FRAGILIDADE E SUPORTE SOCIAL DE IDOSOS EM REGIÃO VULNERÁVEL: UMA ABORDAGEM EM UMA UNIDADE DE SAÚDE DA FAMÍLIA

Karla Moura, Isabela Thaís Machado de Jesus, Ariene Angelini dos Santos Orlandi, Marisa Silvana Zazzetta

Resumo


Introdução: É fundamental para atenção básica de saúde rastrear a presença de fragilidade em pessoas idosos e o seu suporte social para que assim os recursos de saúde disponíveis sejam utilizados de forma a promover atendimento terapêutico adequado. Objetivo: Analisar a relação entre fragilidade e suporte social em idosos cadastrados em Unidade de Saúde da Família em uma região de alta vulnerabilidade social. Materiais e Métodos: Estudo transversal e quantitativo. Participaram do estudo pessoas com idade a partir de 60 anos ou mais cadastrados em uma Unidade de Saúde da Família. Os participantes foram avaliados pela Escala de Fragilidade de Edmonton; Avaliação Autorreferida de Fragilidade; Tilburg Frailty Indicator e Medical Outcomes Study. Todos os aspectos éticos foram respeitados (Número de Parecer: 2.375.412). Resultados: A maioria dos participantes eram homens, 57,10%, 44,60% eram casados e 55,40% não eram aposentados. A fragilidade medida pela Escala de Fragilidade de Edmonton indicou que 51,3% dos respondentes apresentaram fragilidade em algum nível, na Avaliação Autorreferida, 44,60% dos entrevistados eram frágeis e para o Tilburg Frailty Indicator, 75% indicaram fragilidade. O suporte social dos participantes apresentou uma média de 70,47 pontos. Houve indicação de correlação entre a fragilidade e o suporte social, porém não foi significante. Conclusões: O estudo apresentou relação entre fragilidade e suporte social. O estudo avaliou a fragilidade dos idosos com instrumentos de rastreio que possibilitam a identificação precoce da fragilidade, visando à formulação de estratégias preventivas pelas equipes de atenção primária à saúde com vistas ao planejamento de cuidado de longa duração.


 


Palavras-chave


Enfermagem geriatrica, gerontologica

Texto completo:

PDF

Referências


de Melo LA, Ferreira LM, dos Santos MM, de Lima KC. Fatores socioeconômicos, demográficos e regionais associados ao envelhecimento populacional. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia. 2017;20(4):494-502.

Morley JE, Vellas B, Van Kan GA, Anker SD, Bauer JM, Bernabei R, Cesari M, Chumlea WC, Doehner W, Evans J, Fried LP. Frailty consensus: a call to action. Journal of the American Medical Directors Association. 2013 Jun 1;14(6):392-7.

Lourenço RA, Moreira VG, Mello RG, Santos ID, Lin SM, Pinto AL, Lustosa LP, Duarte YA, Ribeiro JA, Correia CC, Mansur HN. Consenso brasileiro de fragilidade em idosos: conceitos, epidemiologia e instrumentos de avaliação. Geriatrics, Gerontology and Aging. 2018;12(2):121-35.

de Jesus IT, dos Santos Orlandi AA, Zazzetta MS. Fragilidade e apoio social e familiar de idosos em contextos de vulnerabilidade. Revista da Rede de Enfermagem do Nordeste. 2018;19.

Neves ÁD, Silva AM, Cabral JF, Mattos IE, Santiago LM. Prevalence of and factors associated with frailty in elderly users of the Family Health Strategy. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia. 2018 Dec;21(6):680-90.

Llano PM, Lange C, Nunes DP, Pastore CA, Pinto AH, Casagranda LP. Fragilidade em idosos da zona rural: proposta de algoritmo de cuidados. Acta Paul. Enferm.(Online). 2017;30(5):520-30.

Cesari M, Prince M, Thiyagarajan JA, De Carvalho IA, Bernabei R, Chan P, Gutierrez-Robledo LM, Michel JP, Morley JE, Ong P, Manas LR. Frailty: an emerging public health priority. Journal of the American Medical Directors Association. 2016 Mar 1;17(3):188-92.

Rodrigues NO, Neri AL. Vulnerabilidade social, individual e programática em idosos da comunidade: dados do estudo FIBRA, Campinas, SP, Brasil. Ciência & Saúde Coletiva. 2012;17:2129-39.

Amaral FL, Guerra RO, Nascimento AF, Maciel ÁC. Apoio social e síndrome da fragilidade em idosos residentes na comunidade. Ciência & Saúde Coletiva. 2013;18:1835-46.

Alvarenga MR, Oliveira MA, Domingues MA, Amendola F, Faccenda O. Rede de suporte social do idoso atendido por equipes de Saúde da Família. Ciência & Saúde Coletiva. 2011;16:2603-11.

Marques AK, Landim FL, Collares PM, Mesquita RB. Apoio social na experiência do familiar cuidador. Ciência & Saúde Coletiva. 2011;16:945-55.

Brasil. Ministério da Saúde. Diretrizes para o cuidado das pessoas idosas no SUS. Proposta de modelo de atenção integral. XXX Congresso Nacional de Secretarias Municipais e Saúde. Brasília: Ministério da Saúde, 2014.

Brasil. Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção a Saúde. Política Nacional de Saúde da Pessoa Idosa. Portaria nº2528 de 19 de outubro de 2006. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2006/prt2528_19_10_2006.html

Fundação Seade. Distribuição da população, segundo grupos do Índice Paulista de Vulnerabilidade Social. São Paulo, 2010. Disponível em: http://catalogo.governoaberto.sp.gov.br/dataset/21-ipvs-indice-paulista-de-vulnerabilidade-social

Fabrício-Wehbe SC, Schiaveto FV, Vendrusculo TR, Haas VJ, Dantas RA, Rodrigues RA. Adaptação cultural e validade da Edmonton Frail Scale-EFS em uma amostra de idosos brasileiros. Revista Latino-Americana de Enfermagem. 2009;17(6).

Nunes DP, de Oliveira Duarte YA, Santos JL, Lebrão ML. Rastreamento de fragilidade em idosos por instrumento autorreferido. Revista de Saúde Pública. 2015;49:1-9.

Santiago LM, Luz LL, Mattos IE, Gobbens RJ. Adaptação transcultural do instrumento Tilburg Frailty Indicator (TFI) para a população brasileira. Cadernos de Saúde Pública. 2012;28:1795-801.

Andrade CR. Associaçäo entre apoio social e freqüência relatada de auto-exame das mamas no estudo pró-saúde (Doctoral dissertation).

Fernandes HD, Gaspar JC, Yamashita CH, Amendola F, Alvarenga MR, Oliveira MA. Avaliação da fragilidade de idosos atendidos em uma unidade da estratégia saúde da família. Texto & Contexto-Enfermagem. 2013 Jun;22(2):423-31.

Fhon JR, Diniz MA, Leonardo KC, Kusumota L, Haas VJ, Rodrigues RA. Síndrome de fragilidade relacionada à incapacidade funcional no idoso. Acta Paul Enferm. 2012 Jul;25(4):589-94.

Carneiro JA, Cardoso RR, Durães MS, Guedes MC, Santos FL, Costa FM, Caldeira AP. Frailty in the elderly: prevalence and associated factors. Revista brasileira de enfermagem. 2017 Aug;70(4):747-52.

Llano PM, Lange C, Nunes DP, Pastore CA, Pinto AH, Casagranda LP. Fragilidade em idosos da zona rural: proposta de algoritmo de cuidados. Acta Paul. Enferm.(Online). 2017;30(5):520-30.

Fried LP, Tangen CM, Walston J, Newman AB, Hirsch C, Gottdiener J, Seeman T, Tracy R, Kop WJ, Burke G, McBurnie MA. Frailty in older adults: evidence for a phenotype. The Journals of Gerontology Series A: Biological Sciences and Medical Sciences. 2001 Mar 1;56(3):M146-57.

Andrade JM, Duarte YA, Alves LC, Andrade FC, Souza Junior PR, Lima-Costa MF, Andrade FB. Frailty profile in Brazilian older adults: ELSI-Brazil. Revista de saude publica. 2018 Oct 25;52:17s.

Mulasso A, Roppolo M, Giannotta F, Rabaglietti E. Associations of frailty and psychosocial factors with autonomy in daily activities: a cross-sectional study in Italian community-dwelling older adults. Clinical interventions in aging. 2016;11:37.

Guedes MB, Lima KC, Caldas CP, Veras RP. Apoio social e o cuidado integral à saúde do idoso. Physis: Revista de Saúde Coletiva. 2017;27:1185-204.

de Brito TR, Nunes DP, Corona LP, da Silva Alexandre T, de Oliveira Duarte YA. Low supply of social support as risk factor for mortality in the older adults. Archives of gerontology and geriatrics. 2017 Nov 1;73:77-81.




DOI: https://doi.org/10.13037/ras.vol18n63.6342

Indexadores: