A ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM E O CUIDADO FAMILIAR ÀS CRIANÇAS COM NECESSIDADES ESPECIAIS DE SAÚDE: UMA REVISÃO INTEGRATIVA

Ana Luiza Rodrigues Inácio, Ana Paula Gomes Lima Peixoto

Resumo


Introdução: Crianças com necessidades especiais de saúde precisam continuamente de serviços que ofereçam assistência para além dos requeridos por crianças em geral. Objetivo: Descrever a assistência de enfermagem e o cuidado familiar prestados às crianças com necessidades especiais de saúde. Materiais e métodos: Revisão integrativa na base de dados da Biblioteca Virtual em Saúde (BVS-Bireme), com os descritores “crianças com deficiência”, “cuidados de enfermagem” e “cuidadores”. Apenas artigos sobre o tema foram incluídos, publicados em língua portuguesa, no período de janeiro/2000 a dezembro/2015, disponíveis on-line, na íntegra e gratuitamente. Resultados: Ainda existe um grande despreparo familiar em dar continuidade ao tratamento domiciliar da criança com necessidades especiais. Como justificativa, aponta-se um distanciamento entre a equipe de saúde e a família do paciente, cenário no qual o núcleo familiar não tem sido atendido como um todo, uma vez que a equipe acaba centrando sua atenção somente aos cuidados biomédicos. Ressalta-se ainda que há uma série de cuidados especiais, o que exige mais preparação e capacitação por parte da enfermagem para atuação nas demandas de assistência à criança e à família. Conclusões: Ao abordar a assistência profissional de saúde e o contexto familiar, com suas diversas faces do cuidar, reconhece-se a necessidade da busca pelo crescimento teórico e pela capacitação na área, como concepções abrangentes para lidar com a criança com necessidades especiais de saúde que respeitem sua complexidade e subjetividade para um cuidado de qualidade.


Referências


Whaley LF, Wong DL. Enfermagem pediátrica: elementos essenciais à intervenção efetiva. 5ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 1999.

McPherson M, Arango P, Fox H, Lauver C, McManus M, Newacheck PW, et al. A new definition of children with special health care needs. Pediatrics. 1998;1(102):137-41.

Neves ET, Cabral IE. A fragilidade clínica e a vulnerabilidade social das crianças com necessidades especiais de saúde. Rev Gaúcha Enferm. 2008;29(2):183.

Neves ET. A prática de enfermagem pediátrica em tempos de crianças com necessidades especiais de saúde. Rev Soc Bras Enferm Ped. 2008;8(2):55-6.

Organização das Nações Unidas. A ONU e as pessoas com deficiência [Internet]. Brasília, DF: Organização das Nações Unidas; 2017 [citado em 2017 out 30]. Disponível em: https://goo.gl/xRUazG

Ferraz L, Almeida FM, Girardi F, Soares SC. Assistência de enfermagem na promoção do autocuidado aos portadores de necessidades especiais. Rev Enferm UERJ. 2007;15(4):597-600.

Silveira A, Neves ET. Crianças com necessidades especiais de saúde: tendências das pesquisas de enfermagem. Rev Enferm UFSM. 2011;1(2):254-60.

Mendes KDS, Silveira RCCP, Galvão CM. Revisão integrativa: método de pesquisa para a incorporação de evidências na saúde e na enfermagem. Texto Contexto Enferm. 2008;17(4):758-64.

Pereira, ARPF, Matsue RY, Vieira LJES, Pereira RVS. Análise do cuidado a partir das experiências das mães de crianças com paralisia cerebral. Rev Saúde Soc. 2014;23(2):612-25.

Soares MZV, Bitencourt JVOV, Parker AG, Borges AMF, Vargas MAO, Schoeller SD. A influência do toque no cuidado às crianças especiais. Rev Enferm UFSM. 2014;4(1):76-86.

Milbrath VM, Siqueira HCH, Amestoy SC, Cestari ME. Criança portadora de necessidades especiais: contrapontos entre a legislação e a realidade. Rev Gaúcha Enferm. 2009;30(1):127-30.

Vargas JS, Rezende MS. Comunicação: equipe de enfermagem e paciente em ventilação mecânica. Rev Enferm UFSM. 2011;1(3):412-33.

Barbosa MAM, Balieiro MMFG, Pettengill MAM. Cuidado centrado na família no contexto da criança com deficiência e sua família: uma análise reflexiva. Texto Contexto Enferm. 2012;21(1):194-9.

Holanda ER, Collet N, Costa SFG. Crianças com Síndrome de Down: o significado do cuidar na percepção de mães. Online Braz J Nurs [Internet]. 2008 [citado 2017 fev 7];7(2). Disponivel em: https://goo.gl/i4HCu4.

Rosário SSD, Fernandes APNL, Batista FWB, Monteiro AI. Acessibilidade de crianças com deficiência aos serviços de saúde na atenção primária. Rev Eletr Enferm [Internet]. 2013 [citado em 2017 fev 8];15(3):740-6. Disponível em: https://goo.gl/u7gyNT.

França ISX, Pagliuca LMF. Acessibilidade das pessoas com deficiência ao SUS: fragmentos históricos e desafios atuais. Rev RENE. 2008;9(2):129-37.

Gondim KM, Carvalho ZMF. Sentimentos das mães de crianças com paralisia cerebral à luz da Teoria de Mishel. Esc Anna Nery. 2012;16(1):11-6.

Neves ET, Cabral IE. Cuidar de crianças com necessidades especiais de saúde: desafios para as famílias e enfermagem pediátrica. Rev Eletr Enferm [Internet]. 2009 [citado em 2017 fev 8];11(3). Disponível em: https://goo.gl/aUJzzk.

Silva CX, Brito ED, Sousa FS, França ISX. Criança com paralisia cerebral: qual o impacto na vida do cuidador. Rev RENE. 2010;11(Supl):204-14.

Zamberlan KC, Neves ET, Silveira A, Paula CC. O cuidado familiar à criança com necessidades especiais de saúde no contexto da comunidade. Cienc Cuid Saude. 2013;12(2):290-7.

Simonasse MF, Moraes JRMM. Crianças com necessidades especiais de saúde: impacto no cotidiano familiar. Rev Pesqui Cuid Fundam Online [Internet]. 2015 [citado em 2017 fev 8];7(3):2902-9. Disponível em: https://goo.gl/zv6D7n.

Milbrath VM, Soares DC, Amestoy SC, Cecagno D, Siqueira HCH. Mães vivenciando o diagnóstico da paralisia cerebral em seus filhos. Rev Gaúcha Enferm. 2009;30(3):437-44.

Toly VB, Musil CM, Carl JC. Families with children who are technology dependent: normalization and family functioning. West J Nurs Res. 2012;34(1):52-71.

Moraes JRMM, Cabral IE. The social network of children with special healthcare needs in the (in)visibility of nursing care. Rev Latino-Am Enfermagem. 2012;20(2):282-8.

Rocha PFA, Boehs AE, Silva AMF. Rotina de cuidados das famílias de crianças com paralisia cerebral. Rev Enferm UFSM. 2015;5(4):650-60.

Dantas MSA, Pontes JF, Assis WD, Collet N. Facilidades e dificuldades da família no cuidado à criança com paralisia cerebral. Rev Gaúcha Enferm. 2012;33(3):73-80.

Kuhlthau K, Kahn R, Hill KS, Gnanasekaran S, Ettner SL. The well-being of parental caregivers of children with activity limitations. Matern Child Health J. 2010;14(2):155-63.

Cagran B, Schmidt M, Brown I. Assessment of the quality of life in families with children who have intellectual and developmental disabilities in Slovenia. J Intellect Disabil Res. 2011;55(12):1164-75.


Texto completo: PDF




Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .