Vida universitária e atividade física: um estudo sobre a produção acadêmica

Autores

  • Gustavo Marques Porto Cardoso Universidade Federal da Bahia – Salvador (BA), Brasil
  • Renata Meira Veras Universidade Federal da Bahia – Salvador (BA), Brasil
  • Maria Thereza Ávila Dantas Coelho Universidade Federal da Bahia – Salvador (BA), Brasil
  • Wilton Nascimento Figueredo Universidade Federal da Bahia – Salvador (BA), Brasil

DOI:

https://doi.org/10.13037/ras.vol15n52.4522

Palavras-chave:

Atividade física, Universidade, Saúde, Promoção da saúde

Resumo

Introdução: A crescente visibilidade da atividade física na sociedade projeta a necessidade de discuti-la nas mais variadas populações. Objetivo: Este estudo busca discutir a produção científica nacional e internacional sobre a atividade física em estudantes universitários. Materiais e Métodos: Como estratégia metodológica se optou por uma abordagem qualitativa, utilizando o estado da arte, para analisar os artigos sobre a temática contidos nas bases de dados SciELO e LILACS. Resultados: Fica evidenciado que a atividade física é abordada sob diversas óticas temáticas baseadas em estudos quantitativos na área da epidemiologia, majoritariamente centrados na região Sul do país, principalmente nas instituições federais, com ápice de produção entre 2008-2012. Conclusão: Os autores e acadêmicos concordam sobre os benefícios da atividade física para a comunidade universitária. Porém, nota-se que os discentes ainda possuem baixo nível de prática de atividade física, havendo necessidade de implementação de mais programas e políticas de promoção de saúde para essa população, para que sejam futuros propagadores de um estilo de vida saudável.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gustavo Marques Porto Cardoso, Universidade Federal da Bahia – Salvador (BA), Brasil

Educador Físico. Mestre em Estudos Interdisciplinares sobre a Universidade (EISU/UFBA). Docente do Bacharelado em Educação Física da Faculdade Nobre de Feira de Santana (FAN)

Renata Meira Veras, Universidade Federal da Bahia – Salvador (BA), Brasil

Psicóloga e Fisioterapeuta. Doutora em Psicologia Social pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Docente da Universidade Federal da Bahia (IHAC/UFBA).

Maria Thereza Ávila Dantas Coelho, Universidade Federal da Bahia – Salvador (BA), Brasil

Psicóloga. Doutora em Saúde Coletiva pela Universidade Federal da Bahia (ISC/UFBA). Docente da Universidade Federal da Bahia (IHAC/UFBA).

Wilton Nascimento Figueredo, Universidade Federal da Bahia – Salvador (BA), Brasil

Enfermeiro. Doutorando em Enfermagem pela Universidade Federal da Bahia (PPGENF/UFBA). Docente da Faculdade Maurício de Nassau-Salvador/BA (UNINASSAU)

Referências

Malta DC, Castro AM, Gosch CS, Cruz DKA, Bressan A,

Nogueira JD, et al. A Política Nacional de Promoção de

Saúde e a agenda da atividade física no contexto do SUS.

Epidemiol Serv Saúde. 2009;18(1):79-86.

Ferreira MS, Najar AL. Programas e campanhas de

promoção da atividade física. Ciênc. Saúde Coletiva.

;10Suppl:207-19.

Nahas MV. Atividade física, saúde e qualidade de vida.

Londrina: Midiograf; 2006.

Mendonça BCA, Toscano JJO, Oliveira ACC. Programa academia

da cidade de Aracajú: promovendo saúde por meio da

atividade física. Rev Bras Ativ Fís Saúde. 2009;14(3):211-6.

Ferrari EP, Petroski EL, Silva DAS. Prevalence of body

image dissatisfaction and associated factors among physical

education students. Trends Psychiatry Psychother.

;35(2):119-27.

Rigoni, PAG, Junior JRAN, Costa GNFS, Vieira LF.

Estágios de mudança de comportamento e percepção de

barreiras para a prática de atividade física em universitários

do curso de Educação Física. Rev Bras Ativ Fís Saúde.

;17(2):87-92.

Veras VS, Monteiro LZ, Landim CAP, Xavier ATF, Pinheiro

MHNP, Junior RMM. Levantamento dos fatores de risco

para doenças crônicas em universitários. Rev Bras Prom

Saúde. 2007;20(3):168-72.

Azevedo MR, Araújo CL, Silva MC, Hallal PC. Tracking of

physical activity from adolescence to adulthood: a population-

based study. Rev Saúde Pública. 2007,41(1):69-75.

Mantilla-Toloza SC, Gómez-Conesa A, Hidalgo-

Montesinos MD. Actividad física, tabaquismo y consumo

de alcohol, en un grupo de estudiantes universitarios.

Rev Salud Publica (Bogotá). 2011;13(5):748-58.

Silva DAS, Petroski EL. Fatores associados ao nível de

participação em atividades físicas em estudantes de uma

universidade pública no Sul do Brasil. Cien Saude Colet.

;16(10):4087-94.

Marcondelli P, Costa THM, Schmitz BAS. Nível de atividade

física e hábitos alimentares de universitários do 3º ao 5º

semestres da área de saúde. Rev Nutr. 2008;21(1):39-47.

Cieslak F, Cavazza JF, Lazarotto L, Titski ACK, Stefanello

JMF, Leite N. Análise da qualidade de vida e do nível

de atividade física em universitários. Rev Educ Fis.

;23(2):251-60.

Ferreira NSA. As pesquisas denominadas “estado da arte”.

Educ Soc. 2002;23(79):257-72.

Romanowski JP, Ens RT. As pesquisas denominadas

do tipo “Estado da Arte” em educação. Diálogo Educ.

;6(19):37-50.

Caspersen CJ, Powell KE, Christenson GM. Physical activity,

exercise, and physical fitness: definitions and distinctions

for health-related research. Public Health Rep.

;100(2):126-31.

Hallal PC, Knuth AG. Epidemiologia da atividade física e

a aproximação necessária com as pesquisas qualitativas. Rev

Bras Ciênc Esporte. 2011;33(1):181-92.

Rodrigues ESR, Cheik NC, Mayer AF. Nível de atividade

física e tabagismo em universitários. Rev Saúde Pública.

;42(4):272-8.

Silva GSF, Bergamaschine R, Rosa M, Melo C, Miranda R,

Filho MB. Avaliação do nível de atividade física de estudantes

de graduação das áreas saúde/biológica. Rev Bra Med

Esporte. 2007;13(1):39-42.

Quadros TMB, Petroski EL, Santos-Silva DA, Pinheiro-Gordia

A. The prevalence of physical inactivity amongst Brazilian

university students: its association with sociodemographic variables.

Rev Salud Publica (Bogotá). 2009;11(5):724-33.

Guedes DP, Legnani RFS, Legnani E. Exercise motives

in a sample of Brazilian university students. Motriz.

;19(3):590-6.

Batistella C. Abordagens contemporâneas do conceito de

saúde. In: Fonseca AF, organizador. O território e o processo

saúde-doença. Rio de Janeiro: Fiocruz; 2007. p. 54.

Castillo I, Molina-García J. Adiposidad corporal y bienestar

psicológico: efectos de la actividad física en universitarios

de Valencia, España. Rev Panam Salud Publica.

;26(4):334-40.

Dias C, Corte-Real N, Corredeira R, Barreiros A, Bastos T,

Fonseca AM. A prática desportiva dos estudantes universitários

e suas relações com as autopercepções físicas, bem-estar subjectivo

e felicidade. Estud Psicol (Natal). 2008;13(3):223-32.

Sousa TF. Atividades físicas praticadas no lazer por universitários

de uma instituição pública do Nordeste do Brasil. Rev

Bras Ativ Fís e Saúde. 2012;17(2):125-31.

Petroianu A, Santos BMR, Gonçalves RM. Deficiência visual

e prática esportiva em estudantes de medicina e de educação

física. RBM Rev Bras Med. 2004;61(11):726-29.

Nahas MV, Barros MVG, Francalacci V. O pentáculo

do bem-estar: base conceitual para avaliação do estilo de

vida de indivíduos ou grupos. Rev Bras Ativ Fís Saúde.

;5(2):48-59.

Colares V, Franca C, Gonzalez E. Condutas de saúde entre

universitários: diferenças entre gêneros. Cad Saúde Pública.

;25(3):521-8.

Brandão MP, Pimentel FL, Cardoso MF. Impact of academic

exposure on health status of university students. Rev

Saúde Pública. 2011;45(1):49-58.

Franca C, Colares V. Estudo comparativo de condutas de

saúde entre universitários no início e no final do curso. Rev

Saúde Pública. 2008;42(3):420-27.

García-Laguna DG, García-Salamanca GP, Tapiero-Paipa

YT, Caballero DMR. Determinantes de los estilos de vida y

su implicación en la salud de jóvenes universitarios. Hacia

Promoc Salud. 2012;17(2):169-85.

Ferrari EP, Silva DAS, Petroski EL. Associação entre percepção

da imagem corporal e estágios de mudança de comportamento

em acadêmicos de educação física. Rev Bras

Cineantropom Desempenho Hum. 2012;14(5):535-44.

Rech CR, Araújo ED., Vanat JDR. Autopercepção da imagem

corporal em estudantes do curso de Educação Física.

Rev Bras Educ Fís Esporte. 2010;24(2):285-92.

Ferrari EP, Gordia AP, Martins CR, Silva DA, Quadros TM,

Petroski EL. Insatisfação com a imagem corporal e relação

com o nível de atividade física e estado nutricional em universitários.

Motricidade. 2012;8(3):52-8.

Simão M, Hayashida M, Santos CB, Cesarino EJ, Nogueira

MS. Hipertensão arterial entre universitários da cidade de

Lubango, Angola. Rev Latinoam Enferm. 2008;16(4):672-8.

Vilarinho RMF, Lisboa MTL, Thiré PK, França PV.

Prevalência de fatores de risco de natureza modificável para

a ocorrência de diabetes mellitus tipo 2. Esc Anna Nery Rev

Enferm. 2008;12(3):452-56.

Belli T, Coelho FGM, Ferreira AS, Moura RF, Queiroga

MR, Luciano E. Impacto do exercício agudo no perfil metabólico

pós-prandial em adultos fisicamente aptos. Rev Bras

Cineantropom Desempenho Hum. 2009;11(3):314-19.

Cordero RE, Pagavino D, Hernandéz CI, Contrera MI,

García P, Sifontes ZM, et al. Biomarcadores séricos del estado

de salud en jóvenes universitarios de acuerdo a su nivel de

actividad física. Rev Fac Med (Caracas). 2008;31(1):29-36.

Ramalho AA, Dalamaria T, Souza OF. Consumo regular

de frutas e hortaliças por estudantes universitários em Rio

Branco, Acre, Brasil: prevalência e fatores associados. Cad

Saúde Pública. 2012;28(7):1405-13.

Simão CB, Nahas MV, Oliveira ESA. Atividade física habitual,

hábitos alimentares e prevalência de sobrepeso e

obesidade em universitários da Universidade do Planalto

Catarinense – Uniplac, Lages. SC. Rev Bras Ativ Fís Saúde.

;11(1)3-12.

Santos JS, Xavier AAO, Rieis EF, Costabeber I, Emanuelli T.

Consumo de produtos de origem animal por universitários

em Santa Maria, RS. Nutrire Rev Soc Bras Aliment Nutr.

;31(2):13-24.

Paixão LA, Dias RMR., Prado WL. Estilo de vida e estado

nutricional de universitários ingressantes em cursos

da área de saúde do Recife/PE. Rev Bras Ativ Fís Saúde.

;15(3):145-50.

Madureira AS, Corseuil HX, Pelegrini A, Petroski EL.

Associação entre estágios de mudança de comportamento

relacionados à atividade física e estado nutricional em universitários.

Cad Saúde Pública. 2009;25(10):2139-46.

Reis FB, Ciconelli RM, Faloppa F. Pesquisa Científica:

a importância da metodologia. Rev Bras Ortop.

;37(3):51-5.

Turato ER. Métodos qualitativos e quantitativos na área de

saúde: definições, diferenças e seus objetos de pesquisa. Rev

Saúde Pública. 2005;39(3):507-14.

Landim FLP, Laurinho LA, Lira RCM, Santos ZMSA. Uma

reflexão sobre as abordagens em pesquisa com ênfase na integração

qualitativo-quantitativa. Rev Bras Promoç Saúde.

;19(1):53-8.

González AM, Tamayo OE. Obstáculos cognitivo-

-emotivos para la realización de actividad física en

estudiantes universitarios. Rev Latinoam Cienc Soc Niñez

Juv. 2012;10(1):379-96.

Bourdieu P. Questões de sociologia. Rio de Janeiro: Marco

Zero; 1983.

Araújo FMB, Alves EM, Cruz MP. Algumas reflexões em

torno dos conceitos de campo e de habitus na obra de Pierre

Bourdieu. Rev Perspect Cienc Tecnol. 2009;1(1):31-40.

Almeida Filho N. Intersetorialidade, transdisciplinaridade e

saúde coletiva: atualizando um debate em aberto. Rev Adm

Pública. 2000;34(6):11-34.

Pitanga FJG. Epidemiologia, atividade física e saúde. Rev

Bras Ciênc Mov. 2002;10(3):49-54.

Fontes ACD, Vianna RPT. Prevalência e fatores associados

ao baixo nível de atividade física entre estudantes universitários

de uma universidade pública da região Nordeste, Brasil.

Rev Bras Epidemiol. 2009;12(1):20-9.

Omram AR. The epidemiologic transition: a theory of the

epidemiology of population change. Bull World Health

Organ. 2001;79(2):509-38.

Coutinho RX, Soares MC, Folmer V, Puntel RL. Análise

da produção de conhecimento da Educação Física brasileira

sobre o cotidiano escolar. RBPG. 2012;9(17):491-516.

Downloads

Publicado

2017-08-17

Edição

Seção

ARTIGOS DE REVISÃO

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)