COMO A RESTRIÇÃO NA HABILIDADE DE NADAR (OCLUSÃO DOS ÓCULOS) PODE INFLUENCIAR A PERCEPÇÃO HOW THE RESTRICTION ON THE ABILITY TO SWIM (OCCLUSION OF GLASSES) CAN INFLUENCE THE PERCEPTION

Carlos Alexandre Felício Brito

Resumo


O objetivo deste estudo foi observar e compreender como a restrição na habilidade de nadar (oclusão dos

óculos) pode influenciar a percepção. A pesquisa se caracteriza como um estudo direto, sendo utilizada a

combinação da metodologia descritiva (quantitativa) e discursiva (qualitativa) sobre a situação-problema observada.

A amostra foi constituída por 11 voluntários, de ambos os sexos, todos em idade universitária.

Utilizou-se o cronômetro Seiko de cem memórias para registro do tempo percorrido nos 12,5m. Além disso,

toda a ação foi filmada (Sharp, modelo VL-AH131U, Hi 8, 14.345 MS, power zoom 16x). A perturbação na

sincronização do nadar foi realizada de maneira que a luz emitida na retina configurava-se de acordo com o

nível de complexidade. A complexidade seguiu a lógica da restrição da luz por meio da oclusão dos óculos de

natação (utilizou-se papel para a realização do experimento). Cada nadador experimentou cerca de dez tentativas

em ritmo “tranquilo”. Ao final do experimento, todos responderam a um questionário estruturado com

perguntas abertas, e as mesmas foram analisadas segundo a técnica da análise de discurso, tendo como pressuposto

a teoria semiótica. Os resultados foram analisados pela correlação linear de Pearson (r) para verificação

da força tensional gerada no CAPn (campo atrativo perceptual do nadar), e a probabilidade aceita para este

estudo foi de 5% (p d” 0,05). Os resultados apresentaram uma correlação negativa significativa (r = – 0,4429;

Sy.x = 0,046; p < 0,0001) entre a aceleração (Ac = v/t2) dos nadadores e sua estratégia de nado (En = Fr/Am).

Quanto à representação simbólica descrita, após a sua ação, pode-se observar que há influência subjetiva deste

ambiente, independentemente da sua experiência. Acredita-se que há possibilidade de abordar o problema da

sincronização dando ênfase ao fenômeno da percepção na pedagogia do nadar, no campo profissional. Como o

nadador se encontra segregado e, ao mesmo tempo, unificado ao CAPn, poder-se-ia modificar o seu comportamento

e, portanto, interferir na sua auto-organização.


Palavras-chave


habilidade de nadar, restrição, percepção, sincronização, comportamento.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.13037/rbcs.vol7n19.333