Cateter central de inserção periférica: revisão sistemática

Autores

  • Cassiane Martins Centro Universitário Campos de Andrade – Curitiba (PR), Brasil
  • Gleidson Brandão Oselame Centro Universitário Campos de Andrade – Curitiba (PR), Brasil
  • Eduardo Borba Neves Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) – Curitiba (PR), Brasil

DOI:

https://doi.org/10.13037/ras.vol14n47.3358

Palavras-chave:

Enfermagem, Unidades de Terapia Intensiva, Cateteres, Obstrução do cateter

Resumo

Introdução: O Peripherally Inserted Central Venous Catheter (PICC) está entre os avanços tecnológicose terapêuticos em expansão na saúde. Ele apresenta a possibilidade de estabelecer terapia endovenosa deprolongada duração, com redução do número de punções e inserção na beira do leito por enfermeirohabilitado. Objetivo: Descrever o perfil predominante do paciente com uso do PICC, principaisdiagnósticos e especialidades médicas que fazem uso do cateter, condutas associadas, tempo médio depermanência e locais de inserção. Método: Revisão sistemática em banco de dados eletrônicos da LiteraturaLatino-Americana e do Caribe em Ciências de Saúde, Scientific Eletronic Library Online, Base de Dadosda Enfermagem e por meio do buscador Google Acadêmico. Resultados e Conclusões: Identificou-sea prevalência de indivíduos do sexo masculino, prematuros, baixo peso e com menos de 7 dias de vidano momento da inserção do PICC. As indicações foram administração de nutrição parenteral total,antibioticoterapia e medicações. Como complicações, o rompimento, obstrução, infecção, prematuridadee afecções respiratórias. A média de permanência do PICC foi 11,3 dias. De 19 estudos, 16 eram emneonatologia. As veias mais acessadas foram a basílica e cefálica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

16-02-2016

Edição

Seção

ARTIGOS DE REVISÃO