A Lei Sarbanes-Oxley e a percepção dos gestores sobre as competências do auditor interno

Autores

  • Eduardo Carmona Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado - FECAP
  • Anísio Candido Pereira Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado - FECAP
  • Mario Roberto dos Santos Fundação Escola de Comércio Alvares Penteado - FECAP

DOI:

https://doi.org/10.13037/gr.vol26n76.207

Resumo

O objetivo deste trabalho é analisar as competências para atender às mudanças ocorridas no mercado segurador após a Lei Sarbanes-Oxley, bem como identificar quais são as mais requeridas do auditor interno atuante no mercado segurador e verificar a percepção dos gestores sobre o grau de importância relativo das competências. Foi realizado um levantamento bibliográfico que detectou as competências; depois, um grupo de foco integrado por profissionais de auditoria delimitou-as em 18 como sendo específicas do auditor interno. Posteriormente, foi elaborado um questionário, com 12 competências dentre as apresentadas pelo grupo de foco, obtendo-se 105 respostas. Identificaram-se as mais importantes: conhecimento da Lei Sarbanes- Oxley e domínio dos conceitos da metodologia de auditoria, bem como conhecimento dos conceitos do Coso. Tem-se como resultado desta pesquisa que os impactos gerados pela Lei Sarbanes-Oxley influíram diretamente na execução das atividades de auditoria interna em companhias de seguros. Palavras-chave: competências do auditor interno; governança corporativa; mercado segurador.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Eduardo Carmona, Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado - FECAP

Mestre em Ciências Contábeis

Anísio Candido Pereira, Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado - FECAP

Professor Doutor do curso mestrado de Ciências Contábeis da Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado - FECAP

Mario Roberto dos Santos, Fundação Escola de Comércio Alvares Penteado - FECAP

Mestre em Ciências Contábeis

Downloads

Publicado

28-04-2010