MATURAÇÃO SEXUAL E APTIDÃO FÍSICA DE ESCOLARES DE ILHABELA

Gerson Luis de Morais Ferrari, Rodrigo Mateus Farias, Tatiane Kosimenko Ferrari, Victor Keihan Rodrigues Matsudo

Resumo


Introdução: o desenvolvimento adequado das capacidades físicas está diretamente relacionado com uma melhor qualidade de vida em todas as fases da vida. Objetivo: verificar a associação entre a maturação sexual e a aptidão física de escolares de 7 a 18 anos do município de Ilhabela. Métodos: o estudo faz parte do Projeto Misto Longitudinal de Crescimento, Desenvolvimento e Aptidão Física de Ilhabela. Participaram do estudo 1.156 escolares de ambos os sexos de 7 a 18 anos de idade. As variáveis analisadas foram: massa corporal, estatura, adiposidade, força de membros inferiores e superiores, abdominal, flexibilidade, agilidade, velocidade, e aptidão cardiorespiratória. A maturação sexual foi realizada de acordo com o método de auto-avaliação dos pelos púbicos (P1 a P5). Foi feito a análise de regressão linear e ANOVA one way seguido do post hoc de Bonferroni. O nível de significância adotado foi p<0,05. Resultados: no sexo masculino, observou-se que o percentual de gordura corporal foi 11,4% maior em P1 (p=0,04) e 10,2% maior em P3 (p=0,01), comparado ao P5. As diferenças entre os estágios maturacionais ocorreram na flexibilidade (p=0,03), nos testes de abdominais (p=0,04) e na flexão de braços (p<0,01), entre P2 e P5. No sexo feminino, valores médios de aptidão cardiorrespiratória foram inferiores (p<0,01) para aquelas nos estágios finais de maturação. Conclusão: são necessários programas de intervenção para a promoção de níveis satisfatórios de aptidão física relacionada à saúde desses indivíduos, especialmente para os meninos nos primeiros estágios de maturação sexual e para as meninas nos estágios mais tardios.


Palavras-chave


Educação Física

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.13037/ras.vol13n45.2981

Indexadores: