Reflexões sobre o futuro do ensino profissionalizante nas áreas técnicas do espetáculo ao vivo no Brasil

Autores

  • Laura Maria de Figueiredo Uniiversidade Federal do Rio Grande do Norte

DOI:

https://doi.org/10.13037/rea-e.vol2n3.4678

Resumo

O artigo traz alguns dados sobre a realidade do mercado de trabalho nas áreas técnicas dos espetáculos ao vivo no Brasil, notadamente nas artes cênicas: teatro e shows de música, a partir do marco histórico que foi a lei 6.533/78, que institui oficialmente a profissão no Brasil. Atualmente tais áreas são vistas como um campo fecundo para criação de cursos técnicos de nível médio, com grande potencial de empregabilidade na atual “sociedade do espetáculo”, conforme o conceito de Guy Debord.  O texto procura trazer parâmetros de economia da cultura e sociologia da educação para levantar questões sobre os modelos de referências para a criação de propostas curriculares e percursos formativos nesta área de ensino profissionalizante, que precisam viabilizar a sobrevivência da profissão e dos profissionais da área, e não apenas atender às demandas de um campo de trabalho já precário e vulnerável pelas políticas neoliberais em vigor.

Palavras chave: Ensino Profissionalizante, Técnicos cênicos, Espetáculos ao vivo

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Laura Maria de Figueiredo, Uniiversidade Federal do Rio Grande do Norte

Mestre em Artes pelo programa de pós-graduação em Artes Cênicas da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo e Licenciada em Teatro pela mesma instituição.

Professora Assistente no Centro de Ciências Humanas Letras e Artes da UFRN
Departamento de Artes
Curso de Licenciatura em Teatro

Downloads

Publicado

13-09-2017

Edição

Seção

ARTIGOS FLUXO CONTÍNUO