ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM NA MANUTENÇÃO DO ALEITAMENTO MATERNO: UMA REVISÃO SISTEMÁTICA DE LITERATURA

Autores

  • LETICIA CRISTINA COSTA BELEMER Enfermeira, pelo Centro Universitário Campos de Andrade UNIANDRADE.
  • WELLINGTON FERNANDO DA SILVA FERREIRA Enfermeiro, Especialista em Saúde do Idoso e Gerontologia, Mestrando do Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva - Universidade Federal do Paraná - (UFPR).
  • EDINA CORREIA DE OLIVEIRA Enfermeira, Especialista, Mestranda em Educação pela Universidad de la Empresa - UDE - Uruguai, Docente titular da Coordenação de Estágio em Enfermagem do Centro Universitário Campos de Andrade UNIANDRADE.

DOI:

https://doi.org/10.13037/ras.vol16n58.4994

Palavras-chave:

Aleitamento materno, Saúde materno infantil, Desmame precoce, Enfermagem.

Resumo

Introdução: Amamentar demonstra-se ser próprio no processo biológico, tarefa fácil e um instinto natural, porém, para sua realização corretamente é necessário ensinamentos e um conjunto de condições interativa no contexto social da mãe e filho. Objetivo: Compreender as dimensões da enfermagem na manutenção do aleitamento materno para evitar o desmame precoce. Metodologia: Trata-se de uma revisão sistemática de literatura de caráter explora­tório, com abordagem qualitativa, realizou-se a busca de estudos em periódicos na­cionais em base de dados: SCIELO, LILACS, BIREME, publicados entre os anos de 2012 ao primeiro semestre de 2017, com amostra final constituída por 24 artigos científicos comple­tos. Resultados: Os achados apontam, trabalhos científicos voltados a eixos fundamentais, demonstram intercessão entre aspectos do processo do aleitamento materno, causas e consequências dos fatores relacionados à assistência da enfermagem diante das estratégias do desmame precoce. Conclusão: A reflexão e compreensão dos aspectos de interfaces sobre assistência de enfermagem na manutenção do aleitamento materno, estimulando e evidenciando a importância do profissional enfermeiro e estratégias, propostos e arquitetados como objetivos foram alcançados, e seus resultados, através desta investigação apresentam relevância social, profissional e acadêmica.

Palavras-chave: Aleitamento materno; Saúde materno infantil; Desmame precoce; Enfermagem.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

LETICIA CRISTINA COSTA BELEMER, Enfermeira, pelo Centro Universitário Campos de Andrade UNIANDRADE.

Enfermeira, pelo Centro Universitário Campos de Andrade UNIANDRADE.

WELLINGTON FERNANDO DA SILVA FERREIRA, Enfermeiro, Especialista em Saúde do Idoso e Gerontologia, Mestrando do Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva - Universidade Federal do Paraná - (UFPR).

Enfermeiro, Especialista em Saúde do Idoso e Gerontologia, Mestrando do Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva - Universidade Federal do Paraná - (UFPR).

EDINA CORREIA DE OLIVEIRA, Enfermeira, Especialista, Mestranda em Educação pela Universidad de la Empresa - UDE - Uruguai, Docente titular da Coordenação de Estágio em Enfermagem do Centro Universitário Campos de Andrade UNIANDRADE.

Enfermeira, Especialista, Mestranda em Educação pela Universidad de la Empresa - UDE - Uruguai, Docente titular da Coordenação de Estágio em Enfermagem do Centro Universitário Campos de Andrade UNIANDRADE.

Referências

ALMEIDA, J. M.; LUZ, S. A. B.; UED, F. V. Apoio ao aleitamento materno pelos profissionais de saúde: revisão integrativa da literatura. São Paulo. Elsevier, 2015.

QUIRINO, L. S.; OLIVEIRA, J. D.; FIGUEIREDO, M. F. E. R.; QUIRINO, G. S. Significado da experiencia de não amamentar relacionado ás intercorrências mamárias. Juazeiro do Norte. Cogitare Enferm. 2011.

ROCHA, N. B.; GARBIN, A. J. I.; GARBIN, C. A. S.; MOIMAZ I, S. A. S. O ato de amamentar: um estudo qualitativo. Rio de Janeiro. Revista de Saúde Coletiva, 2010.

Brasil. Ministério da Saúde. Instituto Nacional de Alimentação e Nutrição. Programa Nacional de Incentivo ao Aleitamento Materno. Proteção, Promoção e Apoio ao Aleitamento Materno: o papel especial dos serviços materno-infantis. Genebra: OMS; 1989.

MARTINS, E. J; GIUGLIANI, E. R.J. Quem são as mulheres que amamentam por 2 anos ou mais? Porto Alegre. J Pediatr, 2012.

BOSI, M. L. M.; MACHADO, M. T. Amamentação: um resgate histórico. Ceará. Cadernos ESP – Escola de Saúde Pública do Ceará, 2015.

ALMEIDA, E. A.; FILHO, J. M.; O contato precoce mãe-filho e sua contribuição para o sucesso do aleitamento materno. Campinas. Rev. Ciênc. Méd. 2014

TEIXEIRA, M.A.; NITSCHKE, R. G.; SILVA, L.W.S. A prática da amamentação no cotidiano familiar – um contexto intergeracional: influência das mulheres-avós*. São Paulo. Revista Temática Kairós Gerontologia, 2011.

SANTOS, J. S.; ANDRADE, M.; SILVA, J. L. L. Fatores que influenciam no desmame precoce: implicações para o enfermeiro de promoção da saúde na estratégia de saúde da família. São Paulo. Informe-se em promoção da saúde, 2010.

BRASILEIRO, A. A.; POSSOBON, R. F.; CARRASCOZA, K. C.; AMBROSANO C. M. B.; MORAES, A. B. A. Impacto do incentivo ao aleitamento materno entre mulheres trabalhadoras formais. Rio de Janeiro. Cad. Saúde Pública, 2010.

ALMEIDA, I. S; RIBEIRO, I. B., RODRIGUES, B. M. R.D., COSTA, C. C. P., FREITAS, N. S., VARGAS, E. B. Amamentação para mães primárias: perspectivas e intencionalidades do enfermeiro ao orientar. Rio de Janeiro. Cogitare Enferm, 2010.

NASCIMENTTO, C. I. M; TEODORO, L. P. P; VIDAL, E. C. F; PINTO, A. G. A. Concepção e práticas para o aleitamento materno: revisão integrativa. Recife. Rev enferm UFPE, 2017.

ROCHA, F. A. A; JUNIOR A. R. F; JUNIOR, C. C. M; ROGRIGUES, E. N. G. O enfermeiro da estratégia de saúde da família como promotor do aleitamento materno. Rio Grande do Sul. Revista Contexto & Saúde, 2016.

ANDRADE, R. D; SANTOS, J. S; MAIA, M. A. C; MELLO, D. F. Fatores relacionados à saúde da mulher no puerpério e repercussões na saúde da criança. Minas Gerais. Escola Anna Nery Revista de Enfermagem, 2015.

ROCCI, E; FERNANDES, R. A. Q. Dificuldades no aleitamento materno e inflência no desmame precoce. São Paulo. Rev Bras Enferm, 2014.

SANTOS, K. C. R; SILVA, M. L; SILVA, E. F. Cuidado de enfermagem na promoção do aleitamento materno em alojamento conjunto: um relato de experiência. Rio Grande do Sul. REAS, 2013.

SILVA, L. L.B; FELICIANO, K. V. O; OLIVEIRA, L. N. F. P; PEDROSA, E. N; CORRÊA, M. S. M; SOUZA, A. I. Cuidados prestados à mulher na visita domiciliar da “Primeira Semana de Saúde Integra”. Rio Grande do Sul. Rev Gaúcha Enferm, 2016.

FONSCECA-MACHADO, M. O; HAAS, V. J; STEFANELLO, J; NAKANO, A. M. S; GOMES-SPONHOLZ, F. Aleitamento materno: conhecimento e prática. São Paulo. Rev Esc Enferm USP, 2012.

QUEIROZ, P. P; PONTES, C. M. Significado das ações educativas de enfermagem centradas na amamentação na perspectiva das nutrizes e familiares. Recife. Revista de Enfermagem Referência, 2012.

BATISTA, K. R. A; FARIAS, M. C. A. D; MELO, W. S. N. Influência da assistência de enfermagem na prática da amamentação no puerpério imediato. Rio de Janeiro. Saúde de Debate, 2013.

ABREU, F. C. P; FABRRO, M. R. C; WERNET, M. Fatores que intervêm na amamentação exclusiva: revisão integrativa. São Paulo. Rev Rene, 2013.

CAMPAGNOLO, P. D. B; LOUZADA, M. L. C; SILVEIRA, E. L; VITOLO, M. R. Práticas alimentares no primeiro ano de vida e fatores associados em amostra representativa da cidade de Porto Alegre, Rio Grande do Sul. Campinas. Rev Nutr, 2012.

BARBIERI, M. C; BERCINI, L. O; BRONDANI, K. J. M; FERRARI, R. A. P. F; TAELA, M. T. G. M; SANT’ANNA, F.L. Aleitamento materno: orientações recebidas no pré-natal, parto e puerpério.

OLIVEIRA, C. N. T; OLIVEIRA, M. V. Prevalência de aleitamento materno exclusivo e fatores associados ao desmame precoce no munícipio de Vitória da Conquista – BA. Vitória da Conquista. C&D Revista eletrônica da Fainor, 2012.

TETER, M. S. H; OSELAME, G. B; NEVES, E. B. Amamentação e desmame precoce em lactantes de Curitiba. Londrina. Revista espaço a saúde, 2015.

SOUSA, M. S; AQUINO, P. S; AQUINO, C. B. Q; PENHA, J. C; PINHEIRO, A. K. B. Aleitamento materno e os determinantes do desmame precoce. Teresina. Rev Enferm UFPI, 2015.

DEMITTO, M. O; BERCINI, L. O; ROSSI, R. M. Uso de chupeta e aleitamento materno exclusivo. Maringá. Esc Anna Nery, 2013.

MACIEL, V. B. S; SILVA, R. P. M; SAÑUDO, A; ABUCHAIM, E. S. V; ABRÃO, A. C. F. V. Aleitamento materno em crianças indígenas de dois municípios da Amazônia Ocidental Brasileira. Cruzeiro do sul. Acta Paul Enferm, 2016.

QUELUZ, M. C; PEREIRA, M. J. B; SANTOS, C. B; LEITE, A. M; RICCO, R. G. Prevalência e determinantes do aleitamento materno exclusivo no munícipio de Serrana, São Paulo, Brasil. São Paulo. Ver Esc Enferm USP, 2012.

SOUSA, F; CLARO, M. L; SOUSA, A. L; LIMA, L. H. O; SANTANA, A. G. S. Avanços e desafios do aleitamento materno no Brasil: uma revisão integrativa. Fortaleza. Rev Bras Promoç Saúde, 2015.

MOREIRA, L. A; CRUZ, N. V; LINHARES, F. M. P; GUEDES, T. G; MARTINS, F. D. P; PONTES, C. M. Apoio à mulhernutriz nas peças publicitárias da Semana Mundial da Amamentação. Recife. Rev Bras Enferm, 2017.

FIGUEREDO, S. F; MATTAR, M. J. G; ABRÃO, A. C. F.V. Iniciativa Hospital Amigo da Criança – uma política de promoção e apoio ao aleitamento materno. São Paulo. Acta Paul Enferm, 2012.

RODRIGUES, A. P; NASCIMENTO, L. A; DODT, R. C; ORIÁ, M. O. B; XIMENES, L. B. Validação de um albúm seriado para promoção da autoeficacia em amamentar. Fortaleza. Acta Paul Enferm, 2013.

DODT, R. C. M; JAVORSKI, M; NASCIMENTO, L. A; FERREIRA, A. M. V; TUPINAMBA, M. C; XIMENES, L. B. Álbum seriado sobre aleitamento materno: intervenção educativa com nutrizes no pós-parto imediato. Recife. Rev enferm UFPE, 2013.

FIGUEREDO, S. F; MATTAR, M. J. G; ABRÃO, A. C. F. V. Hospital Amigo da Criança: prevalência de alimento materno exclusivo aos seis meses e fatores intervenientes. São Paulo. Rev Esc Enferm USP, 2013.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Nascidos vivos, ocorridos no ano, por sexo e local do nascimento, segundo a idade da mãe na ocasião do parto. [Internet]. 2011 [citado 2017 jul 2]. Disponível em: ftp://ftp.ibge.gov.br/Registro_Civil/2011/pdf/tab_1_3.pdf.

GALVÃO, Cristina Maria; SAWADA, Namie Okino; TREVIZAN, Maria Auxiliadora. Revisão sistemática: recurso que proporciona a incorporação das evidências na prática da enfermagem. Revista Latino-Americana de Enfermagem, v. 12, n. 3, p. 549-556, 2004.

Downloads

Publicado

15-04-2019

Edição

Seção

ARTIGOS DE REVISÃO