ANÁLISE DA FREQUÊNCIA CARDÍACA EM REPOUSO REGISTRADA PRÉ-TESTE DE EXERCÍCIO MÁXIMO

Autores

  • André Luiz Teixeira Hospital e Maternidade Therezinha de Jesus (HMTJ) da Faculdade de Ciências Médica e da Saúde (SUPREMA), Juiz de Fora, MG, Brasil
  • Eveline Moreira Moraes Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Escola de Educação Física e Desportos, Rio de Janeiro, RJ, Brasil.
  • Hugo Barbosa Alves Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Escola de Educação Física e Desportos, Rio de Janeiro, RJ, Brasil.
  • Jorge Roberto Perrout de Lima Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), Laboratório de Avaliação Motora (LAM), Juiz de Fora, MG, Brasil.

DOI:

https://doi.org/10.13037/ras.vol13n45.2958

Palavras-chave:

Heart rate, exercise, autonomic nervous system.

Resumo

O objetivo do presente estudo foi verificar a validade do valor registrado para frequência cardíaca em repouso (FCr) registrada imediatamente antes de um teste de exercício máximo. Por conveniência, 23 universitárias (21,8 ± 2,8 anos; 57,9 ± 10,2 kg; 163,6 ± 5,5 cm) saudáveis e com experiência prévia no teste fizeram parte da amostra. Todas realizaram de forma aleatória duas visitas ao laboratório, sendo uma apenas para registrar a FCr (sessão controle - CON) e outra além da FCr era realizado um teste de exercício máximo (sessão experimental - EXP), em esteira rolante, sob o protocolo de Bruce. Aplicou-se então o teste t de Student para dados pareados com nível de significância de p < 0,05. Os resultados demonstraram diferenças significativas nos valores de FCr entre as sessões CON (68,2 ± 7,5 bpm) e EXP (71,9 ± 7,8 bpm) (p = 0,003) com aumento médio de 4 bpm, variando entre -7 a 17 bpm. Com isso, podemos concluir que os valores de FCr sofrem alterações quando registrados pré-teste de exercício máximo em jovens universitárias.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

29-09-2015

Edição

Seção

ARTIGOS ORIGINAIS