TRATAMENTO ORTODÔNTICO DA MORDIDA ABERTA ANTERIOR CAUSADA POR HÁBITOS DELETÉRIOS

Autores

  • Ricardo Raitz Universidade Municipal de São Caetano do Sul- USCS
  • Marcos Saber APCD
  • Helena Benites de Jesus Universidade Ibirapuera

DOI:

https://doi.org/10.13037/rbcs.vol8n25.1027

Palavras-chave:

Mordida aberta anterior, hábitos deletérios e má oclusão.

Resumo

A mordida aberta anterior (MAA) é uma má oclusão de comprometimento estético e funcional, definida como trespasse vertical negativo entre os dentes antagonistas que altera o perfil e a fisionomia do indivíduo, dificulta a apreensão e corte dos alimentos, prejudica determinados fonemas e expõe os pacientes a situações cotidianas desagradáveis. O objetivo desse trabalho é realizar uma revisão de literatura ilustrada por um caso clínico, abordando os fatores determinantes para esta alteração patológica bem como as diversas formas de tratamento envolvidas. Os trabalhos levantados nesta revisão de literatura apontam os hábitos deletérios como principais responsáveis pela MAA, dentre eles a sucção digital e a sucção de chupeta, considerados os mais comuns, os quais, muitas vezes, estão associados a fatores emocionais. O mau hábito pode provocar uma má oclusão desde que haja uma interrelação direta de três fatores: intensidade, tempo e freqüência do mesmo. Assim, quando a criança interrompe precocemente o hábito de sucção não nutritiva, este não se torna deletério. O diagnóstico e tratamento ortodôntico precoces proporcionam um prognóstico bastante favorável, com menores chances de recidivas. Em razão da etiologia multifatorial e das diversas consequências, é necessário que ocorra integração entre várias especialidades como a ortodontia, a odontopediatria, a psicologia, a otorrinolaringologia e a fonoaudiologia. Concluímos que para a correção da MAA é indicado o emprego de dispositivos recordatórios e impedidores.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

02-02-2011

Edição

Seção

ARTIGOS DE REVISÃO

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)