Intervenção com exercício físico em Unidade de Saúde da Família para mulheres pós-menopausa

Autores

  • Eduardo Federighi Baisi Chagas Universidade de Marília.

DOI:

https://doi.org/10.13037/ras.vol14n49.3636

Palavras-chave:

exercício, dor, qualidade de vida, aptidão física, saúde pública

Resumo

Introdução: O uso de programas de exercício físico (PEF) em Unidade de Saúde da Família (USF) é cada vez mais frequente, porém ainda se sabe pouco sobre a contribuição e a aplicabilidade desses programas. Objetivo: Avaliar o efeito de um PEF desenvolvido para as condições disponíveis em USF sobre sintomas de dor, qualidade de vida e aptidão funcional de mulheres pós-menopausa. Métodos: A amostra foi composta de 27 mulheres (45-79 anos), distribuídas por conveniência em grupo exercício (GE) (n=14) e sem exercício (GSE) (n=13). O PEF foi realizado em três sessões semanais, com 10 min de aquecimento, 20 min de exercícios localizados e 50 min de exercícios aeróbicos (55 a 65% VO2max) ao longo de 12 semanas. Resultados: O GE apresentou melhora significativa da qualidade de vida, porém sem interação significativa (p=0,104). Para aptidão funcional, foi observado efeito significativo (p=0,007) do PEF apenas para a resistência aeróbica. O GE apresentou reduções nos sintomas de dor na região cervical/torácica (21,4% para 7,1%) e na região dos membros inferiores (61,5% para 50%). Conclusão: Quanto à qualidade de vida, entende-se que muitos fatores podem influenciar essa variável, de modo que os resultados observados aqui não permitem excluir a possível influência do exercício nesse indicador. A melhora significativa da aptidão funcional somente na resistência aeróbica se deve principalmente ao maior tempo destinado às atividades aeróbicas, sendo o tempo destinado para outros aspectos da aptidão funcional insuficiente para a observação de melhoras significativas. A redução dos sintomas de dor, embora não significativas do ponto de vista estatístico, tem significado clínico importante.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Eduardo Federighi Baisi Chagas, Universidade de Marília.

Docente da Universidade de Marília (UNIMAR) no curso de Educação Física, Nutrição e Fisioterapia. Tenho Graduação em Educação Física pela Universidade Estadual de Londrina (UEL). Sou Especialista em Treinamento Desportivo pela Universidade Norte do Paraná (UNOPAR), Mestrado em Avaliação e Intervenção em Fisioterapia pelo Programa de Pós-Graduação em Fisioterapia da Faculdade de Ciências e Tecnologia de Presidente Prudente (UNESP). Realiza estudos sobre modelos de avaliação e prescrição do exercício físico em saúde pública, com foco sobre fatores de risco cardiovasculares. Realizo pesquisa sobre métodos de avaliação do desempenho esportivo no Laboratório de Avaliação Física e Prática Esportiva (LAFIPE) da Universidade de Marília. Sou Líder do Grupo de Estudo em Envelhecimento e Obesidade (GEEO) e membro pesquisador do Grupo de Estudo "Métodos de Avaliação e Reabilitação da Capacidade Funcional", com estudos sobre controle autonômico e biocomunicação. Tenho experiência em curso de Especialização (lato-sensu) nas disciplinas de: Metodologia da Pesquisa Científica; Adaptações fisiológicas do treinamento de força e aeróbio; e Atividade Física, Ergonomia e qualidade de vida no envelhecimento.

 

Referências

Trevisan MC, Souza JMP, Marucci MFN. Influência da proteína de soja e dos exercícios físicos com pesos sobre o gasto energético de repouso de mulheres na pós-menopausa. Rev Assoc Med Bras. 2010;56(5):572-8.

Orsatti FL, Nahas EAP, Nahas-Neto J, Maestá N, Padoani NP, Orsatti, CL. Indicadores antropométricos e doenças crônicas não transmissíveis em mulheres na pós-menopausa da região Sudeste do Brasil. Rev Bras Ginecol Obstet. 2008;30(4):182-9.

Rasia J, Berlezi EM, Bigolin SE, Schneider RH. A relação do sobrepeso e obesidade com desconfortos musculoesqueléticos de mulheres pós-menopausa. Rev Bras Cienc do Envelhec Hum. 2007;4(1):28-8.

Jakobsen MD, Sundstrup E, Brandt M, Jay K, Aagaard P, Andersen LL. Effect of workplace- versus home-based physical exercise on musculoskeletal pain among healthcare workers: a cluster randomized controlled trial. Scand J Work Environ Health. 2015 Mar;41(2):153-63.

Gremeaux V, Gayda M, Lepers R, Sosner P, Juneau M, Nigam A. Exercise and longevity. Maturitas. 2012 Dec;73(4):312-7.

Bonfim MR, Costa JLR, Monteiro HL. Ações de Educação Física na saúde coletiva brasileira: expectativas versus evidências. Rev Bras Ativ Fis Saúde. 2012;17(3):167-73.

Kokobum E, Luciano E, Sibuya CY, Queiroga MR, Ribeiro PAB, Silveira RF, et al. Programa de atividade física em unidades básicas de saúde: relato de experiência no município de Rio Claro-SP. Rev Bras Ativ Fis Saúde. 2007;12(1):45-53.

Taylor D. Physical activity is medicine for older adults. Postgrad Med J. 2014 Jan;90(1059):26-32.

Bassuk SS, Manson JE. Physical activity and health in women. Am J Lifestyle Med. 2014;8(3):144-58.

Barros EN, Alexandre NM. Cross-cultural adaptation of the Nordic musculoskeletal questionnaire. Int Nurs Rev. 2003 Jun;50(2):101-8.

Colpani V, Spritzer PM, Lodi AP, Dorigo GG, Miranda IAS, Hahn LB, et al. Atividade física de mulheres no climatério: comparação entre auto-relato e pedômetro. Rev Saúde Publica. 2014;48(2):258-65.

Ciconelli RM, Ferraz MB, Santos W, Meinão I, Quaresma MR. Tradução para a língua portuguesa e validação do questionário genérico de avaliação da qualidade de vida SF-36 (Brasil SF-36). Rev Bras Reumatol. 1999;39(3):143-50.

Osness WH, Adrian M, Clark B, Hoeger W, Raab D, Wiswell R. Functional fitness assessment for adults over 60 years. Am J Health Educ. 1990;1-24.

Kanellakis S, Kourlaba G, Moschonis G, Vandorou A, Manios Y. Development and validation of two equations estimating body composition for overweight and obese postmenopausal women. Maturitas. 2010 Jan;65(1):64-8.

American College of Sports Medicine. Quantity and quality of exercise for developing and maintaining cardiorespiratory, musculoskeletal, and neuromotor fitness in apparently healthy adults: guidance for prescribing exercise. Med Sci Sports Exerc. 2011 Jul;43(7):1334-59.

Passaro LC, Godoy M. Reabilitação cardiovascular na hipertensão arterial. Rev Soc Cardiol Estado de São Paulo. 1996;6(1):45-58.

Martin CK, Church TS, Thompson AM, Earnest CP, Blair SN. Exercise dose and quality of life: a randomized controlled trial. Arch Intern Med. 2009 Feb;169(3):269-78.

Riesco E, Tessier S, Pérusse F, Turgeon S, Tremblay, Weisnagel J, et al. Impact of walking on eating behaviors and quality of life of premenopausal and early postmenopausal obese women. Menopause. 2010;17(3):529-38.

Guimarães ACA, Baptista F. Atividade física habitual e qualidade de vida em mulheres de meia idade. Rev Bras Med Esporte. 2011;17(5):305-9.

Earnest CP, Blair SN, Church TS. Age attenuated response to aerobic conditioning and postmenopausal women. Eur J Appl Physiol. 2010 Sep;110(1):75-82.

Campbell PT, Gross MD, Potter JD, Schmitz KH, Duggan C, McTiernan A, et al. Effect of exercise on oxidative stress: a 12-month randomized controlled Trial. Med Sci Sports Exerc. 2010 Aug;42(8):1448-53.

Shephard RJ. Does age attenuate aerobic conditioning response in postmenopausal women? Eur J Appl Physiol. 2011 May;111(5):891-2.

Nakamura Y, Tanaka K, Yabushita N, Sakai T, Shigematsu R. Effects of exercise frequency on functional fitness in older adult woman. Arch Gerontol Geriatr. 2007;44(2):163-73.

Toraman NF, Erman A, Agyar E. Effects of multicomponent training on functional fitness in older adults. J Aging and Phys Act. 2004 Oct;12(4):538-53.

Silva Junior JP, Silva LJ, Ferrari G, Andrade DR, Oliveira LC, Santos M, et al. Estabilidade das variáveis de aptidão física e capacidade funcional de mulheres fisicamente ativas de 50 a 89 anos. Rev Bras Cineantropom Desempenho Hum. 2011;13(1):8-14.

Englund U, Littbrand H, Sondell A, Pettersson U, Bucht G. A 1-year combined weight-bearing training program is beneficial for bone mineral density and neuromuscular function in older women. Osteoporos Int. 2005 Sep;16(9):1117-23.

Ellingson LD, Colbert LH, Cook DB. Physical activity is related to pain sensitivity in healthy women. Med Sci Sports Exerc. 2012 Jul;44(7):1401-6.

Angin E, Erden Z. The effect of group exercise on postmenopausal osteoporosis and osteopenia. Acta Orthop Traumatol Turc. 2009;43(4):343-50.

Landmark T, Romundstad P, Borchgrevink PC, Kaasa S, Dale O. Associations between recreational exercise and chronic pain in the general population: evidence from the HUNT 3 study. Pain. 2011 Oct;152(10):2241-47.

Søgaard K, Blangsted AK, Nielsen PK, Hansen L, Andersen LL, Vedsted P, et al. Changed activation, oxygenation, and pain response of chronically painful muscles to repetitive work after training interventions: a randomized controlled trial. Eur J Appl Physiol. 2012 Jan;112(1):173-81.

Downloads

Publicado

14-06-2016

Edição

Seção

ARTIGOS ORIGINAIS

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)