

Melo DBL, Rocha DFJS, Moreira SFLR, Rodrigues OIV, Silva SJ, Feitosa ANA. Fatores que predispõem para a gestação de alto risco. Revista Interdisciplinar em Saúde. 2017; 4(1): 72-86.

Nunes TJ, Gomes ORK, Rodrigues PTM, Mascarenhas MDM. Qualidade da assistência pré-natal no Brasil: Revisão de artigos publicados em 2005 a 2015. Cad. Saúde Coletiva. 2016;24(2):252-261.

Brasil. Ministério da Saúde. Humanização do parto e do nascimento. Brasília: Ministério da Saúde. 2014. 465p. Disponível em: URL: .

Lima LR. Relação do perfil do acompanhamento nas consultas de pré-natal com os desfechos maternos e perinatais. 2017. 97 f. Dissertação (Mestrado em Saúde Pública) - Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2017.

Rocha CA, Andrade SG. Atenção da equipe de enfermagem durante o pré-natal: Percepção das gestantes atendidas na rede básica de Itapuranga – go em diferentes contextos sociais. Revista Enfermagem contemporênea. Goiás- GO, 2017.

Rodrigues IR, Rodrigues DP, Ferreira MA, Pereira MLD, Barbosa EMG. Elementos constituintes da consulta de enfermagem no pré-natal na ótica de gestantes. Revista Rene. 2016;17(6): 774-81.

Duarte SJH, Almeida EP. O papel do enfermeiro do programa saúde da família no atendimento pré-natal. Rev. Enferm. Cent-Oeste Min. 2014;4(1):1029-35.

Rios CTF, Vieira NFC. Ações educativas no pré-natal: reflexão sobre a consulta de enfermagem como um espaço para educação em saúde. Ciênc. saúde coletiva. 2007;12(2): 477-486.

Tostes NA, Seidl EMF. Expectativas de gestantes sobre o parto e suas percepções acerca da preparação para o parto. Temas psicol. 2016;24(2):681-693.

Silva ACL, Felix HCR, Ferreira MBG, Wysocki AD, Contim D, Ruiz MT. Preferência pelo tipo de parto, fatores associados a expectativa e satisfação com o parto. Rev. Eletr. Enf. 2017; 19:1-11.

Zanatta E, Pereira CRR, Alves APA. Experiência da maternidade pela primeira vez: as mudanças vivenciadas no tornar-se mãe. Pesqui. prát. Psicossociais. 2018; 13(1):1-16.

Leal MC, Gama SGN. Nascer no Brasil. Cad. Saúde Pública. 2014; 30(1). Disponível em: URL: .

FEBRASGO. Manual de gestação de alto risco. Comissões nacionais especializadas de ginecologia e obstetrícia, 2011.

Haddad SEMT, Cececatti JG. Estratégias dirigidas aos profissionais para a redução das cesáreas desnecessárias no Brasil. Rev. Bras. Ginecol. Obstet. 2011;33(5):252-262.

Giraldi A, Zorzetto R. Antes da hora. Cesarianas contribuem para o nascimento de bebês imaturos. Revista Pesquisa FAPESP. Ed. 228, p. 20, 2015.

Souza MT, Silva MD, Carvalho R. Revisão integrativa: o que é e como fazer. Einstein. 2010;8(1 Pt 1):102-06.

Brasil. Lei no. 9.610, de 19 de fevereiro de 1998. Altera, atualiza e consolida a legislação sobre direitos autorais e dá outras providências. Diário Oficial [da República Federativa do Brasil], Brasília [online], 20 fev. 1998.

Pires D, Fertonani HP, Conill EM, Matos TA, Cordova FP, Mazur CS. A influência da assistência profissional em saúde na escolha do tipo de parto: um olhar sócio antropológico na saúde suplementar brasileira. Rev. Bras. Saude Mater. Infant. 2010; 10(2):191-197.

Velho MB, Santos EKA, Collaço VS. Parto normal e cesárea: representações sociais de mulheres que os vivenciaram. Rev Bras Enferm. 2014;67(2): 282-9.

Pinheiro BC, Bittar CML. Expectativas, percepções e experiências sobre o parto normal: relato de um grupo de mulheres. Fractal, Rev. Psicol. 2013; 25(3):585-602.

Mandarino NR, Chein CBM, Junior MCF, Brito OML, Lamy CZ, Nina SJV, Mochel GE, Neto FAJ. Aspectos relacionados à escolha do tipo de parto: um estudo comparativo entre uma maternidade pública e outra privada, em São Luís, Maranhão, Brasil. Cad. Saúde Pública. 2009;25(7):1587-1596.

Martins APC, Jesus NVM, Junior PPP, Passos MC. Aspectos que influenciam a tomada de decisão da mulher sobre o tipo de parto. Rev. baiana enferm. 2018;32.

Silva SPC, Prates RCG, Campelo BQA. Parto normal ou cesariana? Fatores que influenciam na escolha da gestante. Rev Enferm UFSM. 2014;4(1):1-9

Rezende JF, Montenegro CAB. Obstetrícia fundamental. 12ª edição. Rio de Janeiro: Guanabara-Koogan, 2011.

Oliveira CE, Barbosa MS, Melo PES. A importância do acompanhamento pré-natal realizados por enfermeiros. Revista Científica FacMais. 2016;7(3):25-38.

Carvalho SS, Oliveira BR, Bezerra ISA. Importância das orientações sobre trabalho de parto nas consultas de pré-natal: revisão de literatura. Rev. Educ. Saúde 2019;7(2):142-150.

Weidle WG, Medeiros CRG, Grave MTQ, Bosco SMD. Escolha da via de parto pela mulher: autonomia ou indução?. Cad. saúde colet. 2014;22(1):46-53.

Leister N, Riesco MLG. Assistência ao parto: história oral de mulheres que deram à luz nas décadas de 1940 a 1980. Texto contexto - enferm. 2013;22(1):166-174

Ministério da Saúde. Parto, aborto e puerpério: assistência humanizada à mulher. Brasília: Ministério da Saúde; 2001.

Nucci M, Nakano AR, Teixeira LA. Ocitocina sintética e a aceleração do parto: reflexões sobre a síntese e o início do uso da ocitocina em obstetrícia no Brasil. História, Ciências, Saúde. 2018;25(4):979-998.

Cardoso PO, Alberti LR, Petroianu A. Morbidade neonatal e maternas relacionada ao tipo de parto. Revista Ciência & Saúde Coletiva. 2010;15(2).

Domingues RM, Soares M, Dias MAB, Pereira MN, Torres JA, Orsi E, Pereira APE, Schilithz AOC, Leal MC. Processo de decisão pelo tipo de parto no Brasil: da preferência inicial das mulheres à via de parto final. Cad. Saúde Pública. 2014;30(1):101-116.

Feitosa RMM, Pereira RD, Souza TJCP, Freitas RJM, Cabral SAR, Souza LFF. Factors that influence the choice of birth type regarding the perception of puerperal women. Rev Fund Care Online. 2017; 9(3):717-726.

Gama AS, Giffin KM, Angulo-Tuesta A, Barbosa GP, d’Orsi E. Representações e experiências das mulheres sobre a assistência ao parto vaginal e cesárea em maternidades pública e privada. Cad. Saúde Pública. 2009;25(11):2480-2488.

Kottwitz F, Gouveia HG, Goncalves AC. Via de parto preferida por puérperas e suas motivações. Esc. Anna Nery. 2018;22(1).

Nascimento RRP, Arantes LS, Souza CDE, Contrera L, Sales APA. Escolha do tipo de parto: fatores relatados por puérperas. Rev. Gaúcha Enferm. 2015;36:119-126.




DOI: https://doi.org/10.13037/ras.vol18n63.6315

Indexadores: