PESQUISA SOBRE A PRÓPRIA PRATICA: CRIAÇÃO DE JOGOS DE TABULEIRO NAS AULAS DE MATEMÁTICA

Leandro Magalhães Peixoto, Douglas da Silva Tinti

Resumo


O presente artigo enquadra-se na perspectiva qualitativa da pesquisa sobre a própria prática (FIORENTINI, 2003, PONTE; 2002) e tem por objetivo investigar as contribuições da criação de jogos para a aprendizagem matemática de alunos do 8º ano do Ensino Fundamental. A proposta de trabalho com jogos emergiu da reflexão sobre a própria prática, em que se constatou o pouco envolvimento dos alunos com as tarefas matemáticas propostas para serem resolvidas fora do ambiente escolar. Desse modo, foram propostas oficinas de construção de jogos matemáticos objetivando despertar nos alunos um maior interesse pelo objeto matemático estudado e, consequentemente, promover aprendizagens. Como resultados, foi possível identificar que alunos que apresentavam maior dificuldade nas aulas de matemática demonstraram maior aproveitando estudando em um ambiente adverso ao convencional e que, ainda, as oficinas de construção de jogos despertou nos alunos um maior interesse em relação a matemática. Observamos também que, diante de um cenário de competição, os alunos resolveram muitas questões matemáticas com certa facilidade, acreditamos que isso esteja relacionado ao fato de que não se sentiam obrigados a fazerem, pelo contrário, eram nítidos o desafio e a motivação em solucioná-las e, assim, vencer o jogo.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.13037/rea-e.vol3n5.4963

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Indexadores de que a REAe faz parte: 

BBE: http://pergamum.inep.gov.br/pergamum/biblioteca/

CZ3 : http://ezb.uni-regensburg.de/

DIADORIN: diadorim.ibict.br/

Google Scholar: https://scholar.google.com.br/scholar

IRESIE: iresie.unam.mx/

LATINDEX:http://www.latindex.org/latindex/inicio

LiVre - http://livre.cnen.gov.br/Inicial.asp

SUMARIOS: https://sumarios.org

 

 

      

 

 

A REAe utiliza o software iThenticate para detecção e prevenção de plágio.