A voz que pensa: vertentes vococêntricas do filme-ensaio

Rafael de Almeida, Ana Paula de Aquino Caixeta

Resumo


Avaliando a potência designada à voz em assumir o papel de materializadora da intenção reflexiva exigida pelo filme-ensaio, o presente artigo visa ponderar seus possíveis comportamentos dentro de tal domínio. Questiona-se o que aglutina os conceitos de voz metacrítica (RASCAROLI, 2009), voz heteroglóssica (LUPTON, 2011) e voz pneumática (SIEREK, 2007) fundados em torno à voz-over ensaística. Adensamos-nos em torno a noção de que três conceitos tão distintos de uma mesma voz denunciam seu caráter metamórfico e, desse modo, materializa o desejo de pensamento em fluxo.


Palavras-chave


Filme-ensaio; Voz; Voz-over ensaística

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.13037/ci.vol20n43.5710

Indexadores de que a C&I faz parte:

 

 

Latindex

Latindex

 

ISSN 2178-0145