GASTOS DO PRÓPRIO BOLSO DAS PESSOAS EM DIÁLISE PERITONEAL: ESTUDO QUALITATIVO

Juliana Graciela Vestena Zillmer, Denise Maria Guerreiro Vieira da Silva

Resumo


Introdução: A doença renal crônica representa um problema de saúde pública em nível mundial pelas crescentes taxas de incidência, prevalência e morbimortalidade, com impacto para as famílias e sistemas de saúde.

Objetivo: Conhecer os gastos do próprio bolso que as pessoas com doença renal têm para acessar e manter a diálise peritoneal no domicílio. 

Materiais e Métodos: Trata-se de um estudo qualitativo, sociocultural, com enfoque etnográfico, a partir de uma perspectiva crítico interpretativa, realizado em município no Sul do Brasil. Participaram 20 pessoas em diálise peritoneal ambulatorial contínua; os dados foram obtidos mediante entrevistas abertas e semiestruturadas, e observação participante. Os dados foram analisados mediante análise de conteúdo convencional. 

Resultados:As pessoas em diálise peritoneal reportaram ter múltiplos gastos do próprio bolso para acessar e manter o tratamento no domicílio. Os gastos mais importantes são para compra de medicamentos, materiais para a diálise, adequação do espaço, consultas médicas, exames e transporte. 

Conclusões:o sistema de saúde brasileiro, apesar de ter como proposta ser totalmente gratuito e de acesso universal, não consegue garantir esse acesso e manutenção de forma gratuita de todo tratamento para a população com doença renal.


Palavras-chave


Enfermagem, Saúde Pública

Texto completo:

PDF

Referências


Liu F, Gao X, Inglese G, Chuengsaman P, Pecoits-Filho R, Yu A. A global overview of the impact of peritoneal dialysis first or favored policies: an opinion. Perit Dial Int.2015;35(4):406-420.

Sesso RC, Lopes AA, Thomé FS, Lugon JR, Martins CT. Inquérito Brasileiro de Diálise Crônica 2016. J. Bras. Nefrol. 2017;39(3):261-266.doi: http://dx.doi.org/10.5935/0101-2800.20170049.

Zillmer JGV, Silva DMGV da. Tecendo reflexões sobre sofrimento social e doença renal crônica. Rev Enferm UFSM. 2016;2016;6(1):145-153.

Mercado-Martínez FJ, Hernández-Ibarra E, Ascencio-Mera C, Díaz-Medina BA, Padilla-Altamira C, Kierans C. Viviendo con trasplante renal, sin protección social en salud: ¿Qué dicen los enfermos sobre las dificultades económicas que enfrentan y sus efectos? Cad. Saúde Pública.2014;30(10):2092-2100. doi http://dx.doi.org/10.1590/0102-311X00150713.

Ministério da Saúde (BR). Portaria GM/MS Nº 389, de 13 de março de 2014. Define os critérios para a organização da linha de cuidado da Pessoa com Doença Renal Crônica (DRC) e institui incentivo financeiro de custeio destinado ao cuidado ambulatorial pré-dialítico. Brasília: Ministério da Saúde; 2014. Diário Oficial da União [Internet], Brasília (DF). 14 mar. 2014 [cited 2018 Jul 9]. Seção 1:34. Available from: http: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2014/prt0389_13_03_2014.html

González Reyes MJ. Gasto de bolsillo en América Latina: Implicaciones políticas y económicas.2015;3(4).

Mercado-Martinez FJ, Silva DGV da, Souza SS, Zillmer JGV, Lopes SGR, Böell JE. Vivendo com insuficiência renal: obstáculos na terapia da hemodiálise na perspectiva das pessoas doentes e suas famílias. Physis.2015;25(1):59-74.doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0103-73312015000100005.

Boing AC, Bertoldi AD, Barros AJD, Posenato LG, Peres KG. Desigualdade socioeconômica nos gastos catastróficos em saúde no Brasil. Rev Saude Publica.2014;48(4):632-641.doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0034-8910.2014048005111

Gouveia DSS, Bignelli AT, Hokazono SR, Danucalov I, Siemens TA, Meyer F, et al. Análise do impacto econômico entre as modalidades de terapia renal substitutiva. J Bras Nefrol.2017;39:162-17.doi: http://dx.doi.org/10.5935/0101-2800.20170019.

Silva SB, Caulliraux HM, Araújo CFS, Rocha E. Uma comparação dos custos do transplante renal em relação às diálises no Brasil. Cad Saúde Pública.2016;32:e00013515. doi: http:// dx.doi.org/10.1590/0102-311X00013515

Ganji S, Ephraim PL, Ameling JM, Purnell TS, Lewis-Boyer LL, Boulware LE. Concerns regarding the financial aspects of kidney transplantation: perspectives of pretransplant patients and their family members. Clin Transplant.2014;28:1121–1130.

Garcia LP, Sant’ana AC, Magalhães LCG, Aurea AP. Gastos com saúde das famílias brasileiras residentes em regiões metropolitanas: composição e evolução no período 1995-2009. Ciênc. saúde coletiva.2013;18(1):115-28.doi: http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232013000100013.

Medina-Pestana JO, Galante NZ, Tedesco-Silva HJ, et al. O contexto do transplante renal no Brasil e sua disparidade geográfica. J Bras Nefrol.2011;4:472-484.doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0101-28002011000400014.

Ferraz FHRP, Rodrigues CIS, Gatto GC, Sa NM. Diferenças e desigualdades no acesso a terapia renal substitutiva nos países do BRICS. Ciênc. saúde coletiva.2017;22(7): 2175-2185.doi: http://dx.doi.org/10.1590/1413-81232017227.00662017.

Pozzebon M. Conducting and evaluating critical interpretive research: Examining Criteria as a Key Component in Building a Research Tradition. IFIP - International Federation for Information Processing, 2004;143:275-292.

Hsieh HF, Shannon SE. Three approaches to qualitative content analysis. Qual Health Res 2005;15(9):1277-1288.

Ministério da Saúde (BR). Resolução nº 466, de 12 de dezembro de 2012. Aprova as diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos. Diário Oficial da União [Internet], Brasília (DF). 13 jul. 2013 [cited 2013 jan 10 ]. Seção 1:59. Available from: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/cns/2013/res0466_12_12_2012.html

Silva KL, Sena RR, Feuerwerker LCM, Silva PM, Martins ACS. Desafios da atenção domiciliar sob a perspectiva da redução de custos/racionalização de gastos. Rev Enferm UFPE.2014;8(6):1561-7.doi: https://doi.org/10.5205/1981-8963-v8i6a9846p1561-1567-2014

Boing AC, Bertoldi AD, Boing AF, Bastos JL, Peres KG. Acesso a medicamentos no setor público: análise de usuários do Sistema Único de Saúde no Brasil. Cad Saude Publica.2013;29(4):691-701.doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2013000400007

Arsenijevic J, Pavlova M, Groot W. Measuring the catastrophic and impoverishing effect of household health care spending in Serbia. Social Science & Medicine. 2013;78:17-25.

Paula EA, Costa MB, Colugnati FAB, Bastos RMR, Vanelli CP, Leite CCA et al. Potencialidades da atenção primária à saúde no cuidado à doença renal crônica. Rev. Latino-Am. Enfermagem. 2016;24:e2801. Doi: http://dx.doi.org/10.1590/1518-8345.1234.2801

Ocke-Reis CO, Marmor TR. The Brazilian National Health System: an unfulfilled promise. Int J Health Plann Mgmt.2010;25:318–329.doi: https://doi.org/10.1002/hpm.1014

Carneiro CT, Furtado AM, Meneghetti FK, Santos JAR, Bezerra MAR, Silva MLR, Rocha RC, Rocha SS. Vivências de adolescentes e jovens diagnosticados com doença renal crônica. Rev. Aten. Saúde.2018;16(57):24-29.

Cruz VFES, Tagliamento G, Wanderbroocke AC. A manutenção da vida laboral por doentes renais crônicos em tratamento de hemodiálise: uma análise dos significados do trabalho. Saúde Soc.2016;25(4):1050-1063.doi: http://dx.doi.org/10.1590/s0104-12902016155525.




DOI: https://doi.org/10.13037/ras.vol17n61.5968

Indexadores: 
A RAS utiliza o software iThenticate para detecção e prevenção de plágio