PREVALÊNCIA DE DOR CRÔNICA EM ADULTOS E IDOSOS

Autores

  • Michele Marinho da Silveira Universidade de Passo Fundo
  • Adriano Pasqualotti Programa de Pós-Graduação em Envelhecimento Humano da Universidade de Passo Fundo.
  • Eliane Lucia Colussi Docente do Programa de Pós-Graduação em Envelhecimento Humano da Universidade de Passo Fundo.

DOI:

https://doi.org/10.13037/rbcs.vol10n31.1535

Palavras-chave:

Doenças crônicas, dor, taxa de prevalência, epidemiologia, fatores socioeconômicos.

Resumo

Objetivo: identificar a prevalência de dor crônica conforme locais do corpo em dois grupos de adultos e idosos. Método: realizou-se um estudo transversal incluindo pessoas com idade igual ou superior a cinquenta anos, que realizam atividades de informática no Departamento de Atenção ao Idoso da Secretaria Municipal da Criança e Ação Social de Passo Fundo (Dati) – grupo A; e no Centro Regional de Estudos e Atividades da Terceira Idade da Universidade de Passo Fundo (Creati) – grupo B. O instrumento utilizado foi um questionário estruturado com dados sociodemográficos e clínicos. Realizou-se a análise estatística descritiva dos dados e o teste qui-quadrado para verificar diferenças entre os grupos. Resultados: A prevalência de dor crônica no grupo A foi de 85% e no B de 70,5%, associações estatisticamente significantes foram observadas entre a faixa etária e escolaridade de ambos grupos. Os locais de dor mais prevalentes foram os joelhos (75% no grupo A e 47,1% para B), seguidos pelos quadris (30% para A e 11,8% para B). Conclusões: Evidenciou-se a alta prevalência de dor crônica em idosos. A presença de dor crônica predominou no grupo A que é o mais idoso, por consequência, ingere mais medicamentos ao dia. Espera-se que os dados possam contribuir com estratégias preventivas de saúde pública e de apontar a necessidade de programas de prevenção e controle da dor para uma possível melhora na qualidade de vida destes indivíduos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Michele Marinho da Silveira, Universidade de Passo Fundo

Fisioterapeuta, graduada em Fisioterapia pela Universidade de Passo Fundo em 2005/1, Pós-graduada em Ortopedia e Traumatologia com enfase no atendimento em clínica de Fisioterapia pelo Colégio Brasileiro de Estudos Sistêmicos em 2006/2, Mestre em Envelhecimento Humano da Universidade de Passo Fundo 2012/1.

Adriano Pasqualotti, Programa de Pós-Graduação em Envelhecimento Humano da Universidade de Passo Fundo.

 

Matemático. Mestre em Ciência da Computação e Doutor em Informática na Educação pela Universidade Federal do Rio

Grande do Sul. Docente do Programa de Pós-Graduação em Envelhecimento Humano da Universidade de Passo Fundo

Eliane Lucia Colussi, Docente do Programa de Pós-Graduação em Envelhecimento Humano da Universidade de Passo Fundo.

Historiadora. Mestre e Doutora em História pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Docente do
Programa de Pós-Graduação em Envelhecimento Humano da Universidade de Passo Fundo

Downloads

Publicado

2012-07-17

Edição

Seção

ARTIGOS ORIGINAIS

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)