PROCESSO DE ORIENTAÇÃO PARA AMAMENTAR: A DESARTICULAÇÃO DA EDUCAÇÃO REALIZADA À BEIRA DO LEITO

Autores

  • Juliana da Silva Garcia Nascimento universidade de uberaba
  • Fabiana Cristina Pires Universidade de Uberaba
  • Larissa Andrade Pereira Universidade de Uberaba
  • Fernanda Cristina Moraes Borges universidade de uberaba
  • Thais Cristianne dos Santos Silva Universidade de Uberaba

DOI:

https://doi.org/10.13037/ras.vol15n54.4759

Palavras-chave:

Aleitamento materno, educação, período pós-parto

Resumo

Introdução: O leite materno é o primeiro alimento da criança e, portanto, é imprescindível a orientação educacional à beira-leito nesse âmbito. Objetivo: Compreender o processo de orientação necessário para amamentação da perspectiva dos enfermeiros e das mães. Métodos: Estudo descritivo exploratório, com abordagem qualitativa, realizado por meio de entrevista semiestruturada gravada com quinze puérperas e quatro enfermeiros. Resultados: A percepção dos enfermeiros possibilitou identificar dois temas: o primeiro se refere às orientações realizadas para amamentar, a saber: o tempo em que o bebê deve permanecer mamando; a pega correta; o posicionamento correto; a necessidade de alternar a mama; o intervalo da mamada. As dificuldades envoltas nesse processo foram o segundo tema, configurando a falta de conhecimento e a insegurança da puérpera para amamentar; a necessidade de o enfermeiro apropriar-se da sua função de educador; a demanda de fortalecer o vínculo entre atenção primária e atenção terciária na saúde. A análise da percepção das puérperas também gerou dois temas: orientações recebidas beira-leito cujas referências corroboraram as realizadas pelos enfermeiros; contradições nas abordagens educacionais, evidenciando as diferentes formas de realizar as orientações pelos profissionais. Conclusões: Apesar de o processo de orientação realizado pelos enfermeiros configurar as mesmas instruções percebidas pelas puérperas, identificaram-se lacunas na educação realizada beira-leito quanto ao alinhamento da fala profissional, evidenciando a desarticulação do processo e dificultando a compreensão da puérpera, o que reforça ser necessária a adoção de protocolos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Juliana da Silva Garcia Nascimento, universidade de uberaba

Enfermeira- Mestre- Docente no curso de graduação em enfermagem da universidade de uberaba.

Fabiana Cristina Pires, Universidade de Uberaba

Graduanda do curso de enfermagem da universidade de uberaba.

Larissa Andrade Pereira, Universidade de Uberaba

Enfermeira, preceptora de estagio no curso de graduação em enfermagem da universidade de uberaba

Fernanda Cristina Moraes Borges, universidade de uberaba

Enfermeira, preceptora de estagio no curso de graduação em enfermagem da universidade de uberaba

Thais Cristianne dos Santos Silva, Universidade de Uberaba

Academica do curso de graduação em enfermagem da universidade de uberaba

Referências

Amitay EL, Keinan-Boker L. Breastfeeding and childhood leukemia incidence: a meta-analysis and systematic review. JAMA Pediatr. 2015;169(6):e151025. Erratum in: JAMA Pediatr. 2015;169(8):791; JAMA Pediatr. 2015;169(8):791; JAMA Pediatr. 2015;169(11):1072.

United Nations Children’s Fund (Unicef). Breastfeeding on the worldwide agenda. Findings from a landscape analysis on political commitment for programmes to protect, promote and support breastfeeding [Internet]. New York: Unicef; 2013 [citado em 2017 jun 5]. Disponível em: https://goo.gl/oBdQmy.

Brasil. Ministério da Saúde. Cadernos de atenção básica: saúde da criança. Aleitamento materno e alimentação complementar [Internet]. Brasília, DF: Ministério da Saúde; 2015 [citado em 2017 jun 5]. Disponível em: https://goo.gl/Me8TbV.

Brasil. Ministério da Saúde. Portal da Saúde. Brasil é referência mundial em amamentação [Internet]. Brasília, DF: Ministério da Saúde; 2016 [citado em 2017 maio 29]. Disponível em: https://goo.gl/Kv8457.

Almeida JA, Luz SA, Ued FV. Apoio ao aleitamento materno pelos profissionais de saúde: revisão integrativa da literatura. Rev Paul Pediatr [Internet]. 2015 [citado em 2017 maio 29];33(3):355-62. Disponível em: https://goo.gl/q5Kog5.

Visintin AB, Primo CC, Amorim MHC, Leite FMC. Avaliação do conhecimento de puérperas acerca da amamentação. Enferm Foco [Internet]. 2015 [citado em 2017 jun 5]; 6(1/4): 12-6. Disponível em: https://goo.gl/QHrYor.

Duarte EF, Santos CSE, Couto MGC, Andrade VLFS, Matos RCP, Santos EI. Estratégias utilizadas por enfermeiros na promoção do aleitamento materno no puerpério imediato. Rev Cuid [Internet]. 2013 [citado em 2017 jun 5]; 4(1). Disponível em: https://goo.gl/MgUwQK.

Silva NM, Waterkemper R, Silva EF, Cordova FP, Bonilha ALL. Conhecimento de puérperas sobre amamentação exclusiva. Rev Bras Enferm [Internet]. 2014 [citado em 2017 jun 5]; 67(2):290-5. Disponível em: https://goo.gl/FWTvnW.

Marinho MS, Andrade EN, Abrão ACFV. A atuação do(a) enfermeiro(a) na promoção, inventivo e apoio ao aleitamento materno. Rev Rec. 2015;4(2):189-198.

Cunha EC, Siqueira HCH. Aleitamento materno: contribuições da enfermagem. Ensaios Cienc, Cienc Biol Agrar Saúde [Internet]. 2016 [citado em 2017 jun. 5];20(2):86-92. Disponível em: https://goo.gl/qRWg8m.

Cavalcante RB, Calixto P, Pinheiro MMK. Content analysis: general considerations, relations with the research question, the possibilities and limitations of the method. Inf & Soc: Est [Internet]. 2014 [citado em 2017 jun 5];24(1):13-8. Disponível em: https://goo.gl/u4sX27.

Costa PB, Chagas ACMA, Joventino ES, Dodt RCM, Oría MOB, Ximenes LB. Development and validation of educational manual for the promotion of breastfeeding. Rev Rene. 2013;14(6):1160-7.

Cordeiro EL, Santana I, Coelho M, Souza RM, Cassilha AP. Preparo das gestantes na técnica de amamentação em uma unidade de saúde da família no município de Olinda – PE. Revista Universo [Internet]. 2013 [citado em 2017 jun 5];7:1-18. Disponível em: https://goo.gl/bawByQ.

Azevedo ARR, Alves VH, Souza RMP, Rodrigues DP, Branco MBLR, Cruz AFN. Clinical management of breastfeeding: knowledge of nurses. Esc Anna Nery [Internet]. 2015 [citado em 2017 maio 29];19(3):439-45. Disponível em: https://goo.gl/7SnSef.

Soares JPO, Novaes LFG, Araújo CMT, Vieira ACC. Amamentação natural de recém-nascidos pré-termo sob a ótica materna: uma revisão integrativa. Rev CEFAC [Internet]. 2016 [citado em 2017 maio 29];18(1):232-41. Disponível em: https://goo.gl/xcg9aN.

Franco SC, Silva ACA, Tamesawa CS, Ferreira GM, Feijó JMY, Macaris T, et al. Escolaridade e conhecimento sobre duração recomendada para o aleitamento materno exclusivo entre gestantes na estratégia de saúde da família. Arq Catarin Med [Internet]. 2015 [citado em 2017 jun 5];44(3):66-77. Disponível em: https://goo.gl/FDFYVn.

Silva NM, Warterkemper R, Silva EF, Cordova FP, Bonilha ALL. Conhecimento de puérperas sobre amamentação exclusiva. Rev Bras Enferm. 2014;67(2):290-5.

Vargas GS, Alves VH, Rodrigues DP, Branco MBLR, Souza RMP, Guerra JVV. Atuação dos profissionais de saúde da estratégia saúde da família: promoção da prática do aleitamento materno. Rev Baiana Enferm [Internet]. 2016 [citado em 2017 maio 29];30(2):1-9. Disponível em: https://goo.gl/tHwChw.

Brasil. Presidência da República. Subchefia para Assuntos Jurídicos. Lei nº 7.498, de 25 de junho de 1986. Dispõe sobre a regulamentação do exercício da enfermagem, e dá outras providências [Internet]. Brasília, DF; 1986 [citado em 2017 maio 29]. Disponível em: https://goo.gl/o1dyu9.

Oliveira MR, Leonel AR, Montezeli JH, Gastaldi AB, Martins EA, Caveião C. Conception of undergraduate nursing students on the practice of health education on first aid. Rev Rene. 2015;16(2):150-8.

Erdmann AL, Andrade SR, Mello ALSF, Drago LC. A atenção secundária em saúde: melhores práticas na rede de serviços. Rev Latino-Am Enfermagem [Internet]. 2013 [citado em 2017 maio 29];21(Esp):[8 telas]. Disponível em: https://goo.gl/e1ogAq.

Werneck MAF, Faria HP, Campos KFC. Protocolo de cuidados à saúde e de organização do serviço. Belo Horizonte: Nescon/UFMG; Coopmed, 2009.

Gubert FA, Santos DAS, Pinheiro MTM, Brito LLMS, Pinheiro SRCS, Martins MC. Protocolo de Enfermagem para consulta de puericultura. Rev Rene. 2015;16(1):81-9.

Alves KYA, Salvador PTCO, Santos VEP, Martins CCF, Costa TD. Cuidar-curar transpessoal e os protocolos de enfermagem: “cuidado com a vida”. Rev Enferm UFSM [Internet]. 2014 [citado em 2017 jun 5];4(4):858-64. Disponível em https://goo.gl/ZSaBH7.

Moura LK, Lima CH, Sousa FD, Honorato DZ, Neta AS, Costa KR. The professional nurse as educator: a look to primary health care and the NASF. Revista Interdisciplinar. 2015;8(1):211-9.

Downloads

Publicado

22-12-2017

Edição

Seção

ARTIGOS ORIGINAIS