Redes de Aquilombamento Contra a COVID-19: uma análise das estratégias de coletivos populares na Grande Recife

Aquilombamento Nets against COVID-19: an analysis of the strategies of popular collectives in Greater Recife

Autores

Palavras-chave:

pandemia, experiência, quilombismo, narrativas, comunicação

Resumo

Esse artigo analisa modos de articulação periféricas na Região Metropolitana do Recife que se organizaram para estabelecer estratégias de sobrevivência às ameaças produzidas pela pandemia da Covid-19. Sugiro que essa rede possui elementos da prática quilombista e desenvolve atividades educacionais não escolares com tecnologias digitais direcionadas às populações desses territórios. Para análise de conteúdos e dinâmicas, lanço mão da noção de experiência desenvolvida por Jorge Larossa e o próprio conceito de quilombismo, de Abdias Nascimento.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luiz Carlos Pinto da Costa, Universidade Catòlica de Pernambuco

Professor de disciplinas do curso de Jornalismo da Universidade Católica de Pernambuco (Unicap), lecionando Sociologia da Comunicação, Teoria da Comunicação, Antropologia Urbana, Jornalismo Multimídia Especializado em Economia e Política do Brasil, Redação Jornalística e Técnicas de Reportagem. Também é professor pesquisador no Mestrado em Indústrias Criativas da UNICAP, onde desenvolve investigações sobre a relação entre processos criativos, cultura, identidade e metodologias abertas de aprendizado.

Referências

AGAMBEN, Giorgio. O que é o contemporâneo? e outros ensaios. Chapecó: Editora Argos, 2009.

ALVES, Karina; MESQUITA, Rui; ANTUNES, Thiago. Falar é fôlego, obrar é sustança: imagem e visualidade como relação na política. Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental do Rio Grande, Dossiê temático “Imagens: resistências e criações cotidianas”, p. 469-486, jun. 2020.

ASANTE, Molefi Kete. Afrocentralidade: notas sobre uma posição disciplinar, in.: NASCIMENTO, Elisa Larkin (Org.). Afrocenricidade – Uma abordagem epistemológica inovadora. São Paulo: Selo Negro, 2009.

BELELI, I. O imperativo das imagens: construção de afinidades nas mídias digitais. Cadernos Pagu, v. 44, 91-114, 2015

BRASIL, André. Formas de vida na imagem: da indeterminação à inconstância. Revista Famecos, Porto Alegre, v. 17, n3, p.190-198, 2010.

BRUNO, Fernanda. Máquinas de ver, modos de ser: visibilidade e subjetividade nas novas tecnologias de informação e de comunicação. Revista Famecos, Porto Alegre, n. 24, p. 110 - 124, 2004.

BISPO, Nêgo. A influência das imagens na trajetória das comunidades tradicionais. In. VILELA, Bruno. Mundo, Imagem, Mundo – Caderno de reflexões sobre a fotografia. Belo Horizonte: Malagueta Produções, 2018.

LEITÃO, Débora; GOMES, Laura Graziela. Etnografia em ambientes digitais: perambulações, acompanhamentos e imersões. Revista Antropolítica, n. 42, p. 41-65, 2017.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. O que é a filosofia? São Paulo: Editora 34, 1992.

DELEUZE, Gilles. Diferença e repetição. Rio de Janeiro: Editora Graal, 2006.

DELEUZE, Gilles. Proust e os signos. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2003.

DIOP, Cheikh Anta. Antériorité des civilisations nègres : mythe ou vérité historique? Paris: Présence africaine, 1967.

GALLO, Silvio. As múltiplas dimensões do aprender... In: Congresso de Educação Básica - COEB: aprendizagem e currículo. Anais do... Florianópolis: COEB, 2012. Disponível em: <http://www.pmf.sc.gov.br/arquivos/arquivos/pdf/13_02_2012_10.54.50.a0ac3b8a140676ef8ae0dbf32e662762.pdf>. Acesso em: 15 Abril. 2020.

LATOUR, Bruno. Imaginar gestos que barrem a produção pré-crise. São Paulo: n-1 Edições, 2020. Disponível em: https://n-1edicoes.org/008-1. Acesso em: 29 de Julho de 2020.

LARIVIÈRE, V., SHU, F. and SUGIMOTO, C. O surto de coronavírus (COVID-19) ressalta sérias deficiências na comunicação científica [Publicado originalmente no LSE Impact Blog em março/2020] [online]. SciELO em Perspectiva, 2020 [viewed 29 July 2020]. Disponível em: https://blog.scielo.org/blog/2020/03/12/o-surto-de-coronavirus-covid-19-ressalta-serias-deficiencias-na-comunicacao-cientifica/ . Acessado em: 29 de Julho de 2020.

NASCIMENTO, Abdias. O Quilombismo, 1a. ed. São Paulo: Editora Perspectiva, 2019.

NUNES, João. A pandemia de Covid1-9: securitização, crise neoliberal e a vulnerabilização global. Cadernos de Saúde Pública. v. 36, n.5, 2020.

RANCIÉRE, Jacques. O desententendimento – Política e filosofia. São Paulo, Editora 34: 1996.

RUFINO, Luiz. Pedagogia das Encruzilhadas. Rio de Janeiro: Mórula Editorial, 2019.

SIMAS, Luiz Antônio; RUFINO, Luiz. Encantamento – sobre política de vida. Mórula Editorial: Rio de Janeiro, 2020.

Downloads

Publicado

03-11-2020

Edição

Seção

Dossiê Comunicação & Inovação em Tempos de Pandemia