A disputa de narrativas sobre a constituição de um grupo de mulheres no Facebook na campanha presidencial de 2018

Autores

DOI:

https://doi.org/10.13037/ci.vol20n44.6154

Palavras-chave:

ciberacontecimento, narrativas, mulheres

Resumo

Propomos pensar a constituição do grupo no Facebook Mulheres Unidas Contra Bolsonaro como um ciberacontecimento. Procuramos articular a narrativa a partir dos sentidos que emergem nas redes digitais e daquilo que a imprensa produz de sentidos em torno do acontecimento, amparados em perspectivas teóricas feministas. O modo como o grupo surge e repercute, tornando-se notícia e potencializando diferentes narrativas no universo online. Percebe-se uma articulação em rede que pauta o jornalismo, mas que pelas forças de um embate polarizado, muitas vezes invisibiliza questões de importância política e social.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Clara Aquino Bittencourt, Docente e pesquisadora do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Comunicação da Universidade do Vale do Rio dos Sinos

Docente e pesquisadora no Programa de Pós-Graduação em Ciências da Comunicação da Universidade do Vale do Rio dos Sinos. Doutora e mestra em Comunicação e Informação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Pós-doutora em Ciências da Comunicação. Pesquisadora no LIC - Laboratório de Investigação do Ciberacontecimento.

Marlon Santa Maria Dias, Universidade do Vale do Rio dos Sinos/Doutorando

Doutorando no Programa de Pós-Graduação em Ciências da Comunicação da Unisinos (São Leopoldo, RS, Brasil). Integrante do LIC - Laboratório de Investigação do Ciberacontecimento

Ana Karlice Nascimento de Ávila, Universidade do Vale do Rio dos Sinos/Mestranda

Mestranda no Programa de Pós-Graduação em Ciências da Comunicação da Unisinos (São Leopoldo, RS, Brasil). Integrante do LIC - Laboratório de Investigação do Ciberacontecimento

Downloads

Publicado

26-11-2019