Laserterapia no Tratamento de Pontos-Gatilho - Relato de Três Casos

Autores

  • Rida Russo Bernardes
  • Marlon Francys Vidmar Universidade de Passo Fundo
  • Fabiano Chiesa

DOI:

https://doi.org/10.13037/rbcs.vol9n30.1401

Palavras-chave:

Fisioterapia

Resumo

O presente estudo procurou verificar a efetividade da radiação laser de baixa intensidade sobre os
pontos-gatilho da musculatura superior, na altura das fibras do trapézio, e analisar o comportamento
doloroso. A amostra foi composta por três mulheres portadoras de pontos-gatilho, tendo
como principal sintoma a dor em decorrência da alteração muscular. Os sujeitos da amostra foram
submetidos a dez sessões de terapia a laser, sendo realizadas uma vez ao dia. O tipo de laser
utilizado foi o arseneto de gálio (GaAs) com comprimento de onda de 904nm com potência média de
8,5mW no modo pontual com uma dose de quatro joules por 470 segundos nos pontos dolorosos da
amostra. Os instrumentos utilizados para a coleta dos dados foram uma ficha de avaliação contendo
o exame físico e dados da patologia, assim como uma ficha de evolução contendo a escala
análogo-visual aplicada diariamente. Os dados colhidos foram comparando o antes e o depois do
tratamento proposto, sendo que também foi realizada uma reavaliação dez dias após o término do
experimento para verificar recidivas da dor. Como resultado, a pesquisa demonstrou uma diminuição
do quadro doloroso em pacientes portadores de pontos-gatilho superiores, obtendo melhora considerável
e perdurando essa analgesia por dez dias após a terapêutica. Conclui-se então que a
terapia com laser de baixa intensidade do tipo arseneto de gálio mostrou-se eficaz na inativação
dos pontos-gatilho e, em consequência, no alívio da dor provocada por essa disfunção.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2012-03-29

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)