Violência contra crianças e adolescentes moradores de zona rural no Estado de Minas Gerais

Autores

Palavras-chave:

Maus-Tratos Infantis, Saúde da População Rural, Violência, Violência Doméstica, População Rural

Resumo

Introdução: Como grupo social mais frágil, crianças e adolescentes ficam expostos a diversas situações de violência, as quais são oriundas de inúmeros fatores. Como consequência destas agressões, o público infanto-juvenil carrega sequelas dos acontecimentos sofridos. Objetivo: Devido a isso, este estudo tem por objetivo descrever o padrão de violência sofrida por crianças e adolescentes moradoras de zonas rural, buscando atualizar a literatura em função de políticas públicas e ações da comunidade que podem se basear em um estudo como este. Materiais e Métodos: Trata-se de um estudo epidemiológico observacional descritivo, com dados coletados secundariamente, do período de janeiro de 2007 a dezembro de 2017, em crianças e adolescentes de 0 a 11 anos. Resultados: Observou-se 2282 casos de violência infanto-juvenil nestes 10 anos, onde as vítimas mais frequentes foram: 1309 do sexo feminino (57,36%), 398 menores de 01 ano (17,44%) e 1314 de raça negra (57,58%) – constituída por pretos e pardos -sendo acometidas principalmente na face (19,39%) e posteriormente na região íntima (17,47%). O agressor era, em 1304 casos, do sexo masculino (57,14%), e atuava predominantemente na casa da vítima (71%). Conclusões: Se faz necessário a implementação de novas políticas públicas que visam reduzir a vulnerabilidade do público em questão, bem como extinguir todos os fatores contribuintes para ocorrência desta violência.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gustavo Cunha Fernandes

Gustavo Cunha Fernandes

gustavoobj2@gmail.com

Código ORCID: https://orcid.org/0000-0002-8608-7455

Formação Profissional: Estudante de Medicina da Universidade Federal de Uberlândia (UFU), Uberlândia, MG, Brasil

Filiação Institucional: Universidade Federal de Uberlândia

Telefone: (34) 99190-8321

Link para o currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/7368239768992573

 

João Vitor Rodrigues Costa

João Vitor Rodrigues Costa
joaovitor.med2017@gmail.com
Código ORCID: https://orcid.org/0000-0002-0069-384
Formação Profissional: Estudante de Medicina da Universidade Federal de Uberlândia (UFU), Uberlândia, MG, Brasil
Filiação Institucional: Universidade Federal de Uberlândia
Telefone: (34) 99964-0400
Link para o currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/5204744233693934

Carla Jaciara Baraúna de Oliveira

Carla Jaciara Baraúna de Oliveira
carlamedicine@gmail.com
Código ORCID: https://orcid.org/0000-0003-0025-6332
Formação Profissional: Estudante de Medicina da Universidade Federal de Uberlândia (UFU), Uberlândia, MG, Brasil
Filiação Institucional: Universidade Federal de Uberlândia
Telefone: (34) 99169-3846
Link para o currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/4009341756043750

Thaisa Rodrigues Nascimento de Oliveira

Thaisa Rodrigues Nascimento de Oliveira

thaisarodriguesn@hotmail.com

Código ORCID: https://orcid.org/0000-0002-6555-1175

Formação Profissional: Estudante do Curso de Nutrição da Universidade Federal de Uberlândia (UFU), Uberlândia, MG, Brasil

Filiação Institucional: Universidade Federal de Uberlândia

Telefone: (34) 99928-3978

Link para o currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/4801441301287841

Thamiris de Souza Vieira, T

hamiris de Souza Vieira
thamiris31@hotmail.com
Código ORCID: https://orcid.org/0000-0002-6583-6453
Formação Profissional: Estudante de Nutrição da Universidade Federal de Uberlândia (UFU), Uberlândia, MG, Brasil
Filiação Institucional: Universidade Federal de Uberlândia
Telefone: (34) 99164-4320
Link para o currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/2953709587091810

Paula Monikee Rezende Alves

Paula Monikee Rezende Alves
paulamonikee@live.com
Código ORCID: https://orcid.org/0000-0002-5299-0304
Formação Profissional: Estudante de Psicologia da Universidade Federal de Uberlândia (UFU), Uberlândia, MG, Brasil
Filiação Institucional: Universidade Federal de Uberlândia
Telefone: (34) 99197-7123
Link para o currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/3756789879515244

Caio Augusto de Lima

Caio Augusto de Lima

caioaugustodelima@yahoo.com.br

Código ORCID: https://orcid.org/0000-0002-0130-6998

Formação Profissional: Graduado em Enfermagem pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU), Uberlândia, MG, Brasil

Filiação Institucional: Universidade Federal de Uberlândia

Telefone: (34) 99100-2777

Link para o currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/0199832764042667

Katricia Beatriz Barbosa

Katricia Beatriz Barbosa

katriciabarbosa34@gmail.com

Código ORCID: https://orcid.org/0000-0002-7490-8519

Formação Profissional: Graduada em Odontologia e Estudante de Medicina da Universidade Federal de Uberlândia (UFU), Uberlândia, MG, Brasil

Filiação Institucional: Universidade Federal de Uberlândia

Telefone: (34) 99699-3373

Link para o currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/4531348196044891

Henrique Cardoso Marcene

Henrique Cardoso Marcene

Código ORCID: https://orcid.org/0000-0001-7003-1548

Formação Profissional: Médico de Saúde da Família e Comunidade pela SBMFC

Filiação Institucional: Universidade Federal de Uberlândia

E-mail: henrique.marcene@yahoo.com.br                                                                                      

Telefone: (34) 99136-1364

Link para o currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/5321329271220739

Stefan Vilges de Oliveira

Stefan Vilges de Oliveira

Código ORCID: https://orcid.org/0000-0002-5493-2765

Formação Profissional: Doutor em Medicina Tropical pela Universidade de Brasília (UNB), Brasília, DF, Brasil

Filiação Institucional: Universidade Federal de Uberlândia

E-mail: stefan@ufu.br                                                                                      

Telefone: (34) 99233-1818

Link para o currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/8869553181466970

Referências

-Moreschi, M.T. Violência contra crianças e adolescentes: Análise de cenários e propostas de políticas públicas. Ministério dos Direitos Humanos. Secretária Nacional de Proteção dos Direitos e Propostas de Políticas Públicas. Brasília, 2018. [Acesso em: 23 mar 2020]. Disponível em:https://www.mdh.gov.br/biblioteca/consultorias/conada/violencia-contra-criancas-eadolescentes-analise-de-cenarios-e-propostas-de-politicas-publicas.pdf.

-Organización Mundial de La Salud-OMS. Organización panamericana de la salud-OPAS. Prevención de la violência: la evidência. 2013 [Acesso em 23 Mar 2020]. Disponível: http://apps.who.int/iris/bitstream/10665/85671/1/9789275317488_spa.pdf.

-UNICEF. Situação Mundial da Criança: crianças em um mundo Urbano Brasília, DF: UNICEF. 2012 [Acesso em 14 Nov, 2019]. Disponível em: https://www.unicef.org/brazil/pt/PT-BR_SOWC_2012.pdf.

-World Health Organization – WHO. World report on violence and health. 2002. [Acesso em 14 Nov, 2019]. Disponível em: http://apps.who.int/iris/bitstream/10665/42495/1/9241545615_eng.pdf.

-Krug, E.G.; Mercy, J.A.; Dahlberg, L.L.; Zwi, A.B. The world report on violence and health. The lancet. 2002; 360(9339), 1083-1088.

-Safioti, H.I.B. A síndrome do pequeno poder. Crianças vitimizadas: a síndrome do pequeno poder.1989; 2. ed. São Paulo, Iglu editora. 13-21.

-Minayo, M.C.d.S. Violence against children and adolescents: a social and a health problem. Revista Brasileira de Saúde Materno Infantil. 2001:1 (2): 91-102.

-Mascarenhas, M.D.M; Malta, D.C; Silva, M.M.A; Lima, C.M; Carvalho, M.G.O; Oliveira, V.L.A. Violência contra a criança: revelando o perfil dos atendimentos em serviços de emergência, Brasil, 2006 e 2007. Cadernos de Saúde Pública. 2010; 26(2):347-357.

-ECA, Estatuto da Criança e do Adolescente. Lei nº 8.069/90 de 13 de julho de 1990. [Acesso em 23 de Mar, 2020] Disponível em http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l8069.htm.

-Soler, Salvador. Crianças e Adolescentes em Situação de Rua – uma leitura de metodologias e procedimentos de monitoramento e avaliação utilizados no Brasil. UNICEF, Recife, 2000.

-Costa, M.C.; Lopes, M.J.; Santos, J.F. Violence against rural women: gender and health actions. Esc. Anna Nery Rev Enferm. 2015; 19(1):162-8.

-Vieira, M.S. A interface entre a violência sexual contra crianças e adolescentes e a violência de gênero: notas críticas acerca do cenário do município de Porto Alegre. Marg Interdiscipl. 2015; 9(12):254-69.

-Andrade, J.O.; Castro, S.S.; Heitor S.F.D.; Andrade, W.P.; Atihe, C.C. Indicadores da violência contra a mulher proveniente das notificações dos serviços de saúde de minas gerais- Brasil. Texto Contexto Enfermagem. 2016; 25(3): 1-9.

- Brasil, IBGE. Censo Demográfico, 2010. [Acesso em: mar. de 2020]. Disponível em: www.ibge.gov.br.

-Cerqueira D.; De Lima R.S.; Bueno S.; et al. Atlas da Violência 2017. [Acesso em 23 Mar, 2020]. Disponível em www.ipea.gov.br

-Moreira, M.; Ignez C.; Sousa, S.M.G. Violência intrafamiliar contra crianças e adolescentes: do espaço privado à cena pública. O social em Questão. 2012; 15(28) 13-26.

-Assis, S.G. De. Crianças e adolescentes violentados: passado, presente e perspectivas para o futuro. Cadernos de saúde pública. 1994; 10:126-134.

-Madalena, M; Falcke, D. Maus-tratos na infância e o rompimento do ciclo intergeracional da violência. Psicologia de Família: Teoria, Avaliação e Intervenção, 2020.

-Lordelo, E.daR; Carvalho, A.M.A. Educação infantil e psicologia: para que brincar?. Psicologia: ciência e profissão.2003; 23(2):14-21.

-Júnior, A.F; Bittar, M. Educação jesuítica e crianças negras no Brasil Colonial. Revista brasileira de estudos pedagógicos.2007; 80(196).

-Castanha, A.P. A prática dos castigos e prêmios na escola primária do século XIX: do legal ao real. Educere Et Educare.2009; 4(8): 245-259.

-Brasil. Presidência da República. Lei Nº 13.010, de 26 de junho de 2014. Altera a Lei nº 8.069, de 13 de julho de 1990 (Estatuto da Criança e do Adolescente), para estabelecer o direito da criança e do adolescente de serem educados e cuidados sem o uso de castigos físicos ou de tratamento cruel ou degradante, e altera a Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. [Acesso em: mar. de 2020]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2011-2014/2014/Lei/L13010.htm

- Assis, S.G.D.; Avanci, JQ.; Pesce, RP.; Pires, T.D.O.; Gomes, D.L. Notificações de violência doméstica, sexual e outras violências contra crianças no Brasil. Ciência & Saúde Coletiva. 2012; 17, 2305-2317.

-Hawton, K; Saunders, K.E.A; O'connor, R.C. Self-harm and suicide in adolescents. The Lancet.2012;379(9834): 2373-2382.

- Madge, N.; Hewitt, A.; Hawton, K.; Wilde, E.J.D.; Corcoran, P.; Fekete, S.; Ystgaard, M. Deliberate self‐harm within an international community sample of young people: comparative findings from the Child & Adolescent Self‐harm in Europe (CASE) Study. Journal of child Psychology and Psychiatry. 2008; 49(6), 667-677.

-Maia, J.M.D; De Albuquerque, W; Lucia, C. Fatores de risco e fatores de proteção ao desenvolvimento infantil: uma revisão da área. Temas em psicologia.2005; 13(2): 91-103.

-Borges, O. J. L., Dell'aglio, D. D. Abuso sexual infantil: indicadores de risco e consequências no desenvolvimento de crianças. Interamerican Journal of Psychology. 2008; 42(3):528-536.

- Habigzang, L.F.; Koller, S.H.; Azevedo, G.A.; Machado, P.X. Abuso sexual infantil e dinâmica familiar: aspectos observados em processos jurídicos. Psicologia: teoria e pesquisa. 2005; 21(3), 341-348.

-Araujo, M.deF. Violência e abuso sexual na família. Psicologia em estudo,.2002; 3-11.

- Aded, N.L.D.O.; Dalcin, B.L.G.D.S.; Moraes, T.M.D.; Cavalcanti, M.T. Abuso sexual em crianças e adolescentes: revisão de 100 anos de literatura. Archives of Clinical Psychiatry (São Paulo). 2006; 33(4), 204-213.

- Costa, M.C.O.; Carvalho, R.C.D.; Santa Bárbara, J.D.F.; Santos, C.A. S.; Gomes, W.D.A.; Sousa, H.L.D. O perfil da violência contra crianças e adolescentes, segundo registros de Conselhos Tutelares: vítimas, agressores e manifestações de violência. Ciência & Saúde Coletiva. 2007; 12(5), 1129-1141.

- Brasil. Ministério da Saúde. Política Nacional de Redução da Morbimortalidade por Acidentes e Violências: Portaria MS/GM nº 737 de 16/5/01, publicada no DOU nº 96 seção 1e, de 18/5/01 / Ministério da Saúde. – Brasília: Ministério da Saúde, 2002; 64 p.

Publicado

2021-01-27

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)