AVALIAÇÃO DO PERFIL NUTRICIONAL E SOCIOECONÔMICO DE CRIANÇAS DE 1 A 5 ANOS DE IDADE QUE CONSOMEM MULTIMISTURA EM DOIS MUNICÍPIOS DA GRANDE SÃO PAULO - SP NUTRITIONAL PROFILE EVALUATION ANS SOCIONOMIC STATUS FROM 1 TO 5 YEARS OLD CHILDREN THAT INTAKE MULTI

Autores

  • Priscila Magalhães de Melo Centro Universitário Municipal de São Caetano do Sul
  • Marli de Oliveira Obradovich Centro Universitário Municipal de São Caetano do Sul
  • Rita Maria Monteiro Goulart Centro Universitário Municipal de São Caetano do Sul
  • Celeste Elvira Viggiano Centro Universitário Municipal de São Caetano do Sul

DOI:

https://doi.org/10.13037/rbcs.vol2n3.477

Palavras-chave:

multimistura, desnutrição energéticoprotéica, inclusão e exclusão social.

Resumo

Objetivo: Avaliar o perfil nutricional e socioeconômico de crianças na faixa etária de 1 a 5 anos que consomem multimistura. Metodologia: Foram aplicados 2 questionários elaborados pelas próprias autoras para anamnese alimentar com as variáveis peso, data de nascimento, idade e freqüência alimentar dia, e outro questionário sobre o aspecto socioeconômico com as variáveis: moradia, grau de escolaridade dos pais e renda familiar. A amostra consistiu de 35 crianças, sendo 15 crianças do município de Mauá e 20 crianças do município de São Caetano do Sul, e os questionários foram aplicados às mães que se dispuseram a responder as questões. Resultados: O estudo revelou uma alimentação inadequada devido ao baixo poder aquisitivo da população estudada. Quanto ao diagnóstico nutricional, apresentou-se desnutrição em 11% das crianças, faixa de risco em 9%, eutrofia em 71% e sobrepeso em 9%. Em relação ao perfil socioeconômico das 26 famílias avaliadas, 12 (46%) residem em casas alugadas; quanto ao grau de escolaridade dos pais, 60-70% não concluíram o 1º grau, e na variável renda familiar foi observada uma baixa distribuição salarial. Conclusão: O estado nutricional da população estudada apresenta um considerável índice de desnutrição energético-protéica. Em contrapartida, é considerável também o alto índice de eutrofia, mesmo sob condições desfavoráveis, pois as crianças não dispõem de uma alimentação adequada, o que pode ser atribuído à baixa renda familiar e à baixa escolaridade. Isso nos faz supor que o consumo da multimistura pode ser um coadjuvante na redução da prevalência de desnutrição energético-protéica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

07-04-2010

Edição

Seção

ARTIGOS ORIGINAIS