Dismenorreia: Prevalência e efeito na qualidade de vida.

Autores

  • Juliana Cristina Frare Universidade Estadual do Oeste do Paraná
  • Aniele Tomadon Universidade Estadual do Oeste do Paraná
  • Joseane Rodrigues da Silva Universidade Estadual do Oeste do Paranã

DOI:

https://doi.org/10.13037/rbcs.vol12n39.2095

Palavras-chave:

Fisioterapia

Resumo

Introdução: Dismenorreia significa menstruação difícil e caracteriza-se como uma dor em região abdomino-pélvica, crônica e cíclica associada à menstruação, comumente chamada de cólica menstrual, que pode vir acompanhada de alguns sinais e sintomas específicos. É considerada uma das queixas ginecológicas mais comuns entre as mulheres. Objetivo: Avaliar a prevalência e intensidade de cólicas menstruais e determinar seu efeito no cotidiano relacionando-os com a qualidade de vida das alunas do curso de Fisioterapia da Universidade Estadual do Oeste do Paraná. Materiais e Métodos: Foram entregues dois questionários às acadêmicas do Curso de Fisioterapia da Unioeste, um com questões sócio pessoais e a escala visual analógica e outro relacionado à qualidade de vida, o Formulário Abreviado de Avaliação de Saúde 36(SF36). Após a coleta os dados foram lançados em uma planilha do Programa Excel 7.0 (Microsoft®), e posteriormente analisados em termos de frequências relativas e absolutas. Resultados: 112 acadêmicas participaram do estudo, com média de idade de 22,21 anos (± 2,11), destas 80 (71%) afirmaram ter dismenorreia. 34 (42%) acadêmicas referiram já ter faltado a algum compromisso devido à dismenorreia. Na avaliação de qualidade de vida pelo SF-36 o domínio “vitalidade” foi o mais comprometido com escore de 58,19 (±19,39). A média geral dos escores do SF-36 foi 71,41 (±17,89). Conclusão: A dismenorreia apresentou grande prevalência na população feminina estudada interferindo negativamente nas atividades cotidianas e qualidade de vida.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Juliana Cristina Frare, Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Professora titular da disciplina de Fisioterapia em Saúde da Mulher.

Centro de Ciências Biológicas e da Saúde

Aniele Tomadon, Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Joseane Rodrigues da Silva, Universidade Estadual do Oeste do Paranã

Downloads

Publicado

27-02-2014

Edição

Seção

ARTIGOS ORIGINAIS

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)