Idolatria e mitos geracionais: questões para compreensão das retóricas em torno de Lady Gaga e Madonna

Thiago Soares

Resumo


O artigo propõe uma leitura crítica sobre os discursos midiáticos a partir da interpretação das comparações entre as cantoras Lady Gaga e Madonna. A intenção é perceber como a noção de mito geracional, como proposta por Umberto Eco em seu livro “Apocalípticos e Integrados”, norteia as disposições midiáticas, gerando observações calcadas no senso comum. Na análise proposta, reconhecemos como os discursos de Madonna e de Lady Gaga são distantes, sobretudo a partir da investigação de uma configuração da noção de idolatria e dos seus recursos retóricos.

Palavras-chave


Comunicação; Comunicação Social; Inovação

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.13037/ci.vol15n28.2279

Indexadores de que a C&I faz parte:

 

 

Latindex

Latindex

 

ISSN 2178-0145