PERCEPÇÕES TEMPORAIS, PRAZER E SOFRIMENTO NO TRABALHO: UM ESTUDO COM JOVENS TRABALHADORES DE CURITIBA (PR)

Autores

Palavras-chave:

percepções temporais, prazer e sofrimento no trabalho, jovens trabalhadores

Resumo

O discurso de mudança incessante, multifuncionalidade e dinamicidade pode influenciar as maneiras de perceber e lidar com o tempo, bem como as vivências de prazer e sofrimento no trabalho. Diante disso, o objetivo do estudo foi analisar como se relacionam as percepções temporais e as vivências de prazer e sofrimento no trabalho de jovens trabalhadores assistidos pelo ESPRO, na cidade de Curitiba (PR). Através de uma pesquisa quantitativa e descritiva, os dados deste estudo de caso foram tratados por meio de análise estatística descritiva uni e bivariada. Os comportamentos predominantes foram monocrônicos, rápidos, pontuais, atrelados ao passado e com arrastamento; e quanto ao prazer e sofrimento no trabalho, apuraram-se aspectos críticos do contexto de trabalho (com exceção das condições de trabalho), dos custos humanos, dos indicadores de prazer e sofrimento e dos danos relacionados ao trabalho. Os 91 testes de correlação retornaram 47 resultados significativos, demonstrando ligação entre os temas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Samara de Menezes Lara, Universidade Federal de Viçosa

Mestre em Administração pela Universidade Federal de Minas Gerais(2019), integrante do Núcleo de Estudos sobre Comportamento, Pessoas e Organizações (NECOP). Professora no programa MedioTec/Pronatec/Rede e-Tec da Universidade Federal de Viçosa, Instituto de Ciências Humanas, UFV-Florestal, Minas Gerais, Brasil.

Jane Kelly Dantas Barbosa, Universidade Federal de Minas Gerais

Doutoranda e Mestre em Administração pela Faculdade de Ciências Econômicas (FACE) da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), em Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil. Bolsista de pesquisa (CAPES) e integrante do Núcleo de Estudos sobre Comportamento, Pessoas e Organizações (NECOP/UFMG).

Kely César Martins de Paiva, Universidade Federal de Minas Gerais

Professora e Pesquisadora do Centro de Pós-Graduação e Pesquisas em Administração (CEPEAD/CAD/FACE/UFMG) e atual Vice-Diretora da Faculdade de Ciências Econômicas da Universidade Federal de Minas Gerais (FACE/UFMG), em Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil. Coordenadora do Núcleo de Estudos sobre Comportamento, Pessoas e Organizações (NECOP/UFMG).

Publicado

13-01-2021

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)