ESTUDO DOS SINAIS DE ESCOLIOSE EM CRIANÇAS COM OU SEM MORDIDA CRUZADA POSTERIOR UNILATERAL* STUDY OF THE SIGNS OF SCOLIOSIS IN CHILDREN WITH OR WITHOUT UNILATERAL POSTERIOR CROSSBITE

Autores

  • Nilde Burocchi Ribas D’Avila Universidade de Santo Amaro - Unisa.
  • Neil Ferreira Novo Universidade Federal de São Paulo - Unifesp; Universidade de Santo Amaro - Unisa.
  • Yára Juliano Universidade Federal de São Paulo - Unifesp; Universidade de Santo Amaro - Unisa.
  • João Alberto Martinez Universidade de Santo Amaro - Unisa.
  • Valter Carabetta Júnior Universidade de São Paulo - Feusp; Pontifícia Universidade Católica de São Paulo - PUC/SP; Universidade de Santo Amaro - Unisa.

DOI:

https://doi.org/10.13037/rbcs.vol8n24.1055

Palavras-chave:

maloclusão, postura, escoliose, fisioterapia, ortodontia.

Resumo

O presente trabalho se propôs a estudar as associações entre a presença da mordida cruzada posterior unilateral e a ocorrência de sinais de escoliose, em crianças de seis a dez anos de idade. A partir de um estudo de caso-controle, os resultados estatísticos desta pesquisa revelaram a presença significantemente maior dos sinais de desvio do eixo occipital, anteriorização unilateral da pelve, inclinação pélvica e indício de gibosidade, no grupo COM mordida cruzada posterior unilateral. A mordida cruzada posterior unilateral está associada, na criança em crescimento, às assimetrias no terço inferior da face, que, a partir do mecanismo compensatório das cadeias musculares, tendem a repercutir na coluna vertebral, com sinais iniciais de postura escoliótica. Se a postura escoliótica não for diagnosticada e tratada de forma precoce, poderá, com o tempo, provocar na coluna vertebral a grave deformidade tridimensional, conhecida pelo termo escoliose.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2010-11-17

Edição

Seção

ARTIGOS ORIGINAIS

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)