A Maturidade Inovadora das Empresas da Rede de Pedras Preciosas de Ametista do Sul

Luciana Aparecida Barbieri da Rosa, Jordana Marques Kneipp, Roberto Schoproni Bichueti, Clandia Maffini Gomes, Oracelia Albiero Cesaro, Magda Regina Ortigara

Resumo


Este trabalho se propõe a analisar a maturidade inovadora de microempresas do setor de mineração de Ametista do Sul. Para tanto, foi utilizada uma metodologia baseada em 12 dimensões da inovação descritas por Mohanbir Sawhney, da Kellongg School of Management (EUA), que permite avaliar o grau de maturidade inovadora das organizações de pequeno porte.. Para a medição objetiva do grau de inovação, foram analisadas escalas clássicas, reduzidas a três situações, para classificar as empresas em “pouco ou nada inovadoras”, “inovadoras ocasionais” e “inovadoras sistêmicas”. Para o desenvolvimento da metodologia foi feita uma pesquisa bibliográfica, cobrindo os conceitos da inovação, do processo de inovação e dos mecanismos em uso para a sua avaliação e abordagem qualitativa. Os resultados evidenciaram que as empresas em relação à oferta de novos produtos, lançaram novos produtos nos últimos três anos. Quanto a sua plataforma por utilizar somente a pedra como matéria-prima os produtos finais tem pouca variação. Nota-se uma pequena mudança dessas empresas trabalharem em redes de cooperação. Concluiu-se através da metodologia proposta, que as empresas pesquisadas podem ser classificadas com “inovativas ocasionais”.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.13037/gr.vol29n85.1794

 

Indexadores de que a G&R faz parte:


   DOAJ OAIster OCLC Ulrich LiVre Redalyc  SUMARIOS.org LatindexProquest

A G&R utiliza o                software  iThenticate para detecção e  prevenção de plágio 
 

    
 
 
 
A G&R é signatária da Declaração        de São Francisco sobre Avaliação        de Pesquisa- Dora