PERCEPÇÃO DOS PAIS DE GESTANTES ADOLESCENTES SOBRE A EDUCAÇÃO SEXUAL

Autores

  • Janayna Barros Reina Villas Boas Universidade Paulista
  • Maria Fernanda Pereira Gomes Universidade Paulista
  • Kesley de Oliveira Reticena Universidade Paulista
  • Verusca Kelly Capellini Fundação Educacional do Município de Assis
  • Lislaine Aparecida Fracolli Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.13037/ras.vol15n53.4677

Palavras-chave:

Gravidez na adolescência, educação sexual, relações familiares

Resumo

Objetivo: Apreender a percepção dos pais acerca da gestação na adolescência e da educação sexual oferecida no contexto escolar e das unidades básicas de saúde (UBS). Métodos: Abordagem qualitativa descritiva exploratória. O estudo foi realizado em domicílios de familiares de gestantes adolescentes usuárias das UBS do município de Assis (SP). Participaram da pesquisa oito pais de gestantes adolescentes entre doze e dezenove anos. Os dados foram colhidos no período de julho a agosto de 2016, por meio de roteiro semiestruturado. O tratamento dos dados foi baseado na técnica de análise de conteúdo, em que as entrevistas foram submetidas a três processos: ordenação, classificação e análise final. Desses processos emergiram as seguintes temáticas: conhecimento do uso dos métodos contraceptivos existentes e concordância da educação sexual dos filhos adolescentes; influência da educação na prática sexual precoce e ocorrência de gravidez; impactos da gestação precoce; e posição quanto à intervenção governamental na educação sexual adolescente. Resultados: Foi possível observar que os pais não se contrapõem totalmente às ações governamentais, entretanto, reivindicam o pátrio poder quanto às tomadas de decisões relacionadas às vidas dos filhos. Conclusão: A problemática social gerada pelas gestações precoces deve ser abordada pelas instituições governamentais, mas não só voltada ao público adolescente como também aos pais e à família.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Janayna Barros Reina Villas Boas, Universidade Paulista

Graduanda em Enfermagem pela Universidade Paulista (Unip).

Maria Fernanda Pereira Gomes, Universidade Paulista

Docente do curso de Enfermagem da Universidade Paulista (Unip).

Kesley de Oliveira Reticena, Universidade Paulista

Professora Mestre do curso de Enfermagem da Universidade Paulista (Unip).

Verusca Kelly Capellini, Fundação Educacional do Município de Assis

Professora Mestre do curso de Enfermagem da Fundação Educacional do Município de Assis.

Lislaine Aparecida Fracolli, Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo

Professora Doutora do Departamento de Enfermagem em Saúde Coletiva da Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo (EEUSP).

Referências

Azevedo WF, Diniz MB, Fonseca ESVB, Azevedo LMR, Evangelista CB. Complicações da gravidez na adolescência: revisão sistemática da literatura. Einstein. 2015;13(4):618-26.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Indicadores sociodemográficos e de saúde no Brasil. Rio de Janeiro: IBGE; 2009.

Brasil. Ministério da Saúde. Departamento de Informática do SUS. Sistema de informações de nascidos vivos [Internet]. [atualizado em 2014; citado em 2017 jan 25]. Disponível em: https://goo.gl/ChZ5vD

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção em Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Diretrizes nacionais para a atenção integral à saúde de adolescentes e jovens na promoção, proteção e recuperação da saúde. Brasília, DF: Ministério da Saúde; 2010.

Brasil. Lei nº 8.069, de 13 de julho de 1990. Dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente e dá outras providências [Internet]. Diário Oficial da União. Brasília, DF; 13 jul 1990 [citado em 2017 out 5]. Disponível em: https://goo.gl/UdwKV

Brasil. Ministério da saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Política nacional de atenção integral à saúde de adolescentes em conflito com a lei: normas e reflexões. Brasília, DF: Ministério da Saúde; 2012. (Série B. Textos Básicos de Saúde)

Brasil. Ministério da Saúde. Saúde e prevenção nas escolas: guia para a formação de profissionais de saúde e de educação. Brasília, DF: Ministério da Saúde; 2007.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística [Internet]. Rio de Janeiro: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística [atualizado em 2010; citado em 2015 dez 14]. Disponível em: https://goo.gl/ssG3SY

Brasil. Ministério da Saúde. Departamento de Informática do SUS [Internet]. Brasil; [atualizado 2013; citado 2015 dez 14]. Disponível em: https://goo.gl/TV3FiJ

Gomes R. A análise de dados em pesquisa qualitativa. In: Minayo, MCS. Pesquisa social: teoria, métodos e criatividade. 21ª ed. Rio de Janeiro: Vozes; 2002. p. 67-79.

Ruzany MH. Atenção à saúde do adolescente: mudança de paradigma. In: Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Saúde do adolescente: competências e habilidades. Brasília, DF: Ministério da Saúde; 2008. p. 21-25. (Série B. Textos Básicos de Saúde)

Moreira TMM, Viana DS, Queiroz MVO, Jorge MSB. Conflitos vivenciados pelas adolescentes com a descoberta da gravidez. Rev Esc Enferm USP. 2008;4(2):312-20.

Souza TA, Brito MEM, Frota AC, Nunes JM. Gravidez na adolescência: percepções, comportamentos e experiências de familiares. Rev Rene. 2012;13(4):794-804.

Galante AC, Aranha JA, Beraldo L, Pelá NTR. A vinheta como estratégia de coleta de dados de pesquisa em enfermagem. Rev Latinoam Enfermagem. 2003;11(3):357-63.

Fernandes AO, Santos Júnior HPO, Gualda DMR. Gravidez na adolescência: percepções das mães de gestantes jovens. Acta Paul Enferm. 2012;25(1):55-60.

Monteiro CFS, Costa NSS, Nascimento PSV, Aguiar YA. A violência intra-familiar contra adolescentes grávidas. Rev Bras Enferm. 2007;60(4):373-76.

Dias ACG, Gomes WB. Conversas sobre sexualidade na família e gravidez na adolescência: a percepção dos pais. Estudos de Psicologia. 1999;4(1):79-106.

Pariz J. Mengarda CF, Frizzo GB. A atenção e o cuidado à gravidez na adolescência nos âmbitos familiar, político e na sociedade: uma revisão de literatura. Saúde Soc. 2012;21(3):623-36.

Witter GP, Guimarães EA. Percepções de adolescentes grávidas em relação a seus familiares e parceiros. Psicol Ciênc Prof. 2008;28(3):548-57.

Araújo JA, Halboth NV, Araújo A. Humanização e integralidade na atenção à família: a percepção de mães sobre a gravidez de suas filhas adolescentes. Mundo Saúde. 2012;36(3)475-81.

Levandowski DC, Barth B, Munhós AAR, Rödde AC, Wendland J. Apoio familiar e gestação na adolescência: um estudo qualitativo com adolescentes do Vale dos Sinos/BR. Rev Interam Psicol. 2012;46(2):297-306.

Lima CTB, Feliciano KVO, Carvalho MFS, Souza APP, Menabó JBC, Ramos LS et al. Percepções e práticas de adolescentes grávidas e de familiares em relação à gestação. Rev Bras Saúde Matern Infant. 2004;4(1):71-83

Carneiro RF, Silva NC, Alves TA, Albuquerque DO, Brito DC, Oliveira LL. Educação sexual na adolescência: uma abordagem no contexto escolar. Sanare. 2015;14(1):104-8.

Downloads

Publicado

2017-10-18

Edição

Seção

ARTIGOS ORIGINAIS

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)