Existe fundamento científico para o tratamento da fratura de fêmur pela hidroterapia? Uma revisão integrativa

Autores

  • Francisco Eudison da Silva Maia Universidade Potiguar
  • Fabio Firmino de Albuquerque Gurgel Universidade Potiguar

DOI:

https://doi.org/10.13037/ras.vol14n49.3610

Palavras-chave:

fraturas do fêmur, hidroterapia, reabilitação

Resumo

Introdução: A fratura do fêmur é complexa, devido à gravidade, ao tempo de reabilitação e às repercussões individuais e socioeconômicas. Nesta perspectiva, a hidroterapia é um método de tratamento que visa a maior eficiência e ganho funcional em menor tempo. Objetivo: Este artigo tem como intuito revisar criteriosamente se há respaldo na literatura para o uso da hidroterapia nesse tipo de patologia. Metodologia: Este trabalho caracteriza-se como uma revisão de literatura, a partir de publicações no período de 2000 a 2014, adotando como critérios de inclusão estudos nos idiomas português, inglês e espanhol, sem distinção de gênero e idade e com o uso de descritores predeterminados. Resultados: A literatura atual não registra resultados que comprovem a eficácia da hidroterapia para pacientes com esse tipo de fratura. Conclusões: A hidroterapia ainda se fundamenta em conhecimento empírico e vivências clínicas, o que denota uma maior necessidade de pesquisas acerca deste assunto.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Francisco Eudison da Silva Maia, Universidade Potiguar

Fisioterapeuta pela Universidade Potiguar – UNP, Campus Mossoró/RN-Brasil.

Fabio Firmino de Albuquerque Gurgel, Universidade Potiguar

Docente do curso de Fisioterapia da Universidade Potiguar atuando como coordenador de estágios, especialista em Terapia Manual e mestrando no Programa de Pós-graduação em Saúde e Sociedade da Universidade Estadual do Rio Grande do Norte (UERN).

Referências

Mesquita GV, Lima MALT, Santos AMR, Alves ELM, Brito JNPO, Martins MCC. Morbimortalidade em idosos por fratura proximal do fêmur. Texto & Contexto Enferm. 2009;18(1):67-73.

Gomes MCSM, Garcia RR. Comparação entre o tratamento no solo e na hidroterapia para pacientes com osteoporose: revisão da literatura. Rev Bras Ciên Saúde. 2006;3(7):45-56.

Biasoli MC, Machado CMC. Hidroterapia: aplicabilidades clínicas. Rev Bras Med. 2006;63(5):225-37.

Alberton CL, Kruel LFM. Influência da imersão nas respostas cardiorrespiratórias em repouso. Rev Bras Med Esporte. 2009;15(3):228-32.

Carregaro RL, Toledo AM. Efeitos fisiológicos e evidências científicas da eficácia da fisioterapia aquática. Rev Movimenta. 2008;1(1):23-27.

Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia Colégio Brasileiro de Radiologia. Fratura transtrocanteriana. Rev Assoc Med Bras. 2009;55(6):637-40.

Mangione KK, Craik RL, Tomlinson SS, Palombaro KM. Can elderly patients who have had a hip fracture perform moderate to high intensity exercise at home? Physical Therapy. 2005;85(8):727-739.

Araújo DV, Oliveira JHA, Bracco OL. Custo da fratura osteoporótica de fêmur no sistema suplementar de saúde brasileiro. Arq Bras Endocrinol Metab. 2005;49(6):897-901.

Paschoal, FM, Paccola CAJ. Haste bloqueada “Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto”: experiência clínica no tratamento das fraturas femorais. Acta ortop bras. 2000;8(4):160-77.

Arliani GG, Astur DC, Linhares GK, Balbachevsky D, Fernandes HJA, Reis FB. Correlação entre tempo para o tratamento cirúrgico e mortalidade em pacientes idosos com fratura da extremidade proximal do fêmur. Rev Bras Ortop. 2011;46(2):190-4.

Bento NT, Vidmar MF, Silveira MM, Wibelinger LM. Intervenções fisioterapêuticas no pós-operatório de fratura de fêmur em idosos. Rev Bras Ciên Saúde. 2011;9(27):42-8.

Souza RC, Pinheiro RS, Coeli CM, Junior KRC, Torres TZG. Aplicação de medidas de ajuste de risco para a mortalidade após fratura proximal de fêmur. Rev Saúde Pública. 2007;41(4):625-31.

Buckwalter JA. Ortopedia de Turek: princípios e sua aplicação. 5ª ed. São Paulo: Manole; 2000.

Rocha MA, Carvalho WS, Zanqueta CL, Sandro C. Estudo epidemiológico retrospectivo das fraturas do fêmur proximal tratados no Hospital Escola da Faculdade de Medicina do Triângulo Mineiro. Rev Bras Ortop. 2001;36(8):311-6.

Moraes FB, Silva LL, Ferreira FV, Ferro AM, Rocha VL, Teixeira KS. Avaliação epidemiológica e radiológica das fraturas diafisárias do fêmur: estudo de 200 casos. Rev Bras Ortop. 2009;44(3):199-203.

Muniz CF, Arnaut AC, Yoshida M, Trelha CS. Caracterização dos idosos com fratura de fêmur proximal atendidos em hospital escola público. Rev Espaço Saúde. 2007;8(2):33-8.

Barbosa AD, Camargo CR, Arruda ES, Israel VL. Avaliação fisioterapêutica aquática. Fisioterapia em Movimento. 2006;19(2):135-47.

Avelar NCP, Bastone AC, Alcântara MA, Gomes WF. Efetividade do treinamento de resistência à fadiga dos músculos dos membros inferiores dentro e fora d’água no equilíbrio estático e dinâmico de idosos. Rev Bras Fisioter. 2009;14(3):229-36.

Gomes MCSM. Comparação entre o tratamento no solo e na hidroterapia para pacientes com osteoporose: revisão da literatura. Rev Bras Ciên Saúde. 2006;7(3):45-56.

Candeloro JM, Caromano FA. Efeito de um programa de hidroterapia na flexibilidade e na força muscular de idosas. Rev Bras Fisioter. 2007;11(4):304-9.

Farias MA. Contribuição educativa e terapêutica da hidroterapia na qualidade de vida de pacientes portadores de osteoporose: análise de um programa de educação para a saúde. Rev Eletrônica do Mestrado Profissional em Ensino de Ciências da Saúde e do Ambiente. 2009;2(1):30-43.

Biasoli MC, Machado CMC. Hidroterapia: técnicas e aplicabilidades nas disfunções reumatológicas. Rev Temas de Reumatologia Clínica. 2006;7(3):78-87.

Caromano FA, Filho MRFT, Candeloro JM. Efeitos fisiológicos da imersão e do exercício na água. Rev Fisioterapia Brasil. 2003;4(1):1-5.

Hall CM, Brody LT. Exercício terapêutico: na busca da função. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 2001.

Wajchemberg M, Pires L, Rodrigues RC, Mano KS, Sottomaior MS, Cohen M, et al. Reabilitação precoce de atletas utilizando hidroterapia após o tratamento cirúrgico de hérnia discal lombar: relato preliminar de 3 casos. Acta Ortop Bras. 2002;10(2):48-57.

Resende SM, Rassi CM, Viana FP. Effects of hydrotherapy in balance and prevention of falls among elderly women. Rev Bras Fisiot. 2008;12(1):57-63.

Lustosa LP, Bastos EO. Fraturas proximais do fêmur em idosos: qual o melhor tratamento? Acta Ortop Bras. 2009;17(5):309-12.

Pesciallo C, Pastrián Mana D, Barrios JM, Del Sel H. Fracturas subtrocantéreas de fémur: Tratamiento con clavo de fémur proximal por técnica mínimamente invasiva. Rev Asoc Argent Ortop Traumatol. 2009;74(1):13-9.

Guimarães JAM, Guimarães ACA, Franco JS. Avaliação do emprego da haste femoral curta na fratura trocantérica instável do fêmur. Rev Bras Ortop. 2008;43(9):406-17.

Murphy S, Conway C, McGrath NB, O’Leary B, O’Sullivan MP, O’Sullivan D. An intervention study exploring the effects of providing older adult hip fracture patients with an information booklet in the early postoperative period. J Clin Nursing. 2011;20(23-24):3404-13.

Meereis ECW, Favretto C, Souza J, Marques CLS, Gonçalves MP, Mota CB. Análise do equilíbrio dinâmico de idosas institucionalizadas após hidrocinesioterapia. Rev Bras Geriatr Gerontol. 2013;16(1):41-7.

Katrak P, O’Connor B, Woodgate I. Rehabilitation after total femur replacement: a report of 2 cases. Arch Phys Med Rehabil. 2003;84(7):1080-4.

Campion MR. Hidroterapia: princípios e prática. São Paulo: Manole; 2000. 34. Ruoti RG, Morris DM, Cole AJ. Reabilitação aquática. São Paulo: Manole; 2000.

Maia FES, Almeida JRS, Queiroz JM, Mendes JMR, Lima e Silva J. Comissão interna de prevenção de acidentes e as ações de saúde coletiva na perspectiva da fisioterapia. Rev Fisioter Saúde Fun. 2014;3(2):6-12.

Silva EL, Menezes EM. Metodologia da pesquisa e elaboração de dissertação. 4ª ed. rev. atual. [Internet] Florianópolis: UFSC; 2005 [acesso em 21 dez 2013]. Disponível em: ftp://ftp.unilins.edu.br/brenoortega/metodologia/metodologia_de_pesquisa.pdf

Silva MV, Santiago RF, Coelho DMM. Utilização da hidroterapia como prática alternativa: uma revisão de literatura. In: 61º Congresso Brasileiro de Enfermagem. Transformação social e sustentabilidade ambiental. Trabalho 2652-1/5. Fortaleza/CE. 2009 [acesso em 18 dez 2013], p. 6848-52. Disponível em: http://www.abeneventos.com.br/anais_61cben/files/02074.pdf

Miotto C, Kayser B, Molin VD, Kummer JÁ, Wibelinger LM. Tratamento fisioterapêutico das artralgias. Rev Dor. 2013;14(3):216-8.

Silva DM, Nunes MCO, Oliveira PJAL, Coriolano MGWS, Berenguer FA, Lins OG, et al. Efeitos da fisioterapia aquática na qualidade de vida de sujeitos com doença de Parkinson. Fisioter Pesqui. 2013;20(1):17-23.

Caldart J, Faggion M, Santos RV. Eficácia da hidrocinesioterapia na fratura de joelho: estudo de caso. Rev FisiSenectus. 2013;(1):63-9.

Rosa TS, Andriollo DB, Vey APZ, Mai CG. Fisioterapia aquática como prevenção de quedas na terceira idade: revisão de literatura. Cinergis. 2013;14(1):25-8.

Almeida CI, Saad M, Vieira MSR. Reabilitação em reumatologia geriátrica. Einstein. 2008;6(Supl 1):183-9.

Bruni BM, Granado FB, Prado RA. Avaliação do equilíbrio postural em idosos praticantes de hidroterapia em grupo. Mundo Saúde. 2008;32(1):56-63.

Granillo ZM, Castillo CIRÁ, Suárez JMR, Pérez JAA. Tratamiento de neuroterapia acuática en niños menores de 4 años. Plasticidad y Restauración Neurológica. 2006;5(1):25-9.

Teixeira CS, Pereira EF, Rossi AG. A hidroginástica como meio para manutenção da qualidade de vida e saúde do idoso. Acta fisiátrica. 2007;14(4):226-32.

Wajchemberg M, Pires L, Rodrigues RC, Mano KS, Sottomaior MS, Cohen M, et al. Reabilitação precoce de atletas utilizando hidroterapia após o tratamento cirúrgico de hérnia discal lombar: relato preliminar de 3 casos. Acta ortop bras. 2002;10(2):48-57.

Jacques KC, Drumond NR, Andrade SAF, Júnior IPC, Toffol WC. Eficácia da hidroterapia em crianças com encefalopatia crônica não progressiva da infância: revisão sistemática. Fisioter Mov. 2010;23(1):53-61.

Hay L. Best BETs from the Manchester Royal Infirmary. BET 3: does hydrotherapy help improve post ankle fracture symptoms? Emerg Med J. 2013;30(9):771.

Langschmidt J, Caine PL, Wearn CM, Bamford A, Wilson YT, Moiemen NS. Hydrotherapy in burn care: a survey of hydrotherapy practices in the UK and Ireland and literature review. Burns. 2013;40(5):860-4.

Ramos JM, Mansoldo AC. Efeito de 8 meses de hidroginástica em idosas com osteoporose. Motriz rev educ fis. 2007;13(2):123-8.

Becker BE, Cole AJ. Terapia aquática moderna. São Paulo: Manole; 2000.

Silva WM, Martin DG. Proposta de protocolo hidrocinesioterapêutico para tratamento de luxação congênita de quadril, um estudo de caso. XI Salão de Iniciação Científica – PUCRS, 9 a 12 de agosto de 2010 [acesso em 18 dez 2013], p. 502-4. Disponível em: http://www.pucrs.br/edipucrs/XISalaoIC/Ciencias_da_Saude/Fisioterapia_e_Terapia_Ocupacional/83362-WILLIAM_MACEDO_SILVA.pdf

Handoll HHG, Sherrington C. Mobilisation strategies after hip fracture surgery in adults. Cochrane Database Syst Rev. 2007;24(1):CD001704.

Ferreira A, Almeida D, Campos W, Campos F, Tomazelli R, Romão D. Incidência e caracterização de idosos na clínica ortopédica do Hospital Regional Cáceres por fratura de fêmur. Rev Eletrônica Gestão & Saúde. 2013;4(2):52-62.

Brech GC, Guarniero R, Junior RMG. Amplitude de movimento articular do quadril em pacientes com a doença de Legg-Calvé-Perthes. Fisioter Mov. 2008;21(1):131-8.

Paião RCN, Dias LIN. A atuação da fisioterapia nos cuidados paliativos da criança com câncer. Ensaios e Ciência: C. Biológicas, Agrárias e da Saúde. 2012;16(4):153-69.

Vidmar MF, Muntini N, Audino LP, Almeida CR, Pimentel GL. Efeito da mobilização passiva contínua em pós-operatório de lesão condral traumática do joelho: revisão de literatura. Rev Ciên Méd Biol. 2013;12(2):237-42.

Moller R. Terapias holísticas no esporte. São Paulo: IBRASA; 2000.

Chaskel CF, Preis C, Neto LB. Propriocepção na prevenção e tratamento de lesões nos esportes. Rev Ciên Saúde. 2013;6(1):67-76.

Maia FES, Medeiros EC, Carvalho RRP, Pinto AGKO, Moura ELR, Silva SAL, et al. O alongamento estático manual da musculatura envolvida na inspiração pode promover benefícios para os volumes inspiratórios? Rev Ter Manual. 2013;11(53):415-20.

Downloads

Publicado

2016-06-14

Edição

Seção

ARTIGOS DE REVISÃO

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)