NÍVEL DE ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA DE ESTUDANTES UNIVERSITÁRIOS DA ÁREA DE SAÚDE

Raquel Simões Mendes-Netto, Camilla Santos da Silva, Dayanne Costa, Oscar Felipe Falcão Raposo

Resumo


Introdução: A atividade física apropriada à condição de cada indivíduo e a dedicação ao lazer não sedentário são comportamentos saudáveis que influenciam na qualidade de vida. O presente estudo constitui uma pesquisa transversal. Objetivo: Identificar as relações entre qualidade de vida, estado nutricional e atividade física de acadêmicos da área de saúde de uma universidade pública no nordeste. Metodologia: A amostra foi constituída por 352 estudantes, sendo 242 mulheres. Mensuraram-se o nível de atividade física (AF) através do IPAQ versão curta (Questionário Internacional de Atividade Física) e a qualidade de vida (QV) por intermédio do WHOQOL-bref. Resultados: Foram encontradas médias altas de indicador de QV para ambos os gêneros, exceto para o domínio psicológico. A maioria da amostra foi classificada como ativa, sendo as mulheres com menor nível de atividade física. Atividades físicas com maior frequência e intensidade implicaram em melhores escores na qualidade de vida nos aspectos físicos e psicológicos. Porém, apenas entre as estudantes o aumento do peso corporal resultou na diminuição nos escores de indicador de qualidade de vida geral e do aspecto psicológico. Conclusão: Estes resultados demonstram a necessidade de estratégias para o incentivo da prática de atividade física no âmbito universitário

Palavras-chave


Educação Física, Nutrição, Medicina

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.13037/rbcs.vol10n34.1802

Indexadores: