Barreiras vivenciadas pelo enfermeiro na realização do teste do pezinho: Revisão integrativa

Autores

Palavras-chave:

Triagem Neonatal, Educação em Saúde, Enfermagem

Resumo

Introdução: O teste do pezinho é um dos exames que constitui o Programa de Triagem Neonatal, caracterizado por coletar amostras sanguíneas do neonato preferencialmente entre o terceiro e o quinto dia de vida, permitindo o rastreio de seis doenças. Além do procedimento em si, também são competências do enfermeiro a orientação aos pais sobre a realização, a importância e benefícios. Objetivos: Analisar o papel do enfermeiro na realização do teste do pezinho. Materiais e Métodos:  O presente estudo utilizou como método de pesquisa a revisão integrativa da literatura. Para seleção dos artigos foram utilizadas as bases de dados LILACS, MEDLINE, BDENF, SCIELO e PUBMED. Foram incluídos os artigos que respondiam à questão norteadora, publicados entre os anos de 2010 a 2020, em idioma português, inglês ou espanhol. A amostra final foi composta por 12 estudos. Resultados: Foi demonstrado a falta de conhecimento do enfermeiro em relação ao teste do pezinho. Muitos possuíam incertezas sobre o período correto de coleta do teste e quais as patologias detectadas. Identificou-se também a carência de informações das mães em relação ao tempo preconizado para fazer o teste e sua finalidade. Grande parte das puérperas relataram que a falta de informação é desde o período pré-natal. Conclusão: Conclui-se que o profissional de enfermagem deve melhorar o seu conhecimento científico sobre o teste do pezinho e também intensificar e ampliar as informações fornecidas aos pais sobre esse teste desde o período do pré-natal.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Especializada e Temática. Triagem neonatal biológica: manual técnico. Brasília, DF: Ministério da Saúde; 2016.

ARDUINI, G. A. O. et al. Conhecimento das puérperas sobre o teste do pezinho. Revista Paulista de Pediatria, v. 35, n. 2, p. 151-157, 2017.

BRASIL, Ministério da Saúde/Secretaria de Ciência, Tecnologia, Inovação e Insumos Estratégicos em Saúde. Portaria no. 7, de 4 de março de 2020. Torna pública a decisão de ampliar o uso do teste do pezinho para a detecção da toxoplasmose congênita, no âmbito do Sistema Único de Saúde - SUS. Diário Oficial da União da República Federativa do Brasil. Brasília, 5 mar. 2020.

SILVA, M. P. C. et al. Teste do pezinho: percepção das gestantes nas orientações no pré-natal. Revista Brasileira de Saúde Materno Infantil, v. 17, n. 2, p. 291-298, 2017.

ACOSTA, D. F.; STREFLING, I. S. S.; GOMES, V. L. O. Triagem Neonatal:(re) pensando a prática de enfermagem. Rev. enferm. UFPE on line, v. 7, n. 2, p. 572-578, 2013.

DE MARQUI, A. B. T. Teste do pezinho e o papel da enfermagem: uma reflexão. Revista de Enfermagem e Atenção à Saúde, v. 5, n. 2, p. 96-103, 2016.

MENDES, K. D. S.; SILVEIRA, R. C. C. P.; GALVÃO, C. M. Revisão integrativa: método de pesquisa para a incorporação de evidências na saúde e na enfermagem. Texto & contexto enfermagem, v. 17, n. 4, p. 758-764, 2008.

URSI, E. S.; GAVÃO, C. M. Prevenção de lesões de pele no perioperatório: revisão integrativa da literatura. Revista Latino-Americana de Enfermagem, v. 14, n. 1, p. 124-131, 2006.

SANTOS, E. C. et al. O conhecimento de puérperas sobre a triagem neonatal. Cogitare Enfermagem, v. 16, n. 2, p. 282-288, 2011.

ABREU, I. S.; BRAGUINI, W. L. Triagem neonatal: o conhecimento materno em uma maternidade no interior do Paraná, Brasil. Revista Gaúcha de Enfermagem, v. 32, n. 3, p. 596-601, 2011.

STREFLING, I. S. S. et al. Conhecimento sobre triagem neonatal e sua operacionalização. Cogitare Enfermagem, v. 19, n. 1, p 26-32, 2014.

MESQUITA, A. P. H. R. et al. Profissionais de Unidades Básicas de Saúde sobre a triagem neonatal. Revista de Ciências Médicas, v. 26, n. 1, p. 1-7, 2017.

CARDOSO, A. M. R.; MARÍN, H. F. Gaps in the knowledge and skills of Portuguese mothers associated with newborn health care. Revista latino-americana de enfermagem, v. 26, s.n., s.p., 2018.

BATISTTI, A. C. et al. Conhecimento do Enfermeiro sobre a importância e operacionalização do programa nacional de triagem neonatal. Revista de Enfermagem da UFSM, v. 8, n. 2, p. 288-303, 2018.

DE ARAÚJO LUCENA, D. B. et al. Primeira semana saúde integral do recém-nascido: ações de enfermeiros da Estratégia Saúde da Família. Revista Gaúcha de Enfermagem, v. 39, s.n., s.p., 2018.

GOMES, A. P. S. S. et al. Conhecimento sobre triagem neonatal: discursos de mães e pais de recém-nascidos. Revista de Divulgação Científica Sena Aires, v. 8, n. 3, p. 255-263, 2019.

NISSELLE, A. et al. Lessons learnt from implementing change in newborn bloodspot screening processes over more than a decade: Midwives, genetics and education. Midwifery, v. 79, s.n., p. 102542, 2019.

DA SILVA, M. B. G. M.; LACERDA, M. R.“Teste do pezinho”: por que coletar na alta hospitalar?Revista Eletrônica de Enfermagem, v. 5, n. 2, p. 60-64, 2003.

Publicado

27-01-2021

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)