INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS POTENCIAIS EM PACIENTES HOSPITALIZADOS

Autores

DOI:

https://doi.org/10.13037/ras.vol18n63.6248

Palavras-chave:

Interações medicamentosas, Medicamentos, Hospital, Sistema Nervoso, Anti-Hipertensivos

Resumo

Introdução: No ambiente hospitalar é comum para a prática clínica o uso de muitos medicamentos, o que leva um risco da ocorrência de potenciais interações medicamentosas. Objetivo: Descrever as interações medicamentosas potenciais nas prescrições de unidades de internação hospitalar. Métodos: Trata-se de um estudo quantitativo, transversal, descritivo realizado em unidades de internação clínica e cirúrgica de um hospital privado. Os dados dos medicamentos foram coletados a partir do prontuário e classificados pela Anatomical Therapeutic Chemical. As interações medicamentosas potenciais foram checadas no software Micromedex. Resultados: A amostra foi constituída por 612 indivíduos, 324 pacientes cirúrgicos e 288 clínicos. Houve predomínio do sexo feminino, idade média de 55 anos com variação de 18 a 100 anos, 29,1% possuíam ensino fundamental incompleto, 96,2% da raça branca e 62,4% casados. O medicamento mais prescrito foi a morfina, seguida do enalapril. As interações medicamentosas classificadas como graves totalizaram 54,8%. Os fatores associados com apresentar interações medicamentosas foram: apresentar hipertensão, uso de anti-hipertensivos, em especial as classes farmacológicas beta-bloqueadores e inibidores da ECA; uso de psicoanalépticos, psicoléptico e corticoides sistêmicos. Conclusões: No presente estudo, a potencial interação medicamentosa mais frequente foi entre a morfina e o tramadol, a média de interações medicamentosas foi de 3,6±4,9/paciente. Destacou-se a necessidade da avaliação do uso de medicamentos durante a internação hospitalar e suas potenciais interações medicamentosas, visando minimizar os riscos relacionados ao uso de medicamentos e aumentando a segurança do paciente internado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Aniele Aparecida Petri, Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul – UNIJUÍ

Graduada em Farmácia da Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul – UNIJUÍ

Aline Schneider, Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul – UNIJUÍ

Mestranda pelo Programa Atenção Integral à Saúde UNIJUI/UNICRUZ

Karine Raquel Uhdich Kleibert, Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul – UNIJUÍ

Acadêmica do curso de Farmácia e Bolsista de iniciação cientifica, da Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul – UNIJUÍ

Vivian Lemes Lobo Bittencourt, Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões -URI, Santo Ângelo

Mestre - Docente da Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões -URI, Santo Ângelo

Eliane Roseli Winkelmann, Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul - UNIJUÍ

Doutora, Docente do departamento de Ciências da vida da Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul - UNIJUÍ

Christiane de Fátima Colet, Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul - Unijuí

Doutora em Ciências Farmacêuticas - UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL - UFRGS. Professora do DCVIDA - Departamento Ciências da Vida - Unijuí

Referências

SILVA, N.M.O. et al. Avaliação de potenciais interações medicamentosas em prescrições de pacientes internadas, em hospital público universitário especializado em saúde da mulher, em Campinas-SP. Revista de Ciências Farmacêuticas Básica e Aplicada. 2010;31(2):171-176.

PEREIRA, G.J.S. et al. Estudo de utilização de medicamentos na clínica médica. Rev. Bras. Farm. 2008;3(89):267-71.

PINTO, I.V.L.; CASTRO, M.S.; REIS, A.M.M. Descrição da atuação do farmacêutico em equipe multiprofissional com ênfase no cuidado ao idoso hospitalizado. Rev. Bras. Geriatr. Gerontol., Rio de Janeiro. 2013;4(16):747-758.

DANTAS, M.; SANTOS, V. Implicações da polifarmácia em idosos e a contribuição da assistência farmacêutica. Leituras: Educação Física e Esportes [Internet]. 2018. 23 (240):87-9.

FERREIRA, S.F. et al. Avaliação de interações medicamentosas em prescrições de pacientes hospitalizados. Revista Racine.2006;16(94):67-70.

CEDRAZ, K.N.; SANTOS, J.M.C. Identificação e caracterização de interações medicamentosas em prescrições médicas da unidade de terapia intensiva de um hospital público da cidade de Feira de Santana, BA. Rev Soc Bras Clin Med. 2014;12(2):124-30.

SANTOS, M.H.B.A. Análise de interações medicamentosas potenciais e de eventos adversos a medicamentos em uma unidade de terapia intensiva. Tese (Mestrado em Epidemiologia em Saúde Pública) - Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, na Fundação Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro, p. 60, 2017.

SANTOS, M.T. Variáveis associadas a risco de incompatibilidades medicamentosas em prescrições de crianças e adolescentes portadores de neoplasia. Tese (Mestrado em Saúde da Criança e do Adolescente) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, p. 5, 2017.

CORRER, C.J. et al. Riscos de problemas relacionados com medicamentos em pacientes de uma instituição geriátrica. Rev Bras Ciênc Farm. 2007;1(43):55-62.

BITTENCOURT, V.L.L. et al. Factors associated with the risk of falls in hospitalized adult patients. Rev Esc Enferm USP. 2017;51:e03237. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S1980-220X2016037403237

WHO Collaborating Centre for Drug Statistics Methodology, ATC/DDD Index. [Última atualização 2009 dez 14; acesso em 2018 set 10]. Disponível em: https://www.whocc.no/atc_ddd_index/

Micromedex (r) Healthcare Series [Internet]. Greenwood Vilage: Thomson Healthcare; 2016 [acesso em 2018 out 22]. Disponível em: www.micromedex.com

PORTO C.C. et al. Interação medicamentosa. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2010.

PASSOS M.M.B. et al. Interações medicamentosas em pacientes internados na clínica médica de um hospital de ensino e fatores associados. Rev. Bras. Farm. 2012; 93(4):450-456.

BLEICH G.W. et al. Frequency of potential interactions between drugs in medical prescriptions in a city in southern Brazil. São Paulo Medical Journal. 2009;127(4);206-210.

CRUCIOL-SOUZA J.M.; THOMSON J.C. Prevalence of potential drug-drug interactions and its associated factors in a Brazilian teaching hospital. J Pharm Pharm Sci. 2006; 9(3):427-433.

SILVA U.D.A. et al. Interações medicamentosas e consequentes intervenções farmacêuticas na Unidade de Terapia Intensiva de um hospital privado em Macapá, Amapá. Vigil. sanit. Debate. 2018;6(2):29-37.

GONÇALVES S.S. et al. Ocorrência clínica de interações medicamentosas em prescrições de pacientes com suspeita de reação adversa internados em um hospital no interior da Bahia. Revista de Atenção à Saúde. 2016;14(48), 32-39.

Melo DO. Avaliação das interações potenciais para pacientes internados na clínica médica do hospital universitário da USP visando à elaboração de instrumento para identificação de eventos adversos a medicamentos evitáveis. Tese (Doutorado em Fármaco e Medicamentos) - Faculdade de Ciências Farmacêuticas, Universidade de São Paulo, p. 49, 2010.

MOREIRA M.B. et al. Potential intravenous drug interactions in intensive care. Rev Esc Enferm USP. 2017;51:e03233. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S1980-220X2016034803233

MOURA C.S.; RIBEIRO A.Q.; MAGALHÃES S.S. Avaliação de interações medicamentosas potenciais em prescrições médicas do Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Minas Gerais (Brasil). Latin american journal of pharmacy. 2007; 26(4):596-601.

LOCATELLI J. Interações medicamentosas em idosos hospitalizados. Rev. Einstein On Line, 2007; 5(4):343-346.

VONBACH P. et al. Prevalence of drug-drug interactions at hospital entry and during hospital stay of patients in internal medicine. Eur J Intern Med. 2008; 19(6):413-420.

PIVATTO F.P. et al. Potenciais interações medicamentosas em prescrições de um hospital-escola de Porto Alegre. Rev Assoc Med Rio Grande Do Sul. 2009; 53(3): 251-6.

Faria C.D.O. et al. Interações Medicamentosas na Farmacoterapia de Idosos com Câncer atendidos em um Ambulatório de Onco-Hematologia. Rev. bras. Cancerol. 2018;64(1):61-68.

MARSILIO N.R.; SILVA D.S.; BUENO D.B. Incompatibilidades medicamentosas em centro de tratamento intensivo adulto de um hospital universitário. Revista brasileira de terapia intensiva. 2016;28(2):147-153.

CARVALHO R.E.F.L. et al. Prevalência de interações medicamentosas em unidades de terapia intensiva no Brasil. Acta Paul Enferm. 2013;2(26):150-157.

NEVES, C; COLET, C. Perfil de uso de antimicrobianos e suas interações medicamentosas em uma UTI adulto do Rio Grande do Sul. Revista de Epidemiologia e Controle de Infecção. 2015;5(2):65-71.

MIRANDA T.M.M. et al. (2012). Intervenções realizadas pelo farmacêutico clínico na unidade de primeiro atendimento. Einstein (São Paulo). 2012;10(1):74-78.

Downloads

Publicado

24-03-2020

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)