A HETEROGENEIDADE DA ESTRUTURA DE CAPITAL DAS EMPRESAS DOS PAÍSES DESENVOLVIDOS – G7: UMA ANÁLISE QUANTÍLICA

Autores

  • Edilson dos Santos Silva
  • Joséte Florencio dos Santos
  • Wilson Toshiro Nakamura

DOI:

https://doi.org/10.13037/gr.vol34n100.3537

Resumo

Nas últimas décadas os estudos cross-country se destacaram por tentar verificar os determinantes da estrutura de capital nos mais diversos países. Entretanto, vale ressaltar que, em tempos de crise e recessão, as decisões de financiamento ganham uma maior importância, visto que os recursos no mercado financeiro podem ficar mais escassos, o que pode impactar nos possíveis investimentos e nas atividades de produção das empresas. Este trabalho teve como objetivo verificar se as empresas dos principais países desenvolvidos (países integrantes do G7) mantêm suas estruturas de capital mediante o cenário de crise. A técnica econométrica chamada regressão quantílica foi utilizada como principal ferramenta de análise, uma vez que suas características permitem uma leitura mais detalhada dos dados, considerando a heterogeneidade das empresas. Os principais resultados apontam para estratégias de financiamento distintas entre as empresas dos países analisados, influenciadas pelo contexto de crise econômica mundial.

Palavras-chave: Países desenvolvidos; Pecking order; Trade-off; crise.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Edilson dos Santos Silva

Doutor em Administração pela Universidade Federal de Pernambuco, Recife (PE), Brasil

Joséte Florencio dos Santos

Doutora em Administração pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro (RJ), Brasil

Wilson Toshiro Nakamura

Doutor em Administração pela Universidade de São Paulo, São Paulo (SP), Brasil

Downloads

Publicado

01-03-2018