COMPARAÇÃO DOS INDICADORES DE OBESIDADE E CONDICIONAMENTO CARDIORRESPIRATÓRIO EM ADULTOS INGRESSANTES EM ACADEMIA DE GINÁSTICA

Guilherme da Silva Gasparotto, Valter Cordeiro Barbosa Filho, Michael Pereira da Silva, Lívia Pimenta Renó Gasparotto, Antonio Stabelini Neto, Wagner de Campos

Resumo


Introdução: Muito se discute sobre a importância de exercícios físicos sistematizados para saúde. Entretanto, em prática, na maioria das vezes pouco se leva em consideração a condição de saúde do indivíduo que inicia a prática de exercícios físicos, o que pode proporcionar um equívoco quanto à prescrição das atividades. Objetivos: Comparar indicadores de obesidade e condicionamento cardiorrespiratórios entre adultos de diferentes faixas etárias, ingressantes em academia de ginástica. Materiais e Métodos: Este estudo comparou as variáveis antropométricas e de condicionamento cardiorrespiratório entre faixas etárias e sexos em 303 adultos ingressantes de uma academia de ginástica em Curitiba, Paraná. Para análise dos dados recorreu-se a análise de variância e o teste Qui-quadrado, com nível de significância de 5%. Resultados: Todas as medidas antropométricas mostraram aumentos com a idade nas mulheres, o VO2máx, diminuição em ambos os sexos; a maior proporção de indivíduos com medidas antropométricas elevadas foi encontrada nos mais velhos (p<0,05). O IMC elevado esteve mais freqüente entre homens (40,5%; p<0,05) e a CA aumentada entre mulheres (65,0%; p<0,01). O baixo condicionamento cardiorrespiratório foi entre indivíduos mais velhos (81,0%; p<0,05) e do sexo feminino (79,2%; p<0,01). Conclusão: Evidenciou-se que grande parcela dos adultos ingressa em academias com indicadores de saúde cardiovascular inadequados, principalmente os indivíduos mais velhos.


Palavras-chave


Antropometria, Consumo de oxigênio, Adulto

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.13037/rbcs.vol12n40.2179

Indexadores: