Sobre incentivos fiscais municipais e o desenvolvimento local de Montes Claros (MG): dilemas e percepções sobre “cidades atrativas”

Autores

  • Felipe Fróes Couto Universidade Estadual de Montes Claros - UNIMONTES
  • Ivan Beck Ckagnazaroff Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG

DOI:

https://doi.org/10.13037/gr.vol33n98.3853

Resumo

O objetivo deste artigo é compreender a percepção dos gestores públicos e privados locais sobre o papel da política de incentivos fiscais municipais no desenvolvimento local de Montes Claros (MG). Esta é experiência qualitativa, realizada por meio de entrevistas em profundidade com 60 entrevistados de diferentes instituições do município sobre a temática de incentivos fiscais municipais, dado o seguinte problema de pesquisa: na sua percepção, de que forma a política de incentivos fiscais municipais contribui para o desenvolvimento local do município? Obteve-se que os incentivos fiscais municipais no caso analisado são menos importantes do que as condições de vida e estética do município. Foi possível observar fragilidades provocativas em ganhos sistêmicos para a economia local quando consideradas as externalidades, uma vez que as empresas não fazem parte de um projeto político de desenvolvimento local hábil a potencializar as vantagens da proximidade física entre indústrias.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Felipe Fróes Couto, Universidade Estadual de Montes Claros - UNIMONTES

Doutorando em Administração pela Universidade Federal de Minas Gerais, professor de Educação Superior na Universidade Estadual de Montes Claros, Montes Claros (MG), Brasil.

Ivan Beck Ckagnazaroff, Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG

Doutor pelo Doctoral Programme Aston Business School da Aston University, professor associado do Departamento de Ciências Administrativas da Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte (MG), Brasil.


Downloads

Publicado

05-06-2017