A efetividade da terapia manual no tratamento de disfunções temporomandibulares (DTM): uma revisão da literatura

Lúcia de Fátima da Silva Santos, Mayane Carneiro Alves Pereira

Resumo


Introdução: A disfunção temporomandibular (DTM) é uma subclassificação das disfunções musculoesqueléticas e apresenta etiologia indefinida. Seus sintomas mais comuns são a dor orofacial e a diminuição da mobilidade articular da boca, sensações que reduzem a qualidade de vida de seu portador. A fisioterapia surge como um importante método terapêutico, e entre os métodos comumente utilizados existe a terapia manual. Objetivo: Realizar uma revisão da literatura sobre a efetividade das condutas terapêuticas manuais no tratamento da DTM. Materiais e métodos: Realizou-se uma busca nas bases eletrônicas de dados Lilacs, SciELO, Medline e Pubmed, reunindo ensaios clínicos do período de 2004 a 2014 que documentassem as condutas terapêuticas manuais, isoladas ou associadas, utilizadas no tratamento da DTM em adultos. Resultados: Foram revisados onze artigos, referentes à intervenção da terapia manual na DTM, dos quais nove são nacionais e dois internacionais. Os estudos apontaram eficácia da terapia manual no alívio da sintomatologia dolorosa, melhora do padrão de contração da musculatura mastigatória e restauração da mobilidade articular através dos métodos utilizados no tratamento, e relataram que a significância do resultado foi obtida a partir da associação das técnicas manuais a outras terapias, como recursos eletrofísicos e drogas. Conclusões: A partir do estudo, é possível observar que a terapia manual apresenta resultados satisfatórios no tratamento de pacientes com DTM e que a associação da terapia manual com outros recursos terapêuticos potencializa os efeitos obtidos no tratamento desses pacientes, apresentando resultados mais significativos.

 


Palavras-chave


articulação temporomandibular; síndrome da disfunção temporomandibular; transtornos da articulação temporomandibular; fisioterapia

Texto completo:

PDF

Referências


Ferreira FV, Ferreira FV, Tabarelli Z, Peroni ABF. Desordens temporomandibulares: uma abordagem fisioterapêutica e odontológica. Stomatos. 2009 jan/jun;15(28):27-37.

Bove SRK, Guimarães AS, Smith RL. Caracterização dos pacientes de um ambulatório de disfunção temporomandibular e dor orofacial. Rev Latinoam Enferm. 2005 set/out;13(5):686-91.

Andrade TNC, Frare JC. Estudo comparativo entre os efeitos de técnicas de terapia manual isolada e associadas à laserterapia de baixa potência sobre a dor em pacientes com disfunção temporomandibular. Rev Gaucha Odontol. 2008 jul/set;56(3):287-95.

Donnarumma MDC, Muzilli CA, Ferreira C, Nemr K. Disfunções temporomandibulares: sinais, sintomas e abordagem multidisciplinar. Rev CEFAC. 2010;12(5):788-794.

Figueiredo VMG, Cavalcanti AL, Farias ABL, Nascimento SR. Prevalência de sinais, sintomas e fatores associados em portadores de disfunção temporomandibular. Acta Scientiarum Health Sciences. 2009;31(2):159-63.

Okeson JP. Tratamento das desordens temporomandibulares e oclusão. 4. ed. São Paulo: Artes Médicas; 2000.

Tosato JP, Caria PHF. Prevalência de DTM em diferentes faixas etárias. Rev Gaucha Odontol. 2006 jul/set;54(3):211-24.

Carrara SV, Conti PCR, Barbosa JS. Termo do 1º Consenso em Disfunção Temporomandibular e Dor Orofacial. Dental Press J Orthod. 2010 jun;15(3):114-20.

Marzola FT, Marques AP, Marzola C. Contribuição da fisioterapia para a odontologia nas disfunções da articulação temporomandibular. Rev Odonto Ciênc. 2002 abri/jun;17(36):119-34.

Matta MAP. Uma proposta de abordagem fisioterapêutica nas desordens da articulação temporomandibular. Dissertação [Mestrado em Ciências Médicas] – Faculdade de Ciências Médicas, Universidade Estadual de Campinas; 2002.

Issa JPM, Silva MAMR, Silva AMBR. Recursos fisioterápicos no tratamento das desordens temporomandibulares. Rev Dor. 2005;6(2):567-72.

Grossi DB, Chaves TC. Physiotherapeutic treatment for temporomandibular disorders (TMD). J Braz Oral Sci. 2004;3(10):492-7.

Kalamir A, Pollard H, Vitello AL, Bonello R. Manual therapy for temporomandibular disorders: a review of literature. J Bodyw Mov Ther. 2007;11(1):84-90.

Capellini VK, Souza GS, Faria CRS. Massage therapy in the management of myogenic TMD: a pilot study. J Appl Oral Sci. 2006;14(1):21-6.

Castro FM, Gomes RCV, Salomão JR, Abdon APV. A efetividade da terapia de liberação posicional (TLP) em pacientes portadores de disfunção temporomandibular. Rev Odontol Univ Cid São Paulo. 2006;18(1):67-74.

Tosato JP, Gonzalez DAB, Caria PHF. Efeito da massoterapia e da estimulação elétrica nervosa transcutânea na dor e atividade eletromiográfica de pacientes com disfunção temporomandibular. Fisioter Pesqui. 2007 maio/ago;14(2):21-6.

Kamonseki DH, Fonseca CL, Souza TP, Zamunér AR, Peixoto BO, Yi LC. Efeito imediato da manipulação thrust aplicada na coluna cervical alta sobre a abertura ativa da boca: ensaio clínico randomizado. J Health Sci Inst. 2012;30(3):277-80.

Torres F, Campos LG, Fillipini HF, Weigert KL, Vecchia GFD. Efeitos dos tratamentos fisioterapêutico e odontológico em pacientes com disfunção temporomandibular. Fisioter Mov. 2012 jan/mar;25(1):117-25.

Dias LM, Spinato IL, Vasconcelos TB, Rodrigues DV, Macena RHM, Magalhães CBA, et al. Effects of muscle inhibition technique on relief of masticatory pain in patients with temporomandibular disorders: an experimental study. Conscientiae Saúde. 2013 jun;12(2):298-304.

Nascimento MM, Vasconcelos BC, Porto GG, Ferdinanda G, Nogueira CM, Raimundo RC. Physical therapy and anesthetic blockage for treating temporomandibular disorders: a clinical trial. Med Oral Patol Oral Cir Bucal. 2013 Jan;18(1):e81-5.

Gomes CAFP, Hage YE, Amaral AP, Politti F, Biasotto-Gonzalez DA. Effects of massage therapy and occlusal splint therapy on electromyographic activity and the intensity of signs and symptoms in individuals with temporomandibular disorder and sleep bruxism: a randomized clinical trial. Chiropr Man Therap. 2014 Dec;22(1):43.

George JW, Fennema J, Maddox A, Nessler M, Skaggs C. The effect of cervical spine manual therapy on normal mouth opening in asymptomatic subjects. J Chiropr Med. 2007 Spring;6(4):141-5.

Cuccia AM, Caradonna C, Annunziata V, Caradonna D. Osteopathic manual therapy versus conventional conservative therapy in the treatment of temporomandibular disorders: a randomized controlled trial. J Bodyw Mov Ther. 2010 Apr;14(2):179-84.

Mourão NLA, Mesquita VT. A importância da fisioterapia no tratamento das disfunções da ATM. Ter Man. 2006;4(16):552-7.

Warren MP, Fried JL. Temporomandibular disorders and hormones in women. Cells Tissues Organs. 2001;169(3):187-92.

Felício CM, Melchior MO, Ferreira CLP, Silva MA. Otologic symptoms of temporomandibular disorder and effect of orofacial myofunctional therapy. Cranio. 2008 Apr;26(2):118-25.

Felício CM, Melchior MO, Silva MA. Effects of orofacial myofunctional therapy on temporomandibular disorders. Cranio. 2010 Oct;28(4):249-59.

Vasconcelos DA, Maia MRA, Souza MO, Alves JGB, Nascimento JDS, Dantas EHM. Avaliação eletromiográfica e clínica do músculo masseter após manipulação quiropráxica. Rev Inspirar. 2013 mar/abr;5(1):1-6.

Melzack R, Wall P. Pain mechanisms: a new theory. Science. 1965 nov;150(3699):971-9.

Gillespie BR. Assessment and treatment of muscles, fascia, ligaments, and structures. Cranio. 1990 jan;8(1):51-4.

Wright A. Hypoalgesia post-manipulative therapy: a review of potential neurophysiological mechanism. Man Ther. 1995 Nov;1(1):11-6.

Nicolakis P, Erdogmus CB, Kollmitzer J, Kerschan-Schindl K, Sengstbratl M, Nuhr M, et al. Long-term outcome after treatment of temporomandibular joint osteoarthritis with exercise and manual therapy. Cranio. 2002 Jan;20(1):23

Wright A. An evolving understanding of pain relief following Manual Therapy [Paper presented at the proceedings of the 7th Scientific Conference of the IFOMPT; 2000; Perth, Australia].




DOI: https://doi.org/10.13037/ras.vol14n49.3596

Indexadores: