A tragédia do AF 447 e as Revistas Brasileiras

Maria das Graças Targino, Alisson Dias Gomes

Resumo


O acidente da companhia aérea Air France, em 2009, ocupou espaço na mídia nacional e internacional, tanto pelo número elevado de vítimas (228) de 33 países como pelas discussões suscitadas quanto à segurança da aviação. As três revistas brasileiras semanais informativas de maior circulação, Veja, Época e IstoÉ, reproduziram o acontecimento em suas capas da edição após o acidente. Como o meio revista vem assumindo crescimento expressivo na mídia impressa e eletrônica, é objetivo deste paper analisar os discursos de capa das edições citadas, sob a perspectiva de análise do discurso referido por Norman Fairclough. Dentre os resultados, é evidente que os discursos das três capas se aproximam em alguns momentos, como no uso da cor azul e na introdução da imagem simbólica de uma aeronave e do uso quase excessivo de complementos gráficos, no caso específico de Veja e IstoÉ. O estudo confirma as premissas da AD, segundo as quais o discurso é, simultaneamente, texto, interação e prática social.

Palavras-chave


Análise do Discurso; Norman Fairclough; Revistas Brasileiras

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.13037/ci.vol10n19.897

Indexadores de que a C&I faz parte:

 

 

Latindex

Latindex

 

ISSN 2178-0145